Resenha #31: The Wedding Eve (Mangá)

terça-feira, 18 de abril de 2017

Olá, pessoal! Cá estou com mais resenha aqui no blog. E sim, de mais um mangá e sim, mais uma oneshot. Porque a vida é melhor com oneshots. haha
Trata-se de The Wedding Eve de Hozumi. Vamos a sinopse e depois falo sobre.

Sinopse: “Só nós”, o tesouro mais triste e precioso de todos. Esta é uma antologia de histórias curtas que compila, além de “The Wedding Eve – A Véspera do Casamento”, outros cinco belos e emocionantes contos, artisticamente imbuídos de lirismo, fascínio e vivacidade.

Apesar de ser um mangá de "volume único", ele esta mais para uma antologia de histórias curtas de Hozumi, como diz na sinopse, sendo o principal The Wedding Eve.
Somos apresentados a várias história diferentes entre si, mas todas muito cativantes. Cada uma das história tem uma sensibilidade tão linda, que a gente lê quase num encanto. E mesmo que algumas sejam tristes, a gente ainda consegue sorrir. Tem coisas que tem sorriso mesmo na tristeza, por conta de lembrar-se com carinho do passado.
Vou citar cada uma das histórias, superficialmente claro.
A Véspera de Casamento conta sobre um casal de irmãos (e eu tava achando que eles eram casal) na véspera de casamento da irmã. Mostrando toda a ansiedade e em como o irmão foi carinhoso com ela neste dia muito importante para a irmão.
Reencontro em Azusa nº 2 é sobre uma menina e o seu pai, que só podem se ver apenas uma vez ao ano. (Se contar porque, é spoiler.)
Irmãos Monocromáticos é o reencontro de dois irmãos gêmeos e o tal reencontro acontece no velório de uma amiga de colegial, que faleceu em virtude do câncer. Os irmãos acabam saindo para beber e se perguntam, mesmo após a morte da amiga, de quem ela realmente gostava na época do colégio. Neste conto a gente vê como a vida pode mudar e em como a gente sempre fica se comparando uns com os outros.
O Espantalho que Sonha (Parte 1 e 2) também é sobre dois irmãos e onde a irmã também vai se casar. Porém, os irmãos estão afastados por outras razões e uns anos antes tinham apenas um ao outro, quando se mudaram para a fazenda do tios, após a morte dos pais. E o Espantalho foi uma fuga para a irmã, já que era o único momento de paz que tinham por ali, pois havia muitos problemas com os outros parentes. Eles realmente não se sentiam bem-vindos na fazenda.
O Pequeno Jardim de Outubro conta a história de uma escritor, com um bendito de um bloqueio. E ele encontra em um corvo e uma garota a inspiração para um novo livro.
E então... é continuação direta do primeiro conto, o irmão adota um gato e tudo é perspectiva dele. E é muito engraçado ver a visão felina sobre nós. Confesso que ele me lembrou muito o Shamisen de Suzumiya Haruhi no Yuutsu. =D
Recomendo o mangá até para quem não costuma lê-los. Sinceramente, daria uma série de episódios bem curtinhos. Uma delícia de leitura!

2 comentários :

Tamara Mansur disse...

Oláá! tudo bem??
Achei muito legal a ideia de conto em mangá! Não leio muito, mas gosto do formato e fiquei bem curiosa para saber como seria esse :)
beeijo

http://lecaferouge.blogspot.com.br/

Gislaine Oliveira disse...

Oiii, Ane. Tudo bem?
Eu ultimamente não estou lendo mangás (eu quase nem lia, agora menos ainda hahhahah), mas a verdade é que eu não ando lendo nada.
Estou numa fase com bloqueio para ler hahahha, mas logo passa :)
Esse eu ainda não conhecia, mas achei bem interessante e acho que também choraria e sorriria com os contos :)
Beijoos
http://profissao-escritor.blogspot.com.br/