Tag: Dorama na real

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Pessoas que me inspiram: Asami Imai

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Mais um post dessa sessão que amo fazer. haha Mais uma cantora/seiyuu, porque sim. É ela: Asami Imai.
Eu a conheci graças aos Seiyuu World Brasil, que é o meu blog/site direcionado totalmente ao dubladores japoneses e seus trabalhos tanto nos animes quanto na carreira musical.
Sempre naquelas minhas pesquisas sobre lançamentos de seiyuus, os que já conhecia e para encontrar novos, foi que a achei. E foi amor a primeira vista! Talvez seja porque ela resgata um estilo que a Minorin deu uma abandonada: o up-beat.
Eu tava carente do estilo só, só não conhecia pelo nome mesmo. haha
Sinceramente, nunca vi a Asami em nenhum personagem de anime. Só conheço a carreira musical dela mesmo. E olha, a mulher não canta pouco! haha
E atualmente ela é sim uma das minhas seiyuus favoritas, que adoro pegar uma música ou outra da playlist para escutar. Adoro o pop dela, de verdade!
Alias, ela fazia dupla com uma outra seiyuu que amo muito, Eri Kitamura. E como gosto das músicas delas juntas! Sério!
E essa mulher me inspira tanto, que eu dei uma personagem minha para ela. Ela é a minha Kazuko, de O Diário da Escrava Amada, perdida no mundo. A representação física da Kazuko é ela! (Até a voz também haha)
E quando lembrar da personagem, escuto as músicas dela também. (E ela tem o nome de uma outra personagem. haha) Para lembrar do livro, escuto Limited Love, música dela que escolhi para ser tema dessa história. Os clipes dela foram usados no booktrailer também.
É por isso que ela me inspira. Ela me inspira a continuar esse livro maravilhoso, só com as músicas dela.
Asami, sua linda!

Kyon #18: Minhas experiências no Nyah Fanfiction

sábado, 18 de fevereiro de 2017
Olá! Kyon aqui. =D
Como vão? Eu estou bem, sempre pensando em alguma postagem para fazer aqui para vocês.
E cá estou hoje para falar sobre minhas poucas e breves experiências no Nyah Fanfiction, que é um dos mais famosos sites de fanfic que existem e se bobear é um dos mais antigos também.
Eu fiz meu cadastro lá em 2014 e só publiquei uma história até então, que inclusive já falei sobre no blog: Mate-me se for capaz. (Post sobre aqui!)
Então, usando essa história como base, contarei o que me aconteceu por lá. (Calma, não vou xingar ninguém.)
Primeiro de tudo, fiquem com meu perfil lá no Nyah, com descrição e tal. (E uma foto do melhor shipp yaoi de Suzumiya Haruhi que você respeita.)

Eu postei os dez capítulos entre 2014 e 2015 e ainda não terminei a história. Os leitores devem estar querendo me matar, mas prometo que vou terminar, o mais breve possível.
Enfim, tem uma recomendação da Anelise, como podem ver na foto e tem essa capa que ela fez para mim. Ela não é a melhor capista, admito, mas dá para o gasto. haha
E olha, só um total de 25 em dez capítulos. Estamos no lucro! A média é de uns dois por capítulo, o que para alguém que nunca postou não é ruim.
Se fosse fazer uma avaliação dos comentários recebidos, são comentários bem pertinentes. As pesoas elogiando, surtando, ansiosas pelo próximo capítulos. Coisas normais e super legais de se ler!

E vamos aos contadores... Claro, os contadores do Nyah são muito, mas muito bugados. Eles só contam a visualização no dia seguinte. E teve uma época que ajeitaram os contadores e as visitas foram recalculadas. Até estava nessa época, mas nem fui tão afetado.
Vamos lá... Por ordem... O primeiro são os comentários; depois vem a quantidade de leitores (os que marcaram "acompanhar a história"), o terceiro é "leram até o final", como a história não terminou ainda; os favoritos; as recomendações; e as visualizações.

Então, quais foram minhas experiências no Nyah? Pelo menos essas primeiras.
Fui bem recepcionado com minha história, com leitores legais e que comentaram no decorrer dos capítulos, ou seja, eles realmente estavam acompanhando. (E isso me dá mais peso na consciência ainda de ter parado de escrever. ahah)
Não tenho muita coisa a reclamar, pois tenho pouco tempo de uso do site, ativamente mesmo.
Foi tudo muito positivo e eu ficava sempre animado de continuar, isso é bom.
Enfim, o Nyah é um site bom para quem escreve fanfics e está começando, assim como eu. Não estou mais começando assim. haha
Mas, foi o site mais recomendado pela Anelise para usar. Então segui a recomendação dela e foi isso.
Prometo realmente terminar a história e postar também o conto que falei por aqui no blog também.
Foi isso por hoje! Até a próxima!
Beijos do Kyon!

Top 5 #25: Novelas Mexicanas

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Olá, pessoal. Olha eu trazendo mais um top 5 aqui no blog e dessa vez com um tema totalmente fora do padrão, pelo menos para os visitantes mais recentes. haha
Eu já falei sobre novelas por aqui, mas lá no longínquo ano de 2011. E decidi, por conta dos contadores me apontarem muitas visitas a posts deste tipo, colocá-lo novamente em evidência por aqui, junto com os animes, livros, mangás e vou juntá-los com os doramas, of course.
Bem, hoje falarei sobre as melhores novelas mexicanas que eu já assisti. Só as adultas, depois faço um top só das infantis. Bora!

5- Esmeralda
Coloquei ela neste lugar por ser uma das quais mais me lembro. Sei que tem muitas novelas que são melhores. Mas eu gosto da história dessa moça cega e talz. (E teve versão brasileira uns anos depois.)

4- Amigas e Rivais
Eu já com meus dez anos assistia altas novelas adolescentes. haha Eu realmente me lembro de gostar muito dessa. Uma coisa meio "Quatro amigas e um jeans viajante".

3- Maria do Bairro / MariMar
Thalia <3 Pessoalmente, eu gosto mais de MariMar, por ser justamente a que eu assisti primeiro. E eu sempre lembro das tretas de rolavam nessas novelas. (E ainda calculando como era possível a MariMar viver naquela cabana tenebrosa e também da Maria do Bairro ter meros 30 anos na segunda, sendo 15 na primeira. Olha a pedofilia gente!)
(E claro, que a famosa cena da vilã Soraya com a filha cadeirante rende memes na internet até hoje.)


2- Rebelde
Minha pré-adolescência toda aqui. hahah Longuinquo ano de 2006, quando estava na 8º série/9º ano. Eu não posso nem ouvir as músicas que já sofro de nostalgia aguda.
Alias, sempre gostei de séries colegiais, ainda quero me arriscar em algo nesse estilo em dorama.

1- A Usurpadora
E por que este não seria o primeiro lugar? Essa é, de longe, a melhor novela mexicana da vida. Todo mundo conhece, todo mundo gosta, não adianta dizer que não. Se toca essa abertura já dá nostalgia.
Se bem que ter nostalgia com uma novela que está na sétima reprise é tenso, né SBT?
Paola melhor vilã de novela que você respeita.
E tem a reação da Mandy Candy a como estão os atores hoje.

Bem, pessoal, esse foi o top de hoje. Espero que tenham gostado.
E quais são as novelas mexicanas favoritas de vocês? Respondam nos comentários!

Meu Planner 2017

sábado, 11 de fevereiro de 2017
Olá, pessoal!
Neste ano de 2017 resolvi me organizar.
Então, estava olhando algumas fotos de planners e bullet journal na internet, dicas sobre como fazer, porque eu pego sempre querendo fazer um monte de coisa e não conseguindo fazer nada. Os dias iam passando e as tarefas acumulando. Ainda mais porque adoram me dar uns serviços de secretária aqui em casa. Então, decidi fazer um planner para poder me organizar na hora de fazer as coisas, ai vou marcando bonitinho o que já fiz ou não fiz. Em relação apenas aos afazeres mais pessoais mesmo, não tem nada de tarefa de casa. Tipo, para organizar as postagens do blog, a gravação e edição dos vídeos, coisas assim.
E como odeio coisas prontas, decidi fazer um do zero mesmo, comprei um caderno e fiz os textos no computador e fiz recortes e colagens, ficou bem a minha cara e gosto assim. O modo de organização não é tão padrão, mas vai ser um planner para mim e não para os outros, então ele tem que funcionar para mim.

Escolhi um caderno da Magali, da Turma da Mônica, com espiral mesmo porque acho mais prático. (Até compraria o da Mônica, mas ele era azul.)

Na primeira página coloquei uma frase minha, do conto A Busca da Criatividade, que mesmo com as falhas dele ainda é um conto que amo de paixão e vai estar na Amazon em breve! =D
E temos a capa, aproveitando uns recortes que tirei de uma folhas de rascunho do ensino médio.
Depois temos o calendário do ano, achei que devia ter mesmo, é importante.
E do lado fiz a lista de realizações de 2016, bom ter anotado não é mesmo?

Seguindo para as metas de 2017, prometo não ficar olhando-as o tempo todo, porque eu sei que pode atrapalhar um pouco.
E temos a legenda, que segue mais parte de bullet journal, mas achei válido. Bem básico, sem muita coisa, mas sei que vai ser útil.
E na página seguinte já um visual do planner em si, organizado por semanas. Pode-se ver a data ali. Também decidi usar lápis para preencher, porque eu garrancho muito com essa letra. E podem ver que tem algumas postagens do blog na lista de afazeres.


Bem, pessoal! Este é o meu Planner de 2017, se quiserem posso ir atualizando para vocês saberem se está dando certo. Peço perdão pela minha fala de habilidades em trabalhos manuais, ainda mais algo que envolva papelaria. Mas é do meu jeitinho mesmo e eu amei o resultado.
Eu fiz um vídeo também, para ficar mais completo, mesmo que muitas coisas que falei aqui, falei lá também.
Espero que tenham gostado. Já fizeram algo parecido para se organizar também?
Beijos!

Assisti: 3%

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Antes de mais nada, quero dizer que peguei um mês grátis da Netflix e tô vendo coisa que nem louca e minhas leituras tão tudo atrasada. haha
E uma das primeiras séries que fui ver foi, claro: 3%.
Para os desinformados trata-se uma produção nacional exclusivamente feita para a Netflix.
É uma série curta, tem só 8 episódios de 45 minutos cada.
Conta a história de um Brasil no futuro, onde tudo foi divido, apenas 3% da população escolhidos através do Processo, vão viver nos luxos do Maralto, que é uma ilha. Enquanto os outros 97% continuam a viver no continente.
Apenas os jovens de 20 anos têm a chance de participar do Processo e mudar completamente de vida. E só tem uma chance, senão viverão o resto da vida onde nasceram.
A história é focada em um grupo desse processo, que tem histórias diferentes, porém todas muito difíceis. Acho que o foco maior seria na Michele, Fernando, Joanna e o Rafael.
E claro que nem todos são honestos naquele lugar.
E essa temporada se passa justamente no Processo, acho que o 103º, se não me engano.
No começo a gente vai conhecendo as provas e vê o quão difícil é passar. Tem etapa de entrevista, prova de lógica, prova de dedução, coisas assim. E você fica tenso, especialmente no episódio 4, quem viu sabe. hahaha
Adorei também o foco que deram para contar as histórias dos principais. É ótimo saber sobre os passados e as razões deles.
E também tem o chefe do Processo, Ezequiel, cujo estão tentando tirar do cargo e claro que isso dá um rolo e muita merda. =D
Adorei a série, de verdade. Assisti de mente aberta e me apaixonei. A gente até começa odiando uns personagens, gostando de alguns e depois troca tudo.
Claro que não é uma super produção se for comparar com outras séries que tem na Netflix. Mas, temos bons cenários, boa caracterização e um roteiro foda.
É uma série super representativa, tem negros, tem asiáticos, tem gente com necessidade especial, E ela te coloca para pensar sobre alguns valores, sobre a vida. Coloca alguns valores morais em questão.
E claro, terminou deixando abertura para uma segunda temporada. Espero conhecer mais do Maralto.
Joanna e Rafael são meus favoritos. De longe!
Quem não viu, assista. Vale muito a pena!
Beijos!

A falta de apoio a uma autora

sábado, 4 de fevereiro de 2017
Desabafo de novo... Tem dia que é complicado!
Mais uma coisa dessa vida sofrida de autora. A única parte boa mesmo é escrever, onde você dá vida ao que está dentro de você. Revisar é de boas, nada muito complicado. Um beta, que é alguém que já conhece o seu trabalho também é algo super legal.
Mas, ai, chega na parte da gente publicar e vender. Não estou nem reclamando dos modos de publicação, eu fiz a minha de graça na Amazon. Só das antologias que tive que pagar os livros para revender.
O problema é essa falta de apoio que eu sinto das pessoas a minha volta.
Não estou dizendo que eles tem que me apoiar incondicionalmente, sei que não escrevo nada que eles vão de fato gostar e se interessar a ler por vontade própria algum dia. Mas poxa, pelo menos vir falar comigo e me parabenizar pelo livro, pelo conto e tal. É pedir muito?
Talvez seja porque as pessoas estão sempre muito ocupadas olhando os próprios umbigos e não tenham cinco minutos para se preocupar com um outro alguém. Ou seja que tem tanta coisa na rede social que meu post sobre um livro é só mais um perdido ali no meio. No meio de tantas fotos, de tantas pessoas, de tanta coisa. É difícil se destacar!
E não apenas das pessoas próximas, mas também daquela história de quando a gente posta um capítulo novo do livro que tem online e claro, ninguém dá as caras ou sequer te deixa um comentário e um voto (no caso do wattpad). Assim, sei que demoro muito a postar um capítulo novo, por conta de escrever muitos de uma vez e demorar a passá-los para o computador. As pessoas devem achar que história tá abandonada, mas não, só não tá atualizada mesmo. E é um ciclo eterno que afeta todo capítulo a ser futuramente postado.
Eu tenho é que parar de tentar encontrar justificativas e desculpa do porquê as pessoas não leem tanto assim meus escritos. Eu tento me animar fazendo isso e acabo me enganando profundamente.
Talvez eu só não esteja escrevendo o que eles querem ler, porque a primeira pessoa que agrado com minha escrita sou eu mesma.
Ainda algumas palavras de algumas críticas ainda martelam na minha cabeça e acabam me afetando em momentos de uma estima mais baixa.
Cabeça levantada, porque de qualquer forma, os livros não se escrevem sozinhos não é? Tento me animar de alguma forma. =D
Peço perdão por esse post, mas eu só tenho vontade de colocar o que tô sentindo em forma de texto sem nem me preocupar com o sentido ou algo assim, por isso é um desabafo.
Até a próxima. Beijos!