Degrassi: Next Class

sábado, 19 de agosto de 2017

Vamos falar de mais uma série aqui no blog? =D
Hoje será sobre Degrassi: Next Class. Assisti porque vi indicação dela no facebook. É uma série exclusiva da Netflix. Mais uma das partes de uma série canadense super consagrada: Degrassi.
Toda a história se passa numa escola comunitária do ensino médio.
Isso, para muitos, seria motivo suficiente para não assistir a série. "É só uma série adolescente. Deve ser boba, horrível".
Por favor, não menospreze algo só porque ele é voltado para um público mais jovem. Degrassi tem muitos temas importantes sendo abordados dentro de seus episódios. E nenhum dele acaba ficando "forçado". Temos homossexualidade, transsexualidade, doença crônica, depressão, suicídio (só tentativa), feminismo, aborto, imigrantes, a pressão da faculdade e até da própria série.
Lendo isso, até parece que a série é pesada. Mas Degrassi retrata tudo de maneira até bem didática, o que deixa a série bem leve, mas em alguns momentos fica sim pesado, porque né.
Temos personagens negros, asiáticos, árabes e claro, os caucasianos, canadenses. Cada personagem desta série tem seu momento de foco e sua história contada, a gente entende o que se passa com eles, o que eles sentem e fazem. A gente vive com eles na escola praticamente!
São quatro temporadas no total. Episódios curtos, de apenas meia hora. A série é tão boa que passa até rápido, mas é maravilhosa de assistir.
Minha temporada favorita foi a terceira, de verdade. E a virada da segunda para a terceira foi da bem safada, ainda bem que não esperei muito para que saísse a temporada. haha
Se me perguntarem quais meus personagens preferidos: Yael, Lola, Tristan.
É um série que recomendo e muito. Adolescente sim, mas não menos importante em sua abordagem de temáticas.
Não há previsão de mais temporadas, mas com essas quatro já existentes, um ciclo de personagens fechou e maravilhosamente bem.
Então, quem estiver com vontade de ver um série rápida, Degrassi é um boa pedida.

Bendita Comparação

terça-feira, 15 de agosto de 2017
Tem gente que adora nos comparar com os outros, em qualquer assunto que seja. Parece que vivemos uma competição! Eterna competição!
Começa desde que nascemos e somos pequenos. Quem anda primeiro, quem fala primeiro.
Na briga pelas melhores notas da escola.
Não tem como os outros não te compararem com alguém no mesmo aspecto.
Quem está namorado, quem vai casar, quem vai ter filho. E olha só como você não conseguiu nada disso!
Ainda mais na família, quando comparam uns primos com os outros. Quem está na melhor faculdade, que está com o melhor emprego e quem está nadando em dinheiro.
Só consigo pensar nisso quando se trata de ser escritora.
Mas você não pode fazer tal coisa assim, porque a autora tal fez de outro jeito.
Mas você você não pode fazer isso, autor não se sujeita a isso. Disseram isso a mim quando viram meus cosplays, dos meus próprios personagens. Porque a JK Rowling não faria isso.
As pessoas tem que entender que não somos iguais uns aos outros. Cada um faz as coisas do seu jeito, no seu próprio ritmo.
São diferentes, não tem como comparar. Não precisa comparar! Não há porquê comparar! Isso só gera uma cobrança por nada, por querer ser melhor pelo simples fato de ser melhor.
Então, por favor, parem com essa mania de comparar as pessoas. Todos agradecem!

Top 5 #30: Músicas tema Animelo Summer Live

sábado, 12 de agosto de 2017

Música #01: Minori Chihara

terça-feira, 8 de agosto de 2017

Olá, pessoal! E sejam bem-vindos, oficialmente, a primeira postagem sobre música com este novo formato. Se quiser saber do que estou falando: Música #00 - Apresentação e Explicação.
E por que não ela? Dona da minha vida toda, minha diva suprema do universo (sagitariana exagerada): Minori Chihara.
Minorin (apelido) nasceu em 18 de Novembro de 1980 no Japão. Ela é cantora e dubladora. Uma pessoas tímida e muito ligada a família.
Começou sua carreira no ano de 2004, com o álbum Heroine e também dublando Aya Natsume de Tenjou Tenge.
Porém, só a conheci em 2007, como a Yuki Nagato de Suzumiya Haruhi no Yuutsu. Musicalmente, também neste ano, ouvindo as chara songs do mesmo anime. Como cantora solo, foi em 2008, com o single Paradise Lost e na sequência com o álbum Parade.
E daí por diante nunca mais parei de ouvir as músicas dela. Elas sempre passaram a fazer parte dos meus dias e da minha vida. São infinitos os momentos de inspiração que ela me dá.
A Minorin tem um estilo pop, algumas misturas de rock. Acredito que o estilo dela é único.
Maioria de suas música, de singles pelo menos, são voltadas para os animes, como é com a maioria dos seiyuus (dubladores).
É complicado indicar músicas dela para vocês. Mas, vou mostrar algumas das minhas favoritas.
A começar pela primeira que ouvi: Paradise Lost.

Kimi Ga Kureta Anohi é um dos primeiros singles e que é uma das músicas mais cantadas em lives, como Junpaku Sanctuary, que está ai em baixo também.



E como eu sempre digo pela internet afora, Parade é o álbum favorito dela, talvez até o da vida. Então, lembro de todas as músicas dele com muito carinho e ouço o álbum como se fosse a primeira vez sempre. Uma das músicas dele é o Voyager Train.

Um dos pontos altos da carreira dela foi quando ela pegou #3 no Rank da Oricon, que é o maior ranking de vendas do Japão, com o álbum D-Formation, em 2012.

Mas, sendo sincera, as músicas que mais gosto são especialmente as que tiveram as letras escritas pela própria Minorin. Koi e Ittousei são exemplos vivos disso!
Minori Chihara é minha cantora favorita, como já disse anteriormente.
E ao observar mais atentamente, se percebe que tudo o que ela faz é por amor. Ela realmente gosta de cantar e dublar.
É maravilhoso ouvi-la cantando e dublando. Minorin, rainha!
Enfim, primeiro post de música concluído. Espero que tenham gostado de conhecer um pouco mais do Minori Chihara.
Até a próxima!

Kyon #26: As pessoas se importam?

sábado, 5 de agosto de 2017
Olá. pessoal! Kyon aqui novamente.
Como vão? Espero que bem!
Dessa vez, compartilharei mais um pensamento que tive nessas últimas semanas e foi algo tão forte que senti a real necessidade.
Eu me pego, em minhas longas observações, se realmente a maioria das pessoas se importam de verdade com a gente.
Não quero dizer gente da família. Pelo menos não do lado mais próximo. Esses sim se importam com você, por conta de muito fatores, a proximidade e afinidade são alguns deles.
Refiro-me a pessoas de ciclos sociais mais distantes.
Sempre percebo isso quando, por exemplo, nas redes sociais. Especialmente: Anelise.
Engraçado perceber as pessoas a parabenizando pelo livro publicado e coisa e tal, mas realmente quantos foram mesmo e compraram?
E não foi só no caso de As Aventuras de Jimmy Wayn - O Menino Virgem, foi também com as antologias dos anos anteriores. Tanto que na última ela simplesmente resolveu não comprar para revender. Está com livros destas antologias parados até hoje por aqui.
E por isso, ao observá-la, noto que algumas coisas as pessoas apenas falam da boca para fora. Apenas fingem se importar, se mostrar felizes por você. Quando, na verdade, elas querem mais é que você se dane. Para não dizer algo mais baixo!
E daí que você cortou a franja de novo? E daí que você publicou conto novo? E daí que você fez Moda Personagem? E daí "insira algo aqui"?
Eu não quero saber, não me interessa.
Não que seja querendo alguma espécie de aprovação ou só alguma atenção da pessoas. Mas, é uma ironia perceber que justamente estas publicações específicas serem as mais curtidas. (Quem sabe só não seja o próprio algoritmo do facebook.) E mesmo assim é muito difícil divulgar um livro.
A questão é que, de verdade, as pessoas realmente não se importam com o que você conseguiu ou qualquer coisa que você estiver fazendo. No segundo caso, é até bom, ninguém merece fofoqueiro.
Já no primeiro, é justamente por não saber disso que as pessoas lhe criticam.
Então, fiquem com esta reflexão.
Até a próxima!
Beijos do Kyon!

Música #00: Apresentação e Explicação

terça-feira, 1 de agosto de 2017

Olá, pessoal! Como vão? Espero que bem.
Hoje estou aqui para anunciar mais uma mudança do blog. A esta é referente as postagens de música. Elas serão feitas de outra maneira a partir de agora.
Antes, eu fazia apenas umas reviews de álbuns e eu sentia que dava um pouco de trabalho e mesmo assim, acho que era uma das coisas menos visualizadas do blog, mesmo que eu amasse fazer.
Então, por conta disso, decidi mudar o modo de postagem de música aqui no blog.
Não posso mesmo parar de falar de música aqui, é uma das coisas que mais faz parte da minha vida e que muito me inspira, tanto como pessoa e como escritora.
Maioria das minhas sessões de escrita são embaladas por algo no fundo, desde uma OST de filme ou jogo, algum álbum ou só o aleatório do player mesmo.
Minha mente funciona muito melhor com música. Não consigo imaginar minha vida sem uma música. Acho que tem cada uma para um momento. haha
Enfim, sem mais enrolar vocês: Como serão os novos posts sobre música, Anelise?
Bem simples, na verdade!
Como meu gosto musical é, digamos, diferente e até inusitado, por que não apresentar os cantores e bandas que gosto aqui?
Seguiremos esta linha, a da apresentação. Contando sobre a história do cantor/banda, quando fez sucesso e claro, para deixar mais pessoal, quando eu conheci e com qual música.
Acho que ficará mais divertido para mim e para vocês também. Porque eu gosto de falar do que gosto e vocês vão descobrir coisas novas. Não sei vocês, mas eu gosto muito disso!
E claro, quero fazer com tudo bonitinho, como foto, com perfil completo e compartilhando algumas das músicas no final.
Vou me empenhar em trazer o melhor para o blog. E estou muito animada.
Na semana que vem já começa. Tentem chutar quem vai ser. haha
Até lá!
Beijos!