Tag: E se eu te perguntasse...

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Pinterest

sábado, 20 de fevereiro de 2016

Lá vou falar desse site, ou até rede social, que salva por muitas vezes a minha vida.
Eu encontro no pinterest fotos que o google jamais de mostraria nas minhas pesquisas.
Maioria, para não dizer todas, das fotos de postagens com textos aqui no blog foram encontradas no pinterest.
Além de ser um salvador de posts. Também é salvador de capas e de dreamcast.
O Pinterest é um site de compartilhamento de fotos, sejam fotografias ou artes. Ele compila de toda a internet afora. Uma boa busca com palavras e inglês e você vai encontrar o que procura. E é uma foto mais linda que a outra.
E tem para todos os gostos, desde anime até bichinhos fofos e bebês. haha
E o nome vêm da palavra pin, em inglês, que seria um alfinete.
O seu mural no pinterest é um grande quadro, igual aquele que tem nas escolas, com coisas coloridas e avisos e coisa e tal. Cada uma das fotos é presa por um desses alfinetes, que formam um painel colorido e que tem a sua cara.
Pinterest é só amor nessa vida! Sempre entro lá para ver umas artes e fotos legais.

Pressão por ser escritora

terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

Devem estar se perguntando: Anelise, que diabos de título é esse? Calma que eu explico!
Sabe quando tem aqueles eventos ou até uma simples reunião de família.
Eventos me que se deve escrever em algum momento, e as pessoas sabem que você é escritora ou quando a sua família descobre sobre seu dom literário.
Aí todos eles já montam uma expectativa acerca de você. Que vai sair o melhor texto e com a escrita mais impecável. Ou eles passam apenas a observar as suas simplesmente tudo o que escreve, até aquela postagem da zoeira em que se escreve errado propositalmente.
Essa é a pressão de ser escritora. Ter diversos sempre de olho. Só que há dias em que a vem uma trava, um bloqueio, ou não sai nada ou quase nada. O pouco que vem é uma bela de uma porcaria.
Ou quando você se arrisca em algo que não é lá tão "a sua praia". 
Ainda lembro o dia em que num desses eventos de espírita, tivemos que fazer uma poesia. Acho que é claro para todos que eu sou prosista, exatamente o oposto.
Então começou aquela: Ah, mas ela é escritora. Vai sair coisa boa.
E aí, eu acabo me pressionando, como se já não fizesse isso normalmente, por conta de mais um expectativa em cima de mim. É eu fico: Tem que ser um texto bom. Tem que ser um texto bom.
E sabe o que acontece? Acabo escrevendo um texto ok (eu tô ouvindo muito nerdcast), mas que eu simplesmente acho que está uma merda.
Escrever para mim é algo muito natural e solitário. Eu só sendo e deixo a minha imaginação me levar. O único compromisso que tenho é agradar a mim mesma. Se eu estiver sorrindo, sei que o texto será bom. Porque eu sempre coloco um pouco de mim no que escrevo.
Claro que existe a pressão pessoal, como disse um pouco mais acima, porém, ela é mais branda, mais de boas. Justamente de ser de mim para mim. Só eu sei o que passo para escrever, se eu tive um mal dia, um bom dia, etc. Coisas assim alteram a inspiração de uma forma.
Então, se existe algum escritor na sua vida, por favor, não fique exigindo ou levando altas expectativas sobre os escritos dele. Tem os bons dias e os maus dias, é assim com todo mundo.
Deixo-o com o seu precioso momento de escrita, onde ele fica lá na dele. Não pergunte, não queira ler. A não ser que ele permita que isso seja feito.
Ele já pressiona o suficiente sozinha, não há necessidade de mais um estímulo externo.

Kyon #2: Entrevista com Anelise - Sobre os 10 anos como escritora

sábado, 13 de fevereiro de 2016
Olá, Minna-san! Kyon was back, bitches!
Trazendo mais uma postagem para vocês. E atendendo a pedidos da própria Anelise, repostarei a entrevista que fiz com ela em Setembro de 2014, lá no Blog do Kyon.
Era costume eu fazer algumas entrevistas com ela já. Tivemos sobre ela mesma e sobre diversas das histórias. Não cheguei a fazer de todas, mas quem sabe não faça aqui né? Sempre válido!
E entrei na onda de comemorar os 10 anos dela escrevendo junto com ela. haha
Acho que não tinha jeito melhor de homenagear a autora que eu mais amo nesse mundo.
Fiquem com a entrevista. Espero que gostem!

Entrevista com Anelise - Sobre os 10 anos como escritora

1- Por que começou a escrever?
Comecei porque era divertido. Eu comecei com As Super Agentes, que era algo do que eu brincava na época. Eu quis dar vida a aquelas meninas que inventei e tanto adorava. Era legal contar as aventuras delas e as coisas que passavam no colégio.
Deve ser também porque eu queria matar a minha saudade do primário, afinal, meu início de fundamental II foi meio conturbado.

2- Como se sente ao completar estes 10 anos?
Eu me sinto muito feliz! Não é qualquer pessoa que consegue colocar o que pensa no papel e que se mantém fazendo isso por tanto tempo.
Sinto-me até mais completa. É uma marca pessoal, mas importante.

3- Acha que algum dia vai parar de escrever?
Jamais. Eu não consigo mais me imaginar sendo alguém comum, que só escreve redações para concursos ou para provas. Não sou mais disso não. Nunca mais conseguirei não escrever o que me der vontade, simplesmente porque deu vontade. Haha

4- Como você se considera como escritora?
A mais maluca possível. Eu me considero alegre, bem romântica e até pervertida. São justamente os temas que mais escrevo: comédia, romance e hentai.

5- Já teve ideias que nunca colocou no papel?
Claro que já! Algumas até mais antigas do que As Super Agentes. Não que fossem ideias ruins, só não houve aquele quê para eu precisar pegar o papel e começar a rabiscar. Foi melhor para elas ficarem apenas na minha cabeça.

6- Você amadureceu nesse tempo, tanto como pessoa como em relação a escrita?
É até um bocado óbvio, mas sim. Passaram-se dez anos, passei de uma criança para uma jovem adulta. Ou seria adolescente? Haha
Em relação a escrita foi deixando de ser uma coisa infantil e, em alguns casos, um pouco zoada, para se tornar algo mais sério, mas com a leveza e fluidez que fazem parte do meu vocabulário simples ao escrever. Até porque não gosto que tenham dificuldade para me entenderem. Se bem que não é o que acontece. Haha

7- O que usa de inspiração para escrever?
A vida. A vida sempre é uma boa inspiração. Além dela também tem os filmes, os animes, os mangás e as músicas. Todos estes também ótimas formas de se inspirar.

8- Já escreveu algo que nunca mostrou a ninguém?
O meu diário? Haha
Bem, isso não deixa de ser verdade. As coisas que tem a ver com os meus sentimentos, geralmente quando algo está tão engasgado em mim, alguma raiva ou tristeza. Eu escrevo um texto bem bobo só para tirar aquilo de mim e não mostro a ninguém, simplesmente guardo.
Quantos as histórias, acho que não teve nenhuma não. Eu sempre acabo mostrando pro Ique mesmo. Haha

9- Acha que um dia será reconhecida?
Assim espero! Não me acho a melhor escritora do mundo, nenhuma JK Rowling ou um Tolkien, mas eu me esforço a minha maneira. Espero que seja reconhecida pelo o que eu escrever e não por ser comparada a um outro autor do mesmo estilo.
Quero cativar os meus leitores e que eles gostem do meu jeito de escrever e de ser também.

10- O que diria aos seus colegas escritores?
Estamos todos no mesmo barco! Ser escritor não é mole não!
Se bater um desânimo, não se deixe levar por ele. Acontece muito isso. Eu sei como é. Apenas dê tempo ao tempo e um tempo a você.
Não se esqueça do que é capaz de fazer. Muitos queriam ter o seu dom.


E também temos um jabá em vídeo. haha Teve série no Canal do Contos Anê em comemoração dos 10th Writer Anniversary.
Neste ela conta toda a vida dela enquanto começou a escrever os livros. (Quem sabe não faça um post sobre o Contos Anê?)
Fiquem com o vídeo! Até a próxima!
Beijos do Kyon!

Resenha #21: Entre Vidas I - Kiara

terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

Hey, Minna-san! Anelise trazendo mais resenha para vocês. E dessa vez de doisa jeitos: uma escrita e em vídeo. Achei que esse livro merecia. =D
Enfim, o livro em questão é Entre Vidas I -  Kiara da autora Juliana Leite, que eu conheci na Bienal inclusive. (Post da Bienal)
Primeiro a sinopse e depois falo sobre. (Talvez repita algumas coisas do vídeo, mas ok!)

Sinopse: Kiara passou toda sua adolescência em Ávalon, estudando para se tornar uma sacerdotisa da grande Deusa. Porém, diante do assassinato de seus pais, ela se vê com uma imensa responsabilidade em seus ombros: ajudar seu irmão mais novo, Edímion, a governar Atlântida. Há mais de três mil anos a cidade era a joia do Mediterrâneo. Rica e próspera até despertar a cobiça dos atenienses. Quando a ilha é atacada novamente, Kiara se vê obrigada a buscar aliados, fazendo uma jornada das areias do Egito à Atenas e enfrentar personalidades poderosas. Com a ajuda de Leran, um encantador druida e de Dárien, um misterioso arqueiro.
Entre Vidas I nos levará em uma aventura magnífica entre mitologias e lendas perdidas. Uma história onde uma princesa terá que virar uma guerreira para salvar sua família, seu povo e o grande amor de sua existência.

O livro conta a história de Kiara, uma garota de 20 anos, com cabelos ruivos e olhos castanhos. A jovem estuda em Ávalon, que é uma "escola" para moças. Ela estuda lá para ser a Grã-Sacerdotisa de Atlântida e ajudar seu irmão Edímion a governar. Ainda faltavam dois anos para ela concluir seus estudos. Até que, em uma noite, sua mestra, Morgouse, a acorda e fala que ela tem que viajar para Atlântida imediatamente, porque ela sentiu que aconteceu algo lá. Não sabia o que era, só sabia que Edímion precisaria dela.
Após algumas semanas de viagem, Kiara chega a Atlântida e após ser confundida pelo general do exército atlante, Dárien, ela descobre que terá que cumprir sua função mais cedo do que esperava.
Seus pais, os governantes de Atlântida foram brutalmente assassinados durante uma invasão ateniense a ilha. E com a luta, a cidade perdeu muito soldados, sem contar a enorme seca que se instaurou.
Eles descobrem um traidor no conselho, Edímion foge para Atenas atás de sua amada. E os outros, para não morrerem, fogem para o Egito. Como tentativa de resgatar Edimion para reaver Atlântida.
Eis que rolam muitas tretas. É tanto coisa que acontece e acho que já contei demais a vocês.
A história consegue mesclar muito bem o romance, ação e a fantasia. Adorei a diversidade de nacionalidades dos personagens. Temos atlantes, gauleses, atenienses, egípcios e chineses.
Adorei também como diversas culturas também foram apresentadas.
E eu fiquei simplesmente apaixonada pelo casal Dárien e Kiara. Meta de relacionamento na vida! haha
Primeiramente, a Kiara se envolve com o Leran e parece sentir algo por ele, mas não acha que seja tão forte assim. E gente, quando ela descobre que tá apaixonada pelo Dárien... ME SEGURA ROSANA!
O livro tem uma leitura bem fluida, não cansa em momento nenhum. Com bastantes diálogos. Você só quer ler mais e mais!
Um ponto ruim do livro são os muitos erros de revisão. Deve ser por conta de que a própria autora fez a revisão, então acabou "passando" muita coisa.
Este é o primeiro livro de uma saga de quatro. E era uma original no Nyah Fanfiction que eu sempre quis ler. Nunca li e comprei o livro.
Nesse ainda não acontecem as coisas de reencarnação, a partir do próximo apenas. A história da Kiara é bem amarradinha, então o segundo livro (Lise) vai ter uma história complemente nova.
Enfim, super recomendo Kiara para vocês. Leiam e conheçam essa história!

E a resenha em vídeo, que acrescenta um pouco mais.
Beijos!

High School Musical

sábado, 6 de fevereiro de 2016

Lá vou eu falar de mais um filme aqui no blog e um filme "velho" ainda por cima.
Pode parecer mentira, mas HSM completa 10 anos em 2016. Ainda lembro da Anelise de 13 anos que assistiu esse filme pela primeira vez no Disney Channel e ficou simplesmente apaixonada!
Na época, como adolescente, não entendi muito bem os motivos. Achei que era um filme legal e musical e só isso! Nunca parei para analisar o filme.
Mas ai, em uma bela manhã de sábado, o filme estava passando em um canal da TV a cabo e decido assistir, por conta de toda a nostalgia. Ai sim que eu fui analisar mesmo o filme!
E cara, sabe o que eu percebi? High School Musical é um filme que quebra vários de filmes adolescentes. Calma que eu explico!
Quando vocês pensam em filme do gênero, vocês imaginam uma garota excluída que tem um crush no esportista popular e que acaba sofrendo bullying por conta.
Ok, HSM tem isso! Mas é tudo apresentado de uma forma diferente.
Os personagens tem os seus estereótipos, mas muitos deles querem quebrar isso.
Troy, nosso esportistas popular, conhece Gabriela, a Nerd/Excluída/Aluna nova, na virada do ano, quando eles cantam uma música no karaokê.
Então, Gabriela vai para a mesma escola de Troy e história desenrola dai.
Troy quer fazer outra coisa além de jogar basquete. Gabriela quer fazer algo diferente na escola nova. Então, eles se interessam pelo teste do musical do colégio.
Ninguém além deles dois quer mudar seu papel na escola. Os amigos de ambos ficam incomodados e até tentam impedi-los e continuar os testes, mas é claro que a vontade deles é mais forte.
E outra coisa, a "vilã" da história, a Sharpay, não implica com a Gabriela por causa do Troy (isso só acontece no segundo filme, que é uma bosta), mas sim porque estão querendo mexer no espaço dela. E em nenhum momento o filme força uma relação entre o Troy e a Gabriela, eles ficam só na amizade.
O filme ainda conta com músicas muito legais. Quem nunca se pegou cantando Breaking Free enquanto lavava a louça né? haha
Um filme colegial totalmente fora do padrão e só assim fez sentido o porquê dele ter feito tanto sucesso. Uma pena que o dois foi bem inferior, porque eles incluíram alguns elementos desnecessários. (HSM2 só existiu para a fandublagem do Libero Sim. ahahah)
Se vocês não deram atenção ao filme... Passem a dar! Prestem atenção nele como eu fiz. E vi um dos melhores filmes colegiais da vida.
Parabéns, Disney, pela enorme quebra de clichês em um simples filme que nem pro cinema foi.

Top 5 #14: Melhores Fandublagens

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Hey, povo. Anelise aqui com mais um top 5.
Dessa vez com um tema bem diferente. Eu sou simplesmente fissurada e apaixonada por essas fandublagens. E uns anos atrás minha diversão na internet era assistir os vídeos do Caio loki. (Bons tempos de 2007.)
Enfim, resolvi fazer a lista com os meus favoritos. Bora lá!
Obs: Essa postagem contém um nível altíssimo de besteira. Porque fandublagens são assim! Se você não gosta de ficar ouvindo "putaria" e se ofende com isso, por favor, pare de ler o post aqui.
Sem mais delongas...

5- Rala sua mandada (A Usurpadora)
Essa é até "nova". E só a vi graças uma postagem de zoeira de uma página de League of Legends. A parte do "Onde vocês pensam que vão sem mim, suas putan? Cheguei para sambar!"
Sem contar também a parte do "Não casar com homi pobre". É muito bom!


4- Cinderela: Drogada e prostituida / Coma a moça (A Pequena Sereia)
E Caio Loki ocupará 90% desse top.
Essa zoeira da Cinderela consigo repetir todinha! São coisas inúteis que eu sei. haha E a versão do terceiro filme é melhor ainda.
O que falar dessa paródia da Pequena Sereia? "Tartaugas, grilos, sei lá que porra é essa... A voz!" Por que o Caio Loki parou?




3- Putas em Fileira (Mulan) / O poder da Periquita (High School Musical 2)
Nem preciso dizer que amo cantar essa versão da Mulan. HAHAHA
E HSM 2 é horrível, só existe para que essas paródias fossem feitas. Eu canto sem nem perceber!




2- Libero sim (High School Musical 2)
Essa cena do Zac Efron pediu uma paródia nesse nível. A bicha arrasa viu?
Somos todos goiaba! ahahahahahah


1- Não Darei não! (Hércules)
E claro, de longe, para mim, essa é a melhor de todas! Eu não sei cantar a versão original do filme, eu canto isso! Super empolgada ainda.


Esse foi mais um Top 5, povo!
Desculpe por gostar de coisas assim. Mas eu sou feliz vendo essas merdas! O mundo é mais feliz com essas coisas!
E essa postagem não é recomendada para crianças! (Mesmo que eu visse isso com meros 14 anos. V1d4 L0k4!)