Tag: Olimpíadas 2016

terça-feira, 30 de agosto de 2016


Na última semana foram as Olimpíadas Rio 2016. Mesmo morando no Rio, não fui assistir a nenhuma competição por ser muito caro, mas farei questão de ir as paralímpiadas para ver.
A Gih do Profissão Escritor me indicou para responder essa tag de livros relacionado a livros. Espero que gostem das minhas respostas. Vamos!

Cerimônia de Abertura: Um livro com capa bonita
Poderia citar diversos livros aqui, gosto de fotos, de algo mais gráfico, enfim, vários gostos.
Mas eu sou apaixonada nessa capa de Veneno da Saga Encantadas.

País sede: Seu livro de literatura nacional favorito
Eu juro que eu tento ao máximo não falar sobre esse livro, ainda mais em tag, mas não adianta. É o meu livro favorito! E também o favorito nacional: Série Poderosa.

Seleção Masculina: Seu personagem masculino favorito
Vale citar o próprio personagem? Claro que vale. O blog é MEU! HAHAHAHAHHA
Sim, o meu personagem masculino favorito é o Jimmy, de As Aventuras de Jimmy Wayn. Quando comecei o livro, com meus 16 anos, ele era o tipo de protagonista masculino que eu queria ver. E graças a essa moço, descobri que adoro usar a voz masculina. haha (Agradecimentos a pessoa que me inspirou o personagem, com o mesmo nome.)

Seleção Feminina: Sua personagem feminina favorita
N-O-V-I-D-A-D-E! Claro que é a Joana Dalva, gente, por favor. Estamos falando da Anelise aqui e ela é louca por Poderosa. #2bjs

Delegação estrangeira: Livro de literatura estrangeira favorito
Já li alguns livros de literatura estrangeira, mas admito que eu me apaixonei pelo livro do Ai no Kusabi. Alias, vocês sabem que adoro a literatura japonesa, ainda mais os mangás.

Maratona: Um livro que você só leu por causa de um desafio ou de uma maratona
Os Sonhos de Rita. Li através da Book Tour que a Gih organizou. =D

Medalha de ouro: Um livro excepcional
E, para o resto da vida... Já citei esse livro algumas outras vezes. São algumas pequenas histórias, mas que tem um cujo moral que nossa. É sério, gente. Usam com criança esse livro.


Medalha de prata: Um livro quase excepcional
Era uma vez minha primeira vez. É bem legal só pelas histórias, mas acho que esperei até demais desse livro, tipo uns hentai sabe. Anelise foi enganada!


Medalha de Bronze: Um livro que merece ser lembrado
Esse livro, Caso Escola Base, eu li por causa da faculdade e acho que muitos deveriam ler. Para os jornalistas serve como algo a não se seguir, ou seja, apurar melhor os fatos. E aos outros, não acreditar em tudo o que a mídia veicula.


Cerimônia de encerramento: O livro que você está lendo no momento
A Maturidade. Foi por recomendação da minha psicóloga tá? É meio arrastado, mas até que não é ruim.

Somos todos Olímpicos: Indique cinco amigos para fazer a TAG
Faz os cinco fantasminha que quiser. Não tenho quem indicar!

Bem, pessoal, essa foi a tag de hoje. Espero que tenham gostado.
Inté! :3

Kyon #12: Aparições da Anelise como autora - Parte 2

sábado, 27 de agosto de 2016
Olá, pessoas! Kyon de volta com a segunda parte.
E esse é dedicado especialmente a última aparição que foi no programa de TV Direto da Redação. Foi um trabalho da faculdade da Anelise, onde se falou sobre intolerância na web e até de uma forma geral. Mas o foco era o online mesmo!
O bate-papo foi muito interessante e ela falou sobre as duas mensagens que recebeu após divulgar o Moda Personagem em grupos e seus perfis pessoais. E detalhe, ela deu entrevista vestida de Dimitri do Mago Belo.
Confiram!






Espero que tenham gostado. Até a próxima!
Beijos do Kyon!

Precisamos falar sobre... #4: Ela precisou do feminismo?

terça-feira, 23 de agosto de 2016

E voltamos com essa seção do blog, porque mais uma vez se faz necessário.
Na última semana foi o encerramento das olimpíadas e quem acompanhou sabe que o Brasil ganhou exatas sete medalhas de ouro. Mas não é sobre a quantidade de medalhas que vim falar. (Acho uma palhaçada os EUA levarem tudo. Deixa para os outros! Espírito esportivo! haha)
Enfim, quem se recorda qual foi o 1º ouro do Brasil na Rio 2016? Foi da carioca, moradora da Cidade de Deus (uma das maiores comunidades do Rio), Rafaela Silva.
Adorei vê-la ganhando a medalha, ela ter vindo de origem humilde, ser militar e ser lésbica também. Mas o mérito de ter ganho a medalha é dela, que se dedicou ao treinamento e tal.
Mas a questão não é essa! Tem relação com. Por consequência dessa medalha, a seguinte imagem circulou.

Gente, adoro ver essas pessoas que não entendem movimentos e querem falar sobre eles.
Aviso que não falarei em relação as cotas, pois elas não me dizem respeito. E acabarei falando besteira. Mas, quanto ao feminismo eu posso falar e bastante até.
Onde que a Rafaela (ou até qualquer uma de nós mulheres) não precisou do feminismo?
A partir do momento em que podemos estudar, casar ou não, ter filhos ou não, trabalhar fora, participar de olimpíada, etc... Todas essas liberdades, a gente precisou sim do feminismo! Tiveram mulheres antes de nós que não podiam fazer isso e queriam e foram lá e lutaram por seus direitos.
Tem gente que tenta desmerecer a luta feminista dizendo que são só mulheres revoltadas, que põe os peitos pra fora, que queimam sutiã. Enfim, chamam até de "feminazi" né?
É porque só com a revolta que se muda alguma coisa. Porque se a gente tentar conversar não vai adiantar. Mesmo no tempo em que estamos, algumas coisas precisam ser feitas bem parecidas como no início das lutas feministas: Na "porrada", no choque. Só assim podemos ser ouvidas!
Sei que existem mulheres que não se consideram feministas. É um direito delas! Porém, elas devem reconhecer todas as coisas que o feminismo conquistou ao longo dos anos e isso as beneficia agora.
Então, sim. A Rafaela Silva precisou sim do feminismo. Porque para ser uma mulher livre, militar, poder praticar esporte e participar de uma olimpíada, precisou outras mulheres reivindicarem isso antes. Não é mimimi e nunca será mimimi.
Então, por favor, parem de falar merda! Obrigada!

Arrumação I: Tralhas espalhadas no quarto e quadro de imãs (Vídeo)

sábado, 20 de agosto de 2016

Top 5 #20:Melhores Reality Shows

terça-feira, 16 de agosto de 2016

Olá, pessoal! Mais um top 5 hoje. E sim, vamos falar um pouco de televisão.
Eu vejo mais TV a cabo mesmo, quem vê os canais abertos são meus pais. E como vocês sabem existem os realitys shows e sim, assisto e muito. Vou deixar o top 5 dos meus favoritos!
Bora!

5- Girls of the Playboy Mansion / Dr. 90210 (Dr. Hollywood)
Tá esses são aqueles que já tem anos que não assisto um episódio novo, mas quando mais nova adorava ver.
O primeiro só via para rir mesmo, porque de útil mesmo ele não tem nada. (Só serve para identificar o Heff naquela filme "Coelhinha da Playboy" da Anna Faris (Cindy do Todo Mundo em Pânico)).
O segundo falava de cirurgias plásticas, então tinha algo realmente de interessante, além de desmistificar que cirurgia estética era exagero, tem gente que realmente precisa. (Desvio de Septo é um exemplo.) Mas não é para quem tem estômago fraco!
Alias, informação inútil: quando meus peitos estiverem caídos sair eu vou saber. hahahaha =D



4- Bake Off Brasil / Batalha dos confeiteiros
Sim, eu gosto de programa de comida. E por favor, ignoremos o fato do Buddy Valastro ser um machista de carteirinha. (Porque eu vi o reality Cake Boss e tem dia que só falta ele dar porradas nas irmãs, especialmente a Mary. E ele só faz filho naquela mulher dele.)
A versão brasileira é bem legal, melhor que a britânica que vi um dia. Adoro ver aquele povo sofrendo para fazer doce. haha
Batalha dos confeiteiros é interessante, mas o programa foi tão importada e tivemos a versão latina e a brasileira. Mas, nada, nunca, jamais, superará a primeira temporada do original. NÓS TEMOS O GREGORY! (Eu sou apegada aos participantes daquela edição. Desculpa!)
Fora isso, adoro ver esses bolos diferentões e cheios de pirotecnia.




3- O Vestido Ideal / Mude o meu Look
Outro tipo que gosto é desses de mudança de visual. Dá para se ver meu gosto variado.
O Vestido Ideal é um programa que mostra várias noivas comprando os seus vestidos. Alias, adoro ver o empoderamento que eles dão as noivas. Desde as que tem pais ou um parente que quer ter a palavra final ou alguém que não tem uma estima muito boa com seu próprio corpo. Eles realmente ajudam a noiva a se sentir especial no dia dele. (E eu cheguei a conclusão que vou querer um vestido simples quando casar. haha)
Mude o Look segue os moldes de Esquadrão da Moda, mas o segundo chegava a rebaixar a pessoa em alguns episódios. Eles meio que obrigavam a pessoa a vestir o que eles achavam melhor.
O mude meu look é uma mudança psicológica também. A apresentadora sempre faz a brincadeira de colocar as roupas num tubo para ir embora e tal. As vezes a pessoa fica bolada? Fica e muito!
Mas eu gosto que ela mostra para a pessoa que não é só implicância dos amigos ou parentes que a indicaram para participar do programa. Ela sempre faz algum teste e isso mostra a pessoa que a aparência que ela apresenta não tem nada a ver com quem ela é e isso a acaba prejudicando. (Ainda lembro do episódio da designer que se vestia igual criança. E do episódio da stripper também.)
E o legal é que no final do programa ela também dá algum presente para a pessoa transformada. Um curso, algum material de trabalho. É bem legal!




2- Project Runway
Assim, teve uma época na minha vida que eu cismei que queria ser estilista. Alias, gosto de moda até hoje, mas do meu jeito, porque de nome não entendo nada. Li Linhas e Brilhos e fiquei mais perdida que cego em tiroteio.
Esse programa se trata de descobrir um novo estilista, e é basicamente isso. Mas eu adoro ver o trabalho que eles fazem. Adoro essa coisa "making of" que o programa tem. E claro que temos um desfile no final das contas.



1- MasterChef (Junior também) / Face Off
Acho difícil alguém que não goste de Masterchef. Admito que no começo tinha preconceito com a versão BR, mas quando comecei a acompanhar ano passado, me diverti e muito.
Gente, eu vi todas as versões de MasterChef que se possa imaginar nessa vida, mas a melhor para mim ainda é a australiana. De longe! E depois vem a brasileira.
É bom para aprender um pouco sobre culinária, afinal, eu cozinho aqui em casa. Só não arrisco um flambado por razões óbvias.
E o segundo desse item tem que entrar no meu padrão "underground" de ser. Afinal, o que é Face off, Anelise?
Sabe as maquiagens de cinema? Aquelas que fazem criaturas, monstros ou criam os personagens mais diferentes e assustadores possíveis? É disso que o programa se trata.
Eles apresentam novos maquiadores e lhes dão uma série de desafios para descobrir quem é o melhor. (Deu para ver que adoro reality de competição.)
E ele é um prato cheio para autores, porque são sempre temas bem legais: Terror e fantasia são exemplos. Cara, eles são muito criativos. O programa tem o tom de "making of" que eu amo! (Sem contar que a Vi Niel é a melhor jurada do programa. UMA FOFA!)
Gente, por favor, assistam um episódio de tirem suas próprias conclusões.




Bem, pessoal, essa foi a postagem de hoje. Espero que tenham gostado. Eu sei que falei muito em cada tópico, me desculpem.
Beijos!

Um Senhor Estagiário

sábado, 13 de agosto de 2016

Falemos de mais um filme hoje! Eu assisto muitos filmes, mas raramente falo deles aqui.
Este foi uma indicação da minha mãe e assistimos juntas: Um Senhor Estagiário.
É um filme com o ator, famoso e bem experiente, Robert De Niro, onde ele interpreta um senhor, já aposentado e viúvo, que entra em um programa de inclusão de estagiários da terceira idade.
A empresa para a qual se candidatou é relativamente nova, uma empresa que vende roupas pela internet, que alcançou o sucesso em poucos meses.
A dona da empresa é interpretada pela Anne Hathaway. Ela tem um marido e uma filha. O marido largou o emprego para cuidar da filha enquanto a esposa trabalha.
É uma mulher bem-sucedida e que cuida de quase tudo da sua empresa pessoalmente.
O senhor é aprovado e passa a trabalhar na empresa. Ele é designado a tratar pessoalmente com a dona da empresa.
A princípio ela aceita e pede para que ele aguarde e-mails para o que ele deve fazer. E não chega nada, é claro! Porém, ele acaba conseguindo se aproximar usando outros modos. Ele acaba virando o motorista dela.
E é bem legal ver eles se aproximarem e se tornarem amigos. Parecem até pai e filha diria.
E também tem um outro problema: Eles querem contratar um CEO para dirigir a empresa e tá difícil da mulher encontrar alguém que ela goste. A moça é uma feminista maravilhosa. =D
É um filme maravilhoso para se ver numa tarde chuvosa e para pensar sobre vários assuntos. Não quero falar muito porque senão vai acabar com a graça toda do filme.
De verdade: só assistam!

Pessoas que me inspiram: Minori Chihara

terça-feira, 9 de agosto de 2016

Acho que essa é a postagem dessa sessão que mais quis fazer, desde que inventei, mas acho que talvez fossem me faltar palavras suficientes para tal. Na real, ainda acho que não terei palavras.
E hoje falarei dela: Minori Chihara.
Já falei sobre ela algumas aqui no blog. E você sabem que se trata da minha DIVA. Pois é, cada pessoa tem a sua DIVA na vida. E a minha não é uma escritora. Coisa engraçada!
Eu sou tão ligada a música quanto a escrita e isso explica muita coisa. Na maioria das vezes que escrevo preciso ter um fundo musical, qualquer um.
A conheci em 2007/2008, que foi o ano em que comecei a assistir anime legendado e eu vi Suzumiya Haruhi no Yuutsu e ela dubla a personagem Yuki Nagato neste anime. Comecei ouvindo as música da própria personagem e depois fui ao trabalho pessoal dela (isso foi na época do Paradise Lost e do Parade.) e foi amor a primeira vista. E não parei mais de ouvir as músicas.
Admito que uns anos atrás, ela não era minha favorita, mas o seu estilo musical mais adulto me cativou enquanto amadurecia e ela entrou no topo do meu coração.
Suas músicas passaram as fases da minha vida comigo. Mesmo raramente havendo tradução, o significado fica na voz e no ritmo das canções.
Ela me inspira como cantora e também como pessoa. Seu talento também me inspira. E eu tenho um amor secreto por músicas em que a letra foi escrita por ela mesma. Imagino o quanto não são composições lindas.
Ela empala muitos dos meus momentos de inspiração, de escrita, de tentativa de ânimo ou só de uma canção para relaxar. Tanto que, sempre que estou meio para baixo, eu falo: Minorin, me salva. E coloco uma dela para tocar.
Tenho certeza que choraria e muito se visse um show dela ao vivo. Eu ia chorar, gritar, cantar junto. Sou fã surtada dela mesmo! Quando sai coisa nova é grito, berro, soco, DIVA MARAVILHOSA, LACRADORA. haha
Acho que está bom, deu para entender o quanto ela me inspira, na vida inteira praticamente. Acho que é por isso que digo que Ittousei é minha música favorita (ou a única que ouso dizer ser).
Minorin, sua linda!

Kyon #11: Aparições da Anelise como autora - Parte 1

sábado, 6 de agosto de 2016
Olá, pessoal, Kyon aqui novamente.
E hoje trazendo uma postagem um pouco diferente. Para quem não sabe, Anelise faz jornalismo e já participou de algumas reportagens, tanto como entrevistada, como a própria repórter.
Resolvi fazer um compilado dessas aparições dela. Foram poucas, mas são todas válidas. Divulgação nunca é demais.
Serão duas partes. Espero que gostem!



Esse foi uma pequena entrevista feita para um colega da faculdade. Onde ela fala um pouco sobre os livros, a carreira de autora, as experiências adquiridas e como entende o apoio cultural que os autores recebem.



Este é uma participação no Setembro Nacional, feito em Setembro de 2015 no My Queen Side.
Trata-se de um texto, muito bem escrito por ela, com o tema de fanfic e se elas são importantes ou não para um autor que está começando.
Vale a pena conferir!



Este último também foi para uma colega de faculdade, onde a mesma falou sobre as diversas autoras que também são estudantes de jornalismo.
O que é falado sobre ela está na imagem, foi bem curtinho, mas ainda assim importante para divulgar o trabalho.

Bem, é isso por hoje, pessoal.
Postagem bem curtinha mesmo, porque são apenas as citações.
Em breve, a segunda parte.
Beijos do Kyon!

Tag: Amo/Odeio

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Olá, pessoal! Post pós-viagem, então tem que ser bem rápido porque a gente fica cansado quando volta de viagem né?
Voltamos ao ritmo normal depois de uma semana sem postagens novas. =D
Hoje teremos uma tag bem simples: Amo/Odeio. O nome é auto-explicativo. Confiram!

10 coisas que amo

1- Meu namorado
2- Minha família
3- Meus livros
4- Música (Japonesa principalmente)
5- Animes
6- Mangás
7- Youtube
8- Doramas
9- Ler
10- Jogos

10 coisas que odeio

1- Falsidade
2- Preconceito
3- Os "fobias" da vida: Homofobia, transfobia, etc.
4- Rosa (Sério)
5- Gente que reclama de conteúdo dublado
6- Quando a internet cai
7- Críticas destrutivas
8- Pessoas que se metem na vida dos outros
9- Pudim de pão
10 - Jiló (Nunca comi, mas a cara da minha prima me bastou para saber que ia odiar.)

Bem, essa foi a tag. Espero que tenham gostado!
Beijos!