Resenha #26 :Boy's love 2

sábado, 23 de julho de 2016

Trazendo mais uma resenha para o blog. E é do Boy's Love 2, que não é dois, mas a gente chama ele assim porque sim.
E claro, teremos direito a uma fujoshi surtada nesta resenha. Assim como foi na outra.
Depois da sinopse falarei o que achei do livro.

Sinopse: Para amar e ser livre. Sem limites.
Boy’s Love ou yaoi são apenas formas de descrever o fenômeno que surgiu no Japão e conquistou o mundo. Histórias cheias de sensibilidade e afeto, protagonizadas por rapazes em relações homoafetivas, uma maneira de ver a vida que abre as portas da fantasia e se aprofunda no questionamento sobre o que é certo ou errado. Viaje para o mundo dos mortos ou descubra lindos seres que só poderiam sair dos tomos da mitologia. Nessas páginas o terror e a ternura serão apenas preliminares para o que não pode mais esperar.
Em Boy’s Love – Sem preconceitos, sem limites, a paixão fala mais alto e é a tônica nesses encontros. Lemon é um termo que virou sinônimo de ficção cheia de cenas picantes e sem restrições para o prazer. E nessa edição, é também o nosso tempero para experimentarmos sem pudores o que as palavras podem expressar.
Organizada e ilustrada por Tanko Chan, que também participa com um conto, essa antologia traz deliciosas histórias por Dana Guedes, Claudia Dugim, Nuno Almeida, Márcia Souza, Priscilla Matsumoto, Karen Alvares, Vikram Raj e Blanxe.
Quando as primeiras peças de roupa caírem no chão, beijos e carícias guiarão a existência dos amantes. Não haverão mais barreiras para esse amor. Isso já ficou para trás.

Como disse na resenha do Boy's Love 1, esses livros foram as minhas alegrias da bienal de 2015. Melhores compras! Yaoi é sempre bem-vindo. haha
E temos novamente um prefácio da Tanko-chan, a organizada, falando mais sobre o gênero yaoi e o lemon especificamente e os contos em si. Bem pincelado para não ter spoiler! haha
Diferente do primeiro, esse livro é mais focado no lemon. Então sim, "le potaria" rola solta. Na verdade, até achei que fosse ser bem mais do que está no livro. Em alguns do contos foi muito rápido. Tudo bem que não precisava dar um foco só nisso, mas podia ter sido um pouco maior né? Para fazer fujoshis felizes.
Mas essa falta foi compensada com contos com maravilhosas construções, acontecimentos e personagens. Vamos desde universos fantasiosos e futuristas até mesmo o nosso mundo normal. Isso tudo foi bom de alguma forma, porque tem realmente muitas histórias com lemon que é só lemon mesmo, a história deixou um tom a mais quando os personagens foram aos finalmentes.
Difícil escolher um conto favorito entre os nove, que são: Daruma; Lolipop; No amor e na Guerra; O Cola de Scheherazade; O reflexo de dokkaebi; O sentimento; O palácio dos Rakshasas; Perfect Mistake e Maçã.
Cada conto é um surto de fujoshi e um coração fujoshi partido e/ou feliz e claro, a necessidade de uma transfusão de sangue mais que urgente. (Piada de Fujoshi. Algo tipo assim!) Dá vontade de ler tudo de novo para aproveitar de novo os personagens e tudo o mais.
Outro ponto positivo (e surtante) são as ilustrações da Tanko-chan. Algumas só destoam de aparências descritas nos contos, mas isso é só detalhe mesmo.
O único conto que tive dificuldade de compreender foi o Maçã, mas porque a história envolve viagem no tempo e isso por si só já é complicado o suficiente. Mas amei o conto de qualquer forma.
Amei esse livro, ouso dizer até mais que o Boy's Love 1. =D

Bem, pessoal, essa foi a resenha de hoje. Espero que tenham gostado.
Beijos!

Precisamos falar sobre... #3: Idols asiáticos

terça-feira, 19 de julho de 2016


Acho que estou postagens desse tipo um pouco demais, mas o meu eu problematizadora tá sendo atiçado demais nos últimos tempos. haha
Esses tipos de notícia sempre circulam pelo menos no meio famoso asiático. Calma, que eu vou explicar.
Resolvi fazer a postagem por conta de um assunto polêmico que surgiu na semana passada. Foi em relação ao seiyuu Hiroshi Kamiya ser casado e ter uma filha. (Vocês podem ler melhor aqui.)
Talvez ao ver de vocês isso nem tenha "nada demais", mas o buraco é bem mais embaixo quando estamos falando de idols asiáticos de uma forma geral.
Este tal casamento era escondido até então, mas acabou vazando uma foto do moço carregando uma criança e o rumor foi levantado novamente. Sim, não foi a primeira vez.
Para quem não sabe, muitos artistas asiáticos tem em seus contratos uma cláusula que proíbe relacionamentos. Alguns podem até não ter, mas assumir já é algo complicado.
Imaginemos os personagens de anime. Tem pessoas que são apaixonadas por eles e são até casados com esses personagens. Mas, o personagem sempre será o personagem. Ele foi criado para ser "perfeito". (Ainda mais se tratando das Moe da vida.)
E essa mesma situação ocorre com os atores, cantores, etc. Eles são endeusados e fabricados em cima de uma imagem perfeita, imaculada. E muito tem medo de quebrar isso, por conta da retaliação.
O Hiroshi Kamiya foi infinitamente xingado pelas fãs. Acabou que ele confirmou todos os rumores numa coletiva.
Mas, ai eu me peguei pensando que isso não é estranho de acontecer. Casos de fãs surtados, que xingar e alguns até que chegam a atacar fisicamente o tal famoso.
Acompanhei algo parecido em 2010 com a Aya Hirano, onde ela declarou em uma entrevista que já havia namorado e um rumor sobre ela ter dormido com membros da banda dela também surgiu. Foi bem semelhante ao que contei acima. Fãs rasgaram coisas, mandaram "Morra" em redes sociais. Isso manchou a carreira da Aya terrivelmente e ela perdeu toda a popularidade que tinha. Trocou de agência e de gravadora inclusive.
O caso do Hiroshi foi mais tranquilo, acho eu. Ele recebeu apoio da agência e isso já um ponto muito importante, porque realmente existe umas agências bem filhas da puta.
Vocês podem procurar o que já aconteceu membros do AKB48. Uma chegou a raspar a cabeça porque foi vista saindo com um garoto na rua. (Ela tem essa de "não podem se relacionar".)
Outras foram atacadas durante um Meet & Greet.
Infelizmente, tem alguns fãs que são realmente doentes e perturbados. Mas a culpa não é só deles, também tem as empresas/agências que fortificam ainda mais a imagem extremamente perfeita e endeusada deles. Eles são pessoas normais como nós, ser perfeito é algo impossível.
Bem, era isso que eu tinha para falar. Foi um assunto polêmico e que talvez muitos não entendam. Achei importante falar. Eu sinceramente acho que isso tem que parar de acontecer. É perturbador!

Kyon #10: Personagens alter ego

sexta-feira, 15 de julho de 2016
Olá, pessoas! Eis o Kyon aqui.
E na postagem de hoje falarei sobre um assunto que considero muito interessantes: os personagens alter egos da Anelise. =D
Acho que todo autor acaba colocando um pouco de si nas histórias e principalmente nos personagens, mas sempre tem aqueles que acabam recebendo um pouco mais do que outros e em alguns casos são a personificação do próprio autor dentro da obra.
Vou colocar uma definição aqui:

"Na Literatura, o alter ego significa a identidade oculta de uma personagem, que pode ser também uma estratégia usada pelo autor do livro para se revelar indiretamente aos leitores."

E vai dizer que vocês nunca ficaram analisando algum livro em busca de um personagem que praticamente representasse o escritor ali. Eu, por exemplo, já fiz isso. Alias, ainda faço. Principalmente com os livros da dona deste blog. (Eu sou só um colaborador.)
Então, falarei hoje dos personagens dela que mais poder-se-ia dizer ser alter egos dela.
Mas, para ter certeza só perguntando a ela mesmo. haha
Sem mais delongas vamos a minha análise.

Anelise - As Super Agentes

Acho que esse é mais do que óbvio, a começar pelo nome ser exatamente o mesmo.
As Super Agentes é primeira história dela e a que começou toda essa coisa de escritora na vida dela, nada mais justo do que se colocar nela.
Até as duas melhores amigas da personagem eram as amigas do colégio. Acho que foi tudo consequência da entrada dela na nova escola. Ela sofreu um pouco com isso!
Ai veio a dificuldade por conta da miopia que começou a aparecer. Foi tudo em cadeia mesmo!
E no início, elas podiam ser consideradas a mesma pessoa, mas com os anos passados a personagem se afastou um pouco da autora, mas ainda tem bastante dela.
Alias, Anelise costuma dizer que ela é uma versão melhorada dela mesma. "Tudo o que eu não sou, ela é!"

Amélia - Entre os punhos e a arena

Se seu nome não fosse Anelise seria Amélia. A personagem usa óculos, é formada em Jornalismo. Só tirando a parte do esporte que é a diferença.
Alias, tem mais um alter ego nessa história: Ique, que é o Marc, o lutador da história.
Acho que a Amélia também tem a mesma determinação que sua criadora tem, um senso de amizade e um amor pelos esportes, mesmo não os praticando. (E o amor por um lutador também conta? haah)


Samira - As Aventuras de Jimmy Wayn (Personagem a esquerda na foto)

Esse é um que é mais escondido, tem que ter conhecimento sobre a autora para descobrir.
A começar porque Samira "dá uns pegas" no Ique no primeiro livro. (Spoiler. Haha) (Aka Namorado dela de verdade.)
Ela tem o jeito da Anelise em alguns momentos. O jeito fofo e tímido, as vezes talvez até um pouco indefesa. Além da aparência física é claro. Mas isso é tópico em comum nos alter egos.


Bem, pessoal, essa foi a postagem de hoje.
Quem é autor ai? Tem algum personagem que poderia ser considerado você na história? Respondam nos comentários!
Até a próxima!
Beijos do Kyon!

Tag: Híbrida

terça-feira, 12 de julho de 2016

Fui indicada pela Gih do Profissão Escritor a responder esta tag. Achei bem legal e farei! (E obrigada a indicação, Gih!)
Só deixo avisado para os novos (e relembro aos visitantes de sempre) que a pessoa aqui é indecisa para responder tags de livros. (Obs: Sim, olhei a minha estante. haha)

Elizabeth: Um livro que você leu (emprestado ou alugado) e nunca mais achou outro exemplar.
Meus primeiros "Turma da Mônica Jovem".
Emprestei a um dos primos do meu namorado e nunca mais vi desde então. E acho que nem verei. (Tá meio fora da proposta da pergunta, mas não tenho nada melhor que isso para a situação.)


Ellene: Um livro que você estava indeciso se seria uma boa leitura, mas foi até o fim para descobrir.
Garota Replay da Tammy Luciano.
Só tinha gostado da sinopse e da capa, como na maioria dos livros que compro. Fui com a cara e a coragem. (Alias, com todos os livros é assim.)


Heidy: Um livro com um vilão que você detestou e torceu para que ele morresse.
Lisícrates de Entre Vidas: Kiara.
O cara é o general romano que faz uma bagunça na vida de todo mundo. Não conheço ninguém que tenha lido o livro e não queria que ele morresse.


Nicolae: Um livro com um personagem secundário importante para a trama e de quem você não sabia se confiava ou não.
Rainha de Copas de Alice no país das maravilhas/Alice através do Espelho.
Venhamos e convenhamos que a Rainha não bate lá muito bem!


Milosh: Um livro com um protagonista destemido, porém depressivo.
Katherine de Sangue dos Deuses.
A menina acabou de perder a família toda, descobriu ser semi-deusa e sobre a missão que tem. É muita porrada para não ficar deprê.


Jacó: Um livro com um irmão mais velho ciumento.
Shimada-sensei de Tenshi: um anjo sem asas.
Ele é super protetor com a irmãzinha Kaori. Afinal, são apenas eles dois.


Carol: Um livro que te deixou curioso e você deseja ler em breve.
Destinos de Papel da Luciane Rangel.
Quero mesmo conhecer mais desta autora super fofa! =D


Tomás: Um livro que você amou e te decepcionou no final.
Pode ser série que você ama e te decepcionou? Se sim, já sabem bem a resposta: Poderosa 6.
Só ler minha resenha que dá para entender. (A série podia ter morrido junto com o Klein mesmo. Sério!)


Blogueiros indicados para responder a Tag
Vou indicar a Bia do O Diário de uma Escritora Iniciante.

Espero que tenham gostado desta tag. Desculpa se algumas repito os livros, não posso evitar.

Quando pessoas conhecidas assistem seu canal (Vídeo)

sábado, 9 de julho de 2016

Bloqueio de autora

terça-feira, 5 de julho de 2016

Todo autor tem esses momentos em que nenhuma frase consegue ser escrita sem ser apagada sem ao menos chegar ao seu fim. Ou até mesmo quando frase alguma consegue sair. Damos a isso o nome de bloqueio! 
Todo autor o enfrenta ou vai enfrentar um dia. O que pode causá-lo?
Depende de pessoa para pessoa. Pode ser um mal dia, um desanimo, ansiedade, entre muitas outras razões.
Nada sai, nenhuma ideia nova vem, nada acontece. Só surge uma frustração terrível de estar "preso" num bloqueio. Mas, na minha humilde opinião, acho que se forçar a escrever nesse período, que pode ser de alguns minutos até meses/anos, pode piorar a situação. Vai levar a uma exaustão desnecessária e uma frustração ainda maior.
O que eu aconselho quando me perguntam sobre é: Deixa o bloqueio para lá. Vai fazer qualquer outra coisa e que te inspire.
Ver um filme, ler um livro, sair para passear, ouvir música. Qualquer coisa que te tire do foco da escrita, que sirva para relaxar a sua mente, colocar tudo no lugar e as ideias e textos fluírem naturalmente,
Assim que eu lido com o meu bloqueio, abraço o momento e aproveito para fazer qualquer outra atividade, que me estimule, que me bote para cima e me dê novas ideias e a inspiração que se perdeu por conta de uma pressão que o autor pode colocar em si, mesmo que inconscientemente.

Top 5 #19: Músicas que gosto e que não são asiáticas

sábado, 2 de julho de 2016

Olá, pessoal, sejam bem-vindos a mais um Top 5 aqui do blog. E sim, vamos falar de música de novo, orque eu gosto. hahaha
Hoje trago uma proposta diferente. Vocês sabem que eu vivo falando de música japonesa (e asiática) por aqui. Mas, vocês devem sempre se perguntar: Ela só escuta isso?
Uns anos trás a resposta seria sim, mas atualmente estou variando. Saindo um pouco do espectro Japão e indo para outros países.
Este é o TOP 5 de músicas/bandas/cantores não asiáticos que eu gosto. Então bora lá!

5- Estilo Medieval/Inspiração para escrita/Instrumental
Uso mesmo para ajudar na hora de escrever. São sempre instrumentais muito bem feitos e que se bobear grudam na sua cabeça. Vou deixar uma em estilo medieval de exemplo.

4- dArtagnan
Nessa postagem vocês vão perceber outra coisa sobre mim: Adoro música alemã. hahaha
Esse grupo conheci tem poucos meses, mas amei e muito. Eles são um grupo novo inclusive.
Fiquem com Seit an Seit. (Obs: O loiro do meio é meu. THX)

3- Oonagh
Mais música alemã! haha
Essa moça só conheço por conta dos feat que ela fez com o Santiano. (Sobre o qual falarei abaixo.)
Digamos que ela seja cantora de pop.

2- Pellek
Única coisa em inglês dessa lista. haha Mas o cara é Norueguês. Mais um motivo para ir para lá!
E sim, eu gosto um pouco de metal. Pellek tem covers e músicas originais maravilhosas. Sem contar que a própria voz dele.... Gozei! hahaha

1- Santiano
Vou ser sincera sobre o motivo que me levou a me apaixonar pelo Santiano. Eu fui olhar uma história sobre piratas e era uma música deles que foi usada: 500 Meilen. Foi amor a primeira vista!
Na época tava com uma história medieval na cabeça e o estilo deles encaixa tanto nisso. AI pronto! Já perdi as contas de quantas vezes coloquei os álbuns deles para fazer sei lá o quê.

Esse foi mais top 5, pessoal. Indicação de músicas mais underground que a japonesa. haha
Mas, fazer o quê? Simplesmente amo coisas underground!
Até o próximo top 5!
Beijos!