Meus 10 anos de autora! (E 22º aniversário.)

domingo, 30 de novembro de 2014



Primeiro de tudo, hoje é meu aniversário! A pessoa doida que eu sou completando 22 anos. #dança
E também, neste ano de 2014, estou comemorando meus 10 anos como escritora. Não que tenha esse tempo todo que eu lancei alguma livro e nem nada disso. É realmente uma conquista pessoal minha! E se eu não comemorar e gostar da minha escrita, quem mais vai né?
Já faz dez anos que eu peguei um caderno velho, que está mais velho ainda agora, e comecei a escrever As Super Agentes. Desde aquele dia comecei a dar vida para muitas coisas que surgiram na minha cabeça.
Não são só os meus livros, são os meus filhos. São parte de mim!
Não sou capaz de me imaginar sem eles. Não sou capaz de me imaginar sem escrever.
Amo tanto eles que eu fiz um cantinho especialmente só para eles, o Contos Anê.
E resolvi me dar o presente de comemorar os meus 10 anos em grande estilo, com um conto totalmente especial. Vocês podem lê-lo aqui.
Eu gravei vídeo especial, fiz post em outros blogs e mais algumas coisas por ter alcançado isso. Acho que eu mereço. =D
E chego aos 22 anos de idade sem nem ter noção de como já se passou isso tudo. Já vivi muita coisa e ainda viverei muitas outras mais. E com certeza, escrevei mais umas outras tantas!
Otanjobi omedetou para mim!

Tag: Viciado em filmes

segunda-feira, 24 de novembro de 2014
Trazendo mais uma tag legal para o blog. :3
Eu até falo bastante de filmes aqui, mas eu vi essa tag no My Queen Side e achei interessante para responder. Então, lá vamos nós!
Aviso: Muitos, mas muitos filmes asiáticos!

1. Qual foi o último filme que você assistiu?
Foi Battle Royale. Rezam lendas de que foi um dos filmes que inspirou Jogos Vorazes. É realmente bem parecido! Um monte de jovens se matando e só pode sair um vivo.
2. Um filme que quer muito ver?
Painted Skin, tanto o 1 quanto o 2, sem dúvidas. É com uma atriz chinesa que eu amo: Zhao Wei. Ela faz Hua Mulan, cara. Eu amo aquele filme.
E Ichi também. Não vivo sem filmes épicos na minha vida!
3. Um filme para chorar? 
Não sou de chorar com filmes, mas o único que me fez chorar, até porque eu já tava meio triste no dia, foi Um Milagre de Natal. Gente, esse filme é tão lindo!
4. Um filme para rir?
Essa categoria pede um filme japonês. Gente, alguns filmes japoneses são só gargalhadas.
Vou indicar How to date an Otaku Girl. Eu me identifico muito com esse filme, justamente pela personagem ser otaku. Prometo fazer a review que ele merece.
E o outro é um coreano: Sex is Zero. Gente, é "American Pie coreano". Ele tem a dose certa de comédia e drama.
5. Um suspense?
Esse é coreano: 4th Period Mystery. É o mistério que corre acerca de um assassinato em uma escola. Os dois personagens tem que descobrir quem foi antes do período acabar e verem o corpo na sala e também acusarem o nosso protagonista. Eu só vi esse filme uma vez, preciso ver de novo, mas é legal.
6. Um filme para ver com a família?
Esse animação que eu adoro: Ookami Kodomo no Ame to Yuki ou traduzindo, Crianças Lobo. Eu já falei sobre ele aqui no blog.
Ele é realmente um filme bem família!
7. Um romance?
Difícil... eu diria Jenny Juno. É um filme muito fofo e você se apaixona pelo casal principal. Eles tem só 15 anos, gente. (Tem no youtube com legenda em pt, só caçar!)
8. Um filme lindo?
Com certeza é Dear Friends. Não tem como descrever esse filme. É excelente! Uma lição sobre amizade! (Post sobre ele.) Inclusive é com a mesma atriz de Um litro de lágrimas.
9. Um filme para morrer de medo?
Não sou a maior fã de terror, mas eu diria Atividade Paranormal 3. Ou até a série toda, mas só vi o 1 e o 3. Medo eterno do Tobi.
10. Um filme de ação?
Chocolate. É um filme tailandês com uma atriz que cai na porrada e sem pena! Vale pelas cenas de luta. Eu ainda tenho isso em DVD, é sério!
11. Um filme que não vale a pena?
Vou ser bem sincera, Percy Jackson e o Ladrão de Raios. Sério, passei muita raiva com ele no cinema. Só carrega mesmo o nome do livro, não tem praticamente nada dele. E até como filme é ruim!
12. Um filme para o feriado?
Speed Scandal.  Esse filme coreano é muito divertido. O menininho dele é uma graça!
13. Um desenho animado?
Poderia indicar fácil um filme da disney. Pocahontas ou Mulan, por exemplo. Mas eu vou indicar uma animação francesa: A Monster in Paris. Cara, esse filme é muito legal!
14. Um filme que todo mundo tem que ver?
Helter Skelter. Baseado em um mangá de mesmo nome. Ele é um pouco pesado, mas eu gostei muito desse filme. A atriz arrasa apenas. (Já falei sobre no blog também!)
15. Um filme que você assistiu 3 ou + vezes?
Ouvindo a risada de vocês agora, mas foi De Volta à Lagoa Azul. Desculpa sociedade, eu amo esse filme. Me julguem! (Tem post sobre ele.)
Tá bem que eu fui entender mais da metade das piadas só quando cresci.
16. Um filme para meninas?
Para meninas eu entendo como Girl Power. E um filme que me lembra isso é Todas Contra John. Adoro esse filme!
Essa foi a tag, pessoal! Espero que tenham gostado.
Peço desculpas pelo meu gosto cinematográfico inusitado.

Review HEROINE

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Prometo que é a última vez!
Pois é, já a dia de 18 de Novembro lá no Japão. (Eu conto o fuso horário).
Primeiro quero desejar Omedetou a Minorin! :3 Tudo de bom para essa linda e maravilhosa. Pelos 34 anos, pelos 10 anos de carreira e tudo mais. Merece! =D (Fã aqui, gente.)
E para completar vou fazer review do último álbum que está faltando: HEROINE. Ele foi lançado lá em 2004, quando a Minorin ainda era da King Records e não da Lantis.
Sem mais enrolar, começarei.

1. Majokko Meguchan (魔女っ子メグちゃん; Magical Girl Meguchan)
Essa música abre o álbum com muita animação. Faz você ficar com vontade de sair dançando igual aquelas heroínas de anime, estilo Sailor Moon.
Total pegada de rock e de abertura de anime.

2. jelly beans
O que dizer dela? Está entre as minha favoritas da Minorin.
E como a cantora também é seiyuu, maioria das músicas acabam tendo essa coisa de parecer de anime. Consigo me imaginar na rua cantando isso loucamente.
Ela tem uma pegada rock e mais um ponto pelos latidos no início e no final! haha

3. Marionette (マリオネット)
Apesar de ter a mesmo nome de uma música da Ayumi Hamasaki que eu amo, essa música é diferente. Imaginem Nagato Yuki antes da fama? haha #zoeira
Ele tem um jeito um pouco parecido com Yuki, Muon, Madobe Nite. O pop com as batidas misturadas. Adoro!

4. Kasa no Shita (傘の下; Under the Umbrella)
Ai entramos nas baladinhas. haha (Isso não é Ayumi, Anelise!)
É uma música calminha, leve e muito boa de ouvir! Parece uma charasong (são as músicas dos personagens de anime). (No caso, essa seria da Natsume Aya do Tenjou Tenge.)
Eu gosto tanto desse vocal mais antigo dela. Não que o novo seja ruim, é ótimo. =D

5. Namida no Kinenbi (涙の記念日; Anniversary of Tears)
Uma música bem animada e pop. Você esperaria um clipe bem fofinho para ela.
Aqui, ela canta com uma voz mais fina que o normal, parecendo realmente uma personagem fofinha.
O engraçado é o nome da música ser essa e ela ser animada. Sem letra complicada a minha vida.

6. Sono Toki Boku wa Kami Kazari wo Kau (その時僕は髪飾りを買う)
Eu a conheço como a track 6 do Parade. Infelizmente não achei a versão mais antiga dela. Deve ser a que está lá no Parade mesmo. :3
Falei sobre ela lá na review do Parade, ok?

7.NAKED HEART
Essa é daquelas músicas para dançar. Super pop mesmo! Com umas pegadas de guitarras lá no solo.
O refrão dela é muito marcante, impossível não se empolgar cantando. (Como sempre, Anelise.)
"Mirai hee"

8. Emotional
Uma música estilo Minorin, só dizendo assim. Pop misturado com eletro e violão e mais sei lá o quê, porque eu não sou especialista.
Me lembra muitas outras tantas músicas dela, só não me recordo quais seriam.
Muito boa para dançar também. Minha descendência espanhola fica querendo rebolar e bater as castanholas. =D

9. Konayuki ~long distance~ (粉雪~long distance~; Powdered Snow)
Uma música bem calminha e um tom acústico.
Como quase todo o resto do álbum parece música de anime.
Muito boa para relaxar, ainda mais com esse vocal sem gritaria que ele tem.

10. Marionette (Remix) (マリオネット(Remix))
Essa música é exatamente o que se espera de um remix. Só batidão e a voz com aqueles efeitos.
É um remix bem legal, mas eu sempre prefiro a música original.
Não que não goste de remix, gosto sim, mas a minha preferência é sempre o original mesmo.


E essa foi mais uma review de álbum. Espero que tenha gostado!
Ficarei um tempo sem fazer, acho que vocês não gostam muito desse tipo de post! =)
E parabéns para a Minori de novo!

Ane-chan's Shizen? - 3 anos!

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Pois é, parece até mentira, mas hoje, dia 12 de Novembro, faz exatos três anos que eu criei este blog!
E para ser bem sincera, só de uns tempos para cá que ele se tornou um blog mais importante. Com o qual me preocupasse em atualizar, assim como alguns outros que eu tenho.
Nunca comemorei o aniversário dele de um jeito decente, então dessa vez decidi fazer no estilo.
Separei um desafio legal para fazer em homenagem ao blog. Eu vi lá no Adolescente Demais e fiz no meu amado Garota Zodíaco.
Esse desafio consiste em escrever uma carta para o seu blog. Sem mais enrolar, ai vai a minha carta.

Querido Shizen,

Eu sei que seu nome um bocadinho estranho, mas é que realmente quis te dar um título. Pode não ser o mais correto em inglês e muito menos em japonês, mas como tudo na minha vida, eu te dei um sentido, uma direção.
Eu sei que eu te criei apenas para poder postar no Otaku.com.br, porém você transcendeu isso. Eu te tornei mais um dos meus blogs, junto com Blog do Kyon e o GZ, e tem o seu espaço na minha vida e no meu coração.
Com você compartilho os meus pensamentos e falo sobre o gosto, daquele jeitinho que os seus irmãos já sabem bem como é!
Você é mais um dos blogs que me acompanha na vida. E por isso é especial! Está aqui comigo, sempre pronto a me ouvir.
Só tenho a agradecer tudo o que faz por mim! São três anos de uma jornada que eu sei que ainda terão muitas aventuras e muitas coisas para contar.
Posso ficar horas e mais horas listando, mas acho desnecessário.
Obrigada por ser essa parte que é da minha natureza, só que não é exatamente EU. São coisas que me compõem e me constroem.
Aqui tem um pouco de tudo: Anelise leitora, Anelise otaku, Anelise escritora.
Porque todos nós somos assim né? Um bocadinho de cada coisa!
Aishiteru, Shizen! :3
Com amor,
Anelise

Desafio dado é desafio cumprido!

E que venham mais aniversários para o blog!

Parceria: My Queen Side

domingo, 9 de novembro de 2014

Cá estou eu, de novo, para anunciar mais uma parceira do blog. :3
É a linda da Fran, gente! Dona do My Queen Side.
Com toda a honra anuncio a parceria com ela. É um dos blogs que eu fico ansiosa esperando atualizações, ainda mais quando são resenha.
E ela é também uma leitora assídua daqui, adoro ler os comentário que ela deixa nas postagens. Até o livro com meu conto ela comprou! :3
Não deixem de visitá-la em!
Se tiver mais alguém interessado em parceria, só falar comigo.
Beijos, Minna-san!



Prince of Lan Ling

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Tinha um tempão que eu não falava de nenhum dorama aqui no blog.
Pois é, a pessoa aqui é escritora, leitora, otaku e também dorameira. haha
Não que eu tenha assistido muitos doramas na minha vida, os vejo desde 2008. Mas não é sobre isso hoje, obviamente.
Falarei sobre Prince Lan Ling ou Lan Ling Wang, que é o nome chinês.
Ele conta a história de dois reinos, Zhou e Qi, nunca época remota da China. Duas nações que são eternas rivais e vivem em guerra.
O primeiro episódio começa com um dos soldados de Qi indo visitar a Sacerdotisa Divina, na Vila da Montanha Branca, que é a avó de uma das protagonistas, para saber as previsões para os próximos dez anos.
Assim, ela fala que vai existir um guerreiro, o melhor de todos: O príncipe de Lan Ling.
Yang Xue Wu, neta dela (e a tal protagonista que citei), acaba escutando isso e acaba se encantando de certa forma com esse futuro guerreiro e a vontade de conhecê-lo passa a viver nela.
Passassem-se dez anos e todas as previsões da vó de Xue Wu são verdadeiras.
Gao Chang Gong, o Lan Ling, está em mais uma batalha próximo a Vila da Montanha Branca. Seu cavalo, Ta Xue (gente, até o nome do cavalo eu lembro), está machucado e dizem para ele levá-lo a umas águas termais que tem por perto, que também fica perto da Vila.
Chegando lá, ele e Xue Wu se encontram. O mais engraçado é que ela acha que ele é mulher nesse pedaço. Porque homens e mulheres nessa época tinha cabelos compridos e tinha o detalhe dele estar de costas e nem barba ter. (Mas prefiro ele sem, porque no final ele fica um com bigode ridículo.)
Ela entra para tomar banho com ele. (Fico sacaneando até hoje só porque ela falou "Moça Bonita".)
Então eles são atacados por um pequeno grupo de soldados de Zhou. Xue Wu acha que são um bando de pervertidos e Lan ling acaba com todos eles enquanto Xue Wu afoga um. haha
Depois de revelada a verdade, ele é homem, ela desmaia. (Sei lá o porquê.)
Quando acorda, eles conversam um pouco e ela descobre o motivo dele estar ali.
Chang Gong acaba indo para a vila com Xue Wu, pois ela disse que iria ajudá-lo a cuidar do cavalo.
Ela amarra o ferimento na pata do cavalo com a sua faixa, que segundo a tradição da vida, deve ser feita pelas moças. Então, na cerimônia, os futuros maridos tem as faixas amarradas em suas cinturas.
Lan Ling acha o que ela faz muito nobre e lhe dá um adereço para incrementar a faixa.
No dia seguinte, quando está indo embora, também acontecia a cerimônia.
Todas as outras moças amarram suas faixas nos futuros maridos. E a Xue Wu, pobre dela, ela sofre bullying naquele lugar, acaba ficando "sem um marido". Ninguém na vila gosta dela!
Então, o cavaleiro Lan Ling vai lá e a salva. (Esses coisas emocionantes que me matam em doramas.)
A partir dai vai se desenrolando. São 46 episódios, o que eu contei não devem dar nem dois.
Acontecem muitas batalhas, eles se casam, rola muitas tretas em ambos os reinos. Acontece muita coisa mesmo!
E o final... Ai, o final. Gostei muito dele, mas eu fiquei meio triste! Não vou contar, senão será spoiler.
É um dorama excelente! Pela história, pelos personagens e seus atores, por tudo.
Quem gosta de um bom dorama épico, com ação e muito romance é um boa pedida!
(Deixa eu ir lá sofrer mais um pouco, ainda mais pelo final regado a Katanagatari.)

Resenha #6: Poderosa 6

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Se não falar de Poderosa não sou eu! É simplesmente a minha série de livros favorita.
Sei bem que já falei sobre a série no blog, vocês podem conferir aqui. Porém, ainda não tinha 6º volume quando o fiz. Então, farei um do seis. :3
Primeiro contarei a breve história de ser surpreendida pela existência desse livro. Lá estou na Livraria da Travessa do Barra Shopping, olhando pilhas e mais pilhas de livros. Ai vou a sessão infanto-juvenil e lá no cantinho encontro o Poderosa 6. Foi um grito, uma alegria e um desespero para poder ler logo.
Obviamente, como já se sabe, o Sérgio Klein faleceu em 2010 e outro autor, José Antônio Orlando continuou a história.
Segue a sinopse e vou falar o que achei do livro.

Sinopse: Já faz muito tempo que Joana Dalva não usa seu poder, o qual permite que tudo o que ela escreva com a mão esquerda se transforme em realidade. Mas os efeitos colaterais continuam os mesmos: uma confusão atrás da outra! Ainda mais quando Joana resolve trazer de volva à vida uma garota que acabou de morrer! O que vai acontecer desta vez? E tudo em volta de Joana Dalva está mais estranho que o habitual. Os alunos do colégio parecem enfeitiçados e ela tem sonhos absurdos com uma mulher de sorriso enigmático... Isso sem falar no professor substituto com cara de criatura mitológica que veio substituir a professora de Matemática e na Bruxa que também entra nesta história. Neste sexto livro da série, Joana Dalva vive aventuras incríveis, faz novas amizades e, de quebra, tem que lidar com Xandi, seu irmão. Esse, sim, continua irritante como sempre!

Comecei a ler o livro quando fui a praia. Li em apenas dois dias, porque ele é bem menor do que os outros, apenas 120 páginas. Achei caro o preço que paguei nele também.
E o que achei do livro?
Cara, quando eu acabei de ler veio um sentimento de frustração sabe? Eu li Poderosa, mas não era Poderosa. Não aquela que eu sempre conheci.
Não que o livro tenha sido ruim, ele é bom. Mas não teve aquele quê mágico da Joana Dalva.
Acho que o autor não conseguiu captar muito bem a história.
Foi muito bom poder matar a saudade de tantos personagens queridos, mas eu sinto que ficou faltando alguma coisa.
Joana Dalva usou o poder poucas vezes durante o livro e a última ainda saiu de forma errada. (Se eu contar é spoiler.)
Tudo bem que a JD está mais madura agora e está usando o poder com mais cautela. Só que o que era mais legal da história era ver essa tentativa e erro quando ela usava o poder.
No começo do livro, Joana começa a ter um sonho e tem uma parte que o autor repetiu o mesmo pedaço de sonho. Achei aquilo um bocado chato.
E o livro teve um clima bem saudosista. Ele se focou pouco no tempo "atual" onde ela conta as coisas da escola e do namorado e da Salete e outras coisas. Tiveram muitas histórias paralelas e separadas, que destoaram um pouco da história. Mas foram legais apesar de tudo!
Mas, e o que aconteceu no livro, Anelise? Eu digo: Nada!
O únicos casos interessantes foram a professora de literatura e a menina esquisita que foi zoada, mas o foco delas foi bem pequeno.
Muitas coisas que foram construídas no decorrer do livro ficaram incompletas.
Poderosa sempre teve os problemas levantados fechados no mesmo volume. Ficava um gostinho de quero mais, contudo querendo ver mais aventuras da Joana Dalva.
Foi um livro que foi apenas para me lembrar o quanto eu amo Poderosa! Porém, eu me senti feliz por poder reencontrá-la e frustada porque não foi dentro do que eu esperava.
Pode até ser cisma da minha cabeça. Tenho que ler de novo para ver se é isso mesmo.
Espero mesmo que o autor consiga pegar a essência para um próximo livro!