Último post de 2015!

terça-feira, 29 de dezembro de 2015
Último post deste ano de 2015. E esse é um post de agradecimento.
Agradecimento a todos vocês que acompanharam o blog durante o ano e me viram aqui falando um monte de coisas, fossem boas ou ruins, ou talvez até algumas besteiras. haha
2015 foi um ano muito bom, não tenho que reclamar dele. (Mesmo que achado que 2014 foi melhor ainda.)
Publiquei mais dois contos. Comemorei 6 anos de namoro. Continuei meus escritos e comecei vários outros. Conheci várias pessoas legais.
Saldo de 2015: Positivo. :3
Vou compartilhar com vocês as minhas compras do Anime Family desse ano. (Contei melhor os acontecimentos lá no Garota Zodíaco.)
E como tem mangás nas compras, logo trarei resenhas de alguns para o blog. =D


Enfim o natal já passou e deixei um Feliz Natal lá na postagem do TOP 5 de filme de natal. =D
Agora o ano novo já tá ai. Que deseja um ótimo 2016 a todos. Que ele seja um ano muito melhor do que 2015 foi. Que possamos continuar juntos aqui no blog! E que todos sonhos e desejos e metas de vocês se realizem e se cumpram neste novo ano.
Sou péssima com mensagens assim. Mas, acho que vocês entenderam a minha intenção com ela.
FELIZ ANO NOVO! E NOS VEMOS NO ANO QUE VEM!



Top 5 #12: Filmes de natal

sexta-feira, 25 de dezembro de 2015


Trazendo o último TOP 5 do ano no blog. E nada melhor do que falar um pouco do natal né? Já que é natal também! :3
Quais são os meus filmes favoritos com temática natalina? Vocês vão descobrir agora.

5- Barbie em A canção de Natal / Os fantasmas de Scrooge
Esses dois filmes tem a mesma base na história, que é aquela em que uma pessoa muito egoísta e que odeia o natal recebe a visita dos fantasmas dos natais: do passado, do presente e do futuro.
E com tudo isso acabam mudando e se tornando pessoas melhores. Ambos os filmes são legais!

4- Sobrevivendo ao Natal
Tem uns anos que eu assisti esse filme e acabaram me lembrando dele porque é o um dos poucos (se não o único) filme do Ben Affleck que presta.
O filme fala sobre um cara rico e solitário que paga uma família para que passem o natal com ele.

3- O amor não tira férias
Nem preciso dizer que eu amo esse filme! Com as maravilhosas Kate Winslet e Cameron Diaz.
São uma britânica e uma estadunidense que fazem um intercâmbio de casas no natal. E rolam coisas! hahah Não conto, senão estraga!


2- Um Milagre de Natal / Aconteceu no Natal do Mickey (e a continuação)
Demorou para aparecer Disney né?
Um milagre de natal é lindo demais. Eu cheguei até a chorar! Olha que eu não sou muito disso.
E Aconteceu no Natal do Mickey tem várias histórias legais com personagens mais famosos da Disney.

1- O Grinch
E o campeão! Como não amar o Jim Carrey? Como não amar o Guilherme Briggs dublando esse filme?
Perdi as contas de quantas vezes já vi e repeti as falas. Sim, eu faço isso! Tipo o "Demissão. Multa. Propaganda. Propaganda." hahahaha
Quem nunca viu, assista!


Esse foi o último TOP 5 de 2015. Espero que tenham gostado! :3
E lembrando que são os meus favoritos. Muita gente vai reclamar de não ter citado Esqueceram de mim ou até O Estranho Mundo de Jack. Mas, o primeiro eu não gosto mesmo, acho bobo. O segundo nunca vi! (Não me linchem. Obrigada!)
E fiz um post no blog sem citar nada asiático. É para glorificar de pé!
E Feliz Natal para todos! =D

Resenha #18: Ai no Kusabi - Vol. 1

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Finalmente mais uma resenha no blog. Dessa vez é de um livro que queria ler tem anos, só por causa do anime maravilhoso que foi feito dele. Porém, meu inglês não é lá essas coisas e esperei sair pelo menos uma tradução em português, que foi feita pela Antique Manga e pela Livraria Mizukis.
O livro que comecei a ler em janeiro e fui acabar agora em Dezembro, mas foi por conta de que parei a leitura e fui ler outras coisas.
Depois da sinopse, a resenha. :3

Sinopse: Ceres, uma cidade sem éticas ou tabus, governada por instintos e desejos. Existem favelas – imutável, eterno, lar para os pobres, almas enjauladas golpeadas com uma melancolia perpétua. Depois de três anos, Riki inesperadamente retorna à Ceres, mas nem tudo está bem. O “Carisma” das favelas é um homem mudado. Confrontado com a suspeita crescente de que perdeu a fagulha, e assombrado pela memória do que aconteceu durante esses três anos longe das favelas, Riki se vê puxado para dentro da guerra de gangues, como tentativas rivais de acabar com sua gangue antes que possam se reagrupar sob o seu recém-retornado-líder. E depois há o assustadoramente frio homem, lamentavelmente um dia ele encontra por acaso: o belo Iason Mink. Que segredos estão por trás do sorriso do sedutor Loiro? [Por Antique Manga]

Por onde eu devo começar? Gente, acho que essa resenha não vai ser suficiente para vocês entenderem o quanto eu amei esse livro. Eu já era loucamente apaixonada por essa história só por conta do anime, o livro só fez com que isso aumentasse, e com que eu passasse a amar a autora de paixão e admirá-la de uma forma. Vocês vão entender quando eu falar!
A história se passa no mundo de Amoi, um mundo onde a classe social é definida pela cor de cabelo. Loiro é o mais alto e castanho, o mais baixo. (Isso tem no anime também.) Um mundo onde maioria da população é masculina, e são apenas que vivem nas ruas. As poucas mulheres já são direcionadas para a reprodução. O planeta é comandado por um super computador chamado Jupiter, com ajuda de um conselho de Blondies. (Os Loiros.)
Os Loiros tem seus pets, que são pessoas destinadas apenas para isso. Os donos dos pets decidem tudo sobre a vida dos mesmos, com quem vão casar, ter filhos, etc. E eles são produzidos apenas para isso. (Meu triste dizer isso, mas é a realidade do livro.)
Com um foco maior em Riki e Iason, um pet mestiço e um Blondy. Riki é um pet que foi "adotado" por Iason. A forma como eles se conheceram não é explicada no livro, mas eu sei o quê é, por vi no anime. (Se não mudaram nada.) Riki fica três anos sobre o poder de Iason até que finalmente ele lhe dê liberdade total de novo.
Maior parte do livro se passa no período pós-libertação do Riki. Mostra-o voltando, ou tentando voltar, a sua antiga vida, com a gangue Bison. Mas ele não é mais o mesmo de antes e nem o lugar é mais o mesmo. Jeeks e Maddox brigam entre si e contra a Bison que só tem uma reputação antiga.
Foi uma boa apresentação da história. Conseguimos entender mais dos personagens, das gangues, do mundo em volta.
Eu sinceramente estava esperando um livro de yaoi, com o lemon até as últimas alturas. haha
Sim, é um livro de yaoi, porque maioria dos personagens são homo sim. Diria até por falta de opção mesmo, porque só tem homem. haha Mas eu encontrei um livro com pitadas de yaoi, de um jeito até romântico, e com um enredo incrível. Nada nesse livro é só por ser. Só porque é yaoi e tem que ser assim!
O que mais me chamou atenção foi quando a autora parou os acontecimentos para explicar como o mundo funcionava e isso explicou o porquê de haver poucas ou nenhuma mulher na história. Lá no "histórico de leitura" eu falo o que é. Mas é que as mulheres são logo encaminhadas a reprodução.
Gostei de ver a briga das três gangues: Bison, Maddox e Jeeks. Eles brigam para ter o domínio das favelas de Ceres. Gostei de ver que os amigos de Riki notaram que ele estava diferente depois do três anos em que sumiu. Não tinha mais aquela energia de juventude, acabara perdendo isso.
E tenho que citar um detalhe engraçado. O nome do blondy maravilha demora cem páginas para ser citado. Então, quem for ler o livro sem saber do que se trata, vai achar que é só um cara loiro. Mas Iason é O BLONDY. (Deus dos Semes!) Nas duas partes da história em que aparece ele rouba a cena completamente para ele. No primeiro capítulo e no quarto. Ele é capaz de mexer com o Riki de uma forma que... Olha. Riki congela total! haha
E por muitas vezes minha leitura foi um pouco perdida por conta da linguagem um pouco mais formal do livro. Relia frases umas cinco vezes antes de entender.
Como a tradução é fanmade (feita por fãs) tem uns erros aqui e ali, mas não é nada que torne o texto incompreensível. Dou desconto porque é coisa de fã!
O livro também não "fecha", mas isso eu também compreendi. Ai no Kusabi era publicado semanalmente na revista yaoi Shousetsu June. Os capítulos são contínuos. Só muito depois foram compilados em livros, então eles partiram do jeito que melhor ficaria. Esse livro é dos capítulos 1 ao 6. Mas isso não é o fim do mundo!
E eu amei o posfácio da Rieko no final. Sua linda!
Quero agradecer as equipes do  Antique Manga e da Livraria Mizukis por trazerem a obra traduzida em português aos fãs. Que continuem com o ótimo trabalho!

Histórico de leitura, com cada capítulo mais detalhado. (Cliquem para ler melhor e leiam de baixo para cima.)

 E claro, um dos melhores momentos trechos do livro. AI IASON! SOCORRO!
Bem, pessoal! Essa foi a resenha. Espero que tenham gostado! :3

Tumblr

sábado, 19 de dezembro de 2015


E lá vou eu falar desse rede social maravilhosa. Que eu uso diariamente desde 2011, se não estiverem erradas as minhas contas.
Considero-o o meu "local seguro" na internet. Onde eu posso postar e falar sobre o que eu quiser e problema. Ninguém que poderia usar algo que posto no tumblr contra mim o usa.
Foi no tumblr que eu passei as melhores noites da internet pelo menos uns três ano atrás, quando ficava lendo as asks respondidas publicamente.
Mas hoje, o tumblr não passa de um lugar para eu ver fotos legais e postagens engraçadas, mas de uma forma solitária. As pessoas daquela época já não usam mais.(Porém tenho todas elas no facebook atualmente.)
Um lugar de informações confiáveis e fotos maravilhosas do meu amados seiyuus.
Antes, até passava horas e mais horas reblogando posts e rindo. Agora, tem dias em que eu nem reblogo nada. Talvez um post ou dois.
Mas todos os dias meu tumblr está aberto, porque eu gosto de ter aquele T lá na primeira aba. O facebook não merece esse lugar.
O tumblr é repleto de posts legais, de pessoas legais que eu quase não converso, mas que me dá e deu bons momentos.
É um outro tipo de blog, mesmo que digam que pode chamar de blog. Tumblr é tumblr, blog é blog. São duas coisas diferentes!
Quem quiser acessar meus tumblrs, os links: Zodiacane e Contos Anê.

O Clube dos Cinco (The Breakfast Club)

terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Vou falar de mais um filme hoje. Já tinha um tempão que eu não fazia isso. Sei disso!
Enfim, cheguei ao O Clube do Cinco por meio de um NerdOffice inteiro falando sobre o filme. Na mesma semana baixei o filme e quando ele acabou já estava apaixonada. é de longe um dos melhores filmes que vi na minha vida. Sério mesmo!
Qual é a história do filme, Anelise?
Ele começa num sábado em uma escola de ensino médio estadunidense. Naquela manhã, cinco alunos chegam a escola para cumprir um castigo, seja lá pelo o que for que eles fizeram.
Todos vão a biblioteca e como deve do dia devem escrever uma redação sobre eles mesmos com no mínimo mil palavras.
São cinco alunos que estão lá. Cada um deles é um estereótipo que conhecemos desses filmes escolares. Tem a patricinha/princesa, o esportista/atleta, o nerd, o delinquente/marginal e a esquisitona/caso perdido.
Eles começam se estranhando e brigando bastante, mas com decorrer do filmes, eles acabam contando sobre como era a vida deles, as famílias e a vida escolar. E é legal de ver que cada um tem seus próprios conflitos e que não são só aquilo que aparentam ser.
É difícil definir esse filme com palavras. Acho que assistindo mesmo para entender.
Não tenham preconceito pelo filme por ele ser de 1985. O filme conseguiu envelhecer bem até demais. Ainda é atual, apesar de mais de 30 anos de seu lançamento.
E o final... O que é o final? Não podia ter terminado melhor!
Recomendo esse filme a todos. Para que lembrem da adolescência e se lembrem de que são mais do que estereótipos que podem nos definir.

Vídeo: Spoiler

sexta-feira, 11 de dezembro de 2015
A pessoa aqui está sem criatividade para fazer posts, além de estar ocupada escrevendo e pensando em contos.
Fiquem com um vídeo que gravei para o meu canal no youtube. Espero que gostem!

Tag: Meme escrito

terça-feira, 8 de dezembro de 2015
Mais um tag no blog! AEHOOO
Essa eu vi no Profissão Escritor.
É bem simples, responder as 8 perguntas, só que num manuscrito e fotografar. E peço que perdoem a minha letra nem tão boa assim!

Segue as perguntas:
  1. Qual o seu nome completo;
  2. URL do seu blog;
  3. Escreva : "A raposa rápida marrom pula sobre o cão preguiçoso";
  4. Citação favorita;
  5. Música favorita no momento;
  6. Cantor/banda favorita no momento;
  7. Diga o que quiser;
  8. Indique 3 ou 5 blogs.



A pequena feminista

sábado, 5 de dezembro de 2015

Apenas de uns tempos para cá que eu passei a me considerar feminista. Porque foi há pouco tempo que eu passei a entender o real significado dessa palavra.
Uns anos atrás cheguei a dizer que era "igualitária", mas o feminismo é praticamente para isso.
E por muitas vezes, durante meus devaneios e epifanias, notei que eu sou feminista praticamente desde sempre. Só que eu fui me dar conta disso só agora mesmo. Depois de burra velha! haha
E vejo que tudo isso foram influências dos programas que eu assistia na infância. Meus favoritos filmes da Disney são, até hoje, Pocahontas.
Sou apaixonada por animes como Sailor Moon, Sakura Card Captors, Sakura Wars, Super Doll Licca-chan... Sabe o que todos eles tem em comum? Meninas com poderes e que fazem as coisas que querem por elas mesmas.
Sempre achei um absurdo quando meus tios ficavam zoando o meu irmão porque ele brincava com as minhas bonecas. O que uma coisa tem a ver com a outra, não é mesmo? Ninguém é ou não homem só porque brinca de boneca, tem muitas outras coisas nessa conta ai e essa brincadeira não conta nela.
Meu primeiro livro conta com protagonistas femininas e são elas quem salvam os meninos.
Eu me indigno de me ver sendo cobrada para fazer os serviços de casa por meus pais e vejo o meu irmão sentado lá no bem e bom. Se ele lava uma louça é uma maravilha, ele é o BEST FILHO. E eu, se eu esquecer uma coisinha que for, ai o mundo vai ser destroçado, porque Anelise não faz NADA.
Como costumo dizer: Machismo tá piscando em neon azul royal. haha
Ele não está ajudando, está fazendo o dever dele. O de manter a casa onde ele mora limpa. Todos tem que fazer isso!
São conceitos que ninguém nunca sentou e falou sobre comigo. Eu sempre o carreguei comigo. Desde pequena, desde que me entendo por mim.
A pequena feminista! :3