Postagem em branco

sábado, 31 de outubro de 2015

É hora de postar no blog. Ai você abre a "nova postagem" e encara aquela tela em branco, mas totalmente pronta para receber um texto. Da mesma forma que acontece com aquele arquivo novo no word que está pronto para receber a sua história.
E postar é tão difícil quanto escrever um livro. Encarar a página de post em branco é bem semelhante a encarar a página do word em branco.
Porque post também carrega um pouco de criatividade para se fazer. Deve-se pensar no que vai escrever na postagem, assim como acontece com um livro.
Assim como uma história acaba carregando um pouco de você, cada postagem acabando um pouco de você.
Preencher um post em branco é praticamente a mesma coisa de escrever um capítulo novo, em uma folha em branco.
Será o blog um livro em partes? Em longo prazo? Ou ele faz tanta parte da gente também?
Não consigo encontrar uma resposta. Pode ser que sim, pode ser que não. Depende do jeito que você encara um postagem em branco.

Resenha #16: Sangue dos Deuses

terça-feira, 27 de outubro de 2015

Hey, Minna-san! Finalmente trazendo mais uma resenha para o blog depois de um bocado de tempo. Eu não leio tanto como os donos de blogs que eu sigo. Meu ritmo de leitura é até lento algumas vezes. Mas enfim...
Hoje a resenha será de mais um livro de Booktour: Sangue dos Deuses do autor Michel Duarte.
Vocês podem conferir a postagem sobre a booktour aqui.
Sinopse e depois minha resenha.

Sinopse: "Ordem e Caos: desde o início do universo esses opostos sempre estiveram em permanente conflito. Agora a batalha final entre essas duas forças parece estar cada vez mais próxima, pois Loki, o deus trapaceiro, escapou de seu cativeiro e utilizará de toda a sua astúcia para vingar-se dos deuses que o aprisionaram, iniciando a batalha final entre os opostos definitivos. Do outro lado do mundo, Katherine, uma jovem adolescente, descobre que quase toda a sua família foi massacrada. Temerosa e seguindo o último conselho de sua querida avó, a garota foge para a casa dos tios, onde lhe é revelada uma verdade surpreendente: todos os antigos mitos nórdicos são reais, sendo ela mesma uma descendente da Valquíria Brunhild e do herói Siegfried, e mais importante essa herança meio divina e meio mortal a torna a única que pode contrariar o destino, impedindo Loki de iniciar o Ragnarök. Jurando vingança, Katherine precisa aprender a controlar seus poderes antes que Loki reúna as três runas necessárias para dar início ao Ragnarök, ou ela não apenas falhará em sua busca por vingança, mas também verá o próprio universo sucumbir em fogo e gelo."

Eu já gosto de mitologia de uma forma geral, independente de qual for ela. Grega, romana, egípcia, nórdica, até a brasileira.
Confesso que aprendi um pouco mais sobre a nórdica com esse livro. O pouco que eu sabia antes era a história em que tentar acorrentar o Lobo Fenrir e os anões confeccionam uma corda para tal. (Anões <3 )
Agora, indo pro livro. Ele conta a história de Katherine, uma adolescente que acha ser comum, mas verdade é uma semideusa. haha Tem sangue de deuses e de dragões que correm em suas veias.
Tudo começa quando Loki, o Deus da Trapaça, escapa da prisão em que foi colocado por seus semelhantes como punição pelo assassinato do deus Baldur. Loki passou milênios preso e com um cobra picando-o sem parar, o que destruiu a sua feição completamente. Assim que alcança a superfície, decide começar a sua vingança, ou como conhecemos: o Ragnarok. (Saudades do jogo. haha Ai minha Wizard MA-RA-VI-LHO-SA!)
Mas para que o seu plano seja plenamente cumprido, ele tem que eliminar aqueles que são capazes de mudar o destino, que é justamente a família de Katherine. Loki convoca uma berserk, que são licantropos, que é sua aliada e com o matilha dela, invadem a casa da família da jovem e fazem um massacre.
Katherine estava na escola naquele momento e após um desmaio, na enfermaria, também foi atacada por uma berserk. Por muito sorte e por conta do seu sangue, ela foge e vai para casa. Só conseguiu ouvir as últimas palavras da avó, antes de partir rumo a casa de seus "tios".
E lá ela finalmente descobre sobre tudo o que está acontecendo e sobre quem ela é e sobre a missão que ela tem agora que Loki se libertou.
E esse livro só mostra o começo dessa guerra. Uma grande linha aliada, com todas as criaturas mitológicas imagináveis se forma. São Fadas, Elfos Claros, Anões, Vanir, e mais alguns outros que não vou lembrar no nome. Claro que eles vão se unindo no decorrer do livro. =D
O treinamento de Katherine também começa. Só acho que por conta de ter um sangue tão (desculpa) foda, a garota fazia algumas coisas com os pés nas costas e de primeira. Vai ser apelona assim em outro lugar vai!
E como as histórias de fantasias tem que ter trios, além de Katherine, a escolhida dos deuses, temos um Berserk, o alfa por direito, Erick (SENPAI!) e o Princípe dos Elfos, Altamir. Os três de dão muito bem juntos e tem uma sintonia bem legal!
Adivinha quem é o favorito? Sim, ERICK-SENPAI! hahahhahaha
Obviamente, haverá continuação.
As partes que mais gostei foram justamente a das batalhas. Em algumas partes, até parece que o livro perde a fluidez que tem durante as cenas de guerra. Mas nada que não me fizesse desistir.
Duas coisas me incomodaram: a diagramação, havia partes em que as linhas estavam com um espaçamento e depois com outros; e os erros ortográficos, meu pedantismo gramatical foi gravemente afetado. Tinha alguns, e que incomodaram bastante. Nada que tornasse a leitura impossível, mas acho que incomoda.
Gostei bastante do livro! E quero ler a continuação assim que tiver a oportunidade.
Agradeço ao autor Michel Duarte por me deixar participar da Book Tour. :3

DIY: Caixa "6 Years in love"

sábado, 24 de outubro de 2015

Uma coisa um pouco diferente do habitual aqui no blog. (Se é que existe algo assim aqui!)
Enfim, hoje falarei com um DIY que eu mesma fiz. =D
Para quem não sabe DIY, do inglês do it yourself, significa faça você mesmo.
Cheguei a falar um pouco sobre lá no Garota Zodíaco.
No dia 17 de Junho de 2015 comemorei 6 anos de namoro com o Kareshi. (Namorado)
E para marcar a data de um jeito especial decide fazer um presente especial. Na real, a ideia surgiu porque uma colega de faculdade ia fazer presente de dia do namorados para o namorado dela.
Ela tava dando uma olhada na internet e vendo o que faria. Pensei que realmente seria legal fazer também! Algo diferente e criativo!
Comecei a caçar o que fazer, mas tudo o que aparecia eram ideias pré-prontas, com todos os moldes e artes prontas. E bem, eu não sou a maior fã disso. Fica legal, mas eu sinto que eu não fiz com todo o meu afinco. Sinto que não fica pessoal e especial. Acho que vocês me entendem né?
E eu tava com aquela bendita ideia da Caixa dos 5 sentidos ma cabeça! Só que eu não queria fazer ela. De jeito nenhum! Por motivos que expliquei acima.
Eis que tive a ideia: farei uma caixa pelo nossos 6 anos, seguindo o esquema de um objeto para cada ano.
Batizei-a de "6 years in love". Nada mais clichê e inspirado em filme coreano impossível.
Faltava escolher os objetos que colocaria na caixa e para uma delas fiz um textinho bonitinho. Foram elas:
1º ano: Por sempre ler o que eu escrevo... = Livro + marca-página;
2º ano: Por tirar fotos, mesmo não gostando = Algumas fotos nossas reveladas;
3º ano: Por sempre me acompanhar até em casa... = Chaveiro;
4º ano: Por adicionar coisas melhores em mim... = Bottons
5º ano: Por me levar até as estrelas... = Bottle Nebula;
6º ano: Por amar você! = Carta.
Maioria das coisas eu comprei ou mandei fazer ou eu já tinha. Inclusive a caixa, que simplesmente minha mãe arrumou justamente das cores que eu queria. :3
Eu fiz um marca-página com uma foto nossa, fiz montagens nas fotos reveladas e o Bottle Nebula. O resto eu comprei!
O Bottle Nebula deu um trabalho pra fazer, fiquei uma tarde inteira fazendo dois, sendo que um deles foi para mim. E também fiz uma versão das fotos impressas para colocar no meu mural no quarto.
Olha as fotos! :3


Deu um bocado de trabalho, mas valeu a pena fazer. Eu gostei e meu namorado também!
Foi um jeito bem legal de comemorar. Tanto que ele já está fazendo uma caixa para mim. haha
Olha a foto dos objetos que foram dentro. E também foi difícil fazer tudo caber.
Acabou que os textos ficaram bem básico, porque os que eu fiz em vermelho e azul ficaram com impressão estranha.


Quem sabe não mande essa ideia para o Namorada Criativa? =D
Espero que tenham gostado!
Beijos!

Top 5 #10: Outfits que eu quero para mim!

terça-feira, 20 de outubro de 2015

Halo, pessoal. Anelise aqui trazendo mais um top 5 no blog! =D E alcançamos o número 10. Aehooo!
E bem, eu não sou uma pessoa lá tão ligada em moda, mas acho que eu tenha um bom senso de estilo. Mesmo que meu estilo seja talvez um pouco sem graça, tem horas que eu dou uma surtada e "Liberto a diva que existe em você". (Referências!)
E por falar em divas, sim, falarei das minhas japoneses hoje e das roupas que elas usam em clipes/shows e que eu queria ter uma igualzinha para sair desfilando por ai!
Bora pro top!

5- Ayumi Hamasaki
E já comecei apelando. haha Ayumi tem simplesmente roupas divinas. Algumas até espalhafatosas demais para o meu gosto, tipo aqueles vestidos com caudas enormes que ocupam o palco inteiro.
Eu perco as contas de quantas roupas dela que eu queria ter, além das duas das fotos, que são do CDL~2009/2010 e Ladies Night, ia querer as roupas que ela usa em STEP YOU, XOXO, BRILLANTE, Rule e Angel's Song. (Tudo clipe isso ai!)



4- Aya Hirano
Eis minha adolescência resumida em uma cantora/seiyuu.
Adoro as saias cheias de camadas dela. Estaria colocando uma fase inteira da minha vida como mentirosa se eu dissesse que não ia querer esse vestido da RIOT GIRL TOUR. (Da segunda foto!) Claro que com outras cores, mas o modelo dele é lindo.
Sem contar as roupas do Mon StAR e de LOVE GUN. E da Aya Cleópatra e essa do vestido da primeira foto, que são do Aya Museum.



3- Asami Imai/Eri Kitamura
Duas seiyuus que eu amor e que ninguém gosta. Na real, queria as roupas delas na época do ARTERY VEIN. haha
Eri tem todo um estilo que eu adoro, diria até meio punk. Eu quero todas as roupas de PVs dela, especialmente a do Destiny, que está na foto. EU QUERO ESSE CORPETE. E aquele saião do Birth. MEU KAMI!
Asami Imai é mais pro lado kawaii e místico até. Vide que eu quero essa roupa da foto, que é do Precious Sounds, onde ela tá parecendo uma deusa grega. E também tô querendo uma desculpa para me vestir de Kazuko e sair andando por ai. Haha


2- Nana Mizuki
Apelando de novo. Nana tem simplesmente umas roupas sensacionais. Dois ótimos exemplos são dos clipes das músicas feat o TM Revolution. Gente, eu quero!
Sem contar que eu amo a roupa que ela usa no Live Fever, quando canta Trickster e a roupa dela do Party Party no Live Union. As de clipes seriam o Junketsu Paradox, Justice to Believe e Metro Baroque. Desculpa para sair por ai vestida de Caterine. Haha
E tem as da fotos, que são na Usagi Nana do Live Castle (só me lembro do Gimmick Game) e esse kimono maravilhoso e que a Yuuka Nanri fez um bem parecido depois.


1- Minori Chihara
Esse primeiro lugar era meio óbvio. Tem que ser a DIVA MASTER aqui: Minorin.
Se eu não falar que quero todas estarei mentindo. Mas tem aquelas que são especiais.
Tipo do Paradise Lost, Tomorrow's Chance, TERMINATED, ZONE//ALONE, NEO FANTASIA (aquele vestido vermelho), Mukaikaze ni uta renagara, Celestial Diva e Fool the World (da segunda foto - Kimonos são amor!). Isso só dos clipes.
Se for ver a das shows, ia querer as roupas da Parade Tour, algumas dos Summer Camp e do Birthday Live. Quero ser a Minorin na vida! haha
Essa da primeira foto é do Party Formation. (Maravilhosa!)

Bem, pessoal. Esse foi mais um Top 5. Eu espero que tenham gostado. Desculpem-me ter sido a surtada das roupas. Mas os japoneses, talvez os asiáticos em geral, não brincam com esse tipo de coisa.
Até a próxima!
Beijos!

Tag: Descobri-me!

sábado, 17 de outubro de 2015
 
Sejam bem-vindos a mais um tag aqui no blog. E como vocês sabem, eu gosto de pegar essas tags aleatórias que eu vejo por ai. E que também não seja relacionadas a livros. Eu acho meio chato ficar fazendo de um tema só, sendo que o blog não é literário!
Essa  é daquele tipo bem simples, só responder as perguntas. E quem quiser fazer, sinta-se à vontade.
Vi a tag aqui. E espero que tenham gostado da minha cara linda na foto do post. ahah
Agora indo a tag...

1. Como se chama? Fale um pouco sobre seu nome. Quem te deu esse nome? Você gosta?
Chamo-me Anelise. (Tá no perfil do blog.) É a junção de Ana e Elisa, deve ser por isso que diversas vezes me chamam assim. E normalmente, por ser um nome "difícil", que as pessoas sempre de dão apelidos, que são meu nome encurtado. Geralmente é Ane mesmo. Ane pegou! Eu deixei o Nise para a Anelise de As Super Agentes. (Sim, o meu melhor apelido ficou para a personagem.)
Eu costumo dizer que eu mesma me dei o nome. É uma história comprida, mas eu conto.
Convenhamos que minha mãe é péssima com nomes, ela teve dificuldade para dar um nome tanto para mim, quanto para o meu irmão. (Tanto que o menino nasceu sem nome ainda.)
Eis que, ainda grávida de mim, mamãe sonha que eu queria um nome com a letra A. Eu falei com ela no sonho, digamos assim. (O sonho foi dela, eu não sei como foi.)
Ela começou a procurar todos os nomes com a letra A em todos os dicionários de nomes que via. Mas não encontrava um nome que ela gostasse. Meio que do nada, ela fala: Anelise. Mais um procura maluca nos dicionários de nomes, sem sucesso. Mas o nome me foi dado!
Claro que eu gosto do meu nome! Eu quem escolhi! Um privilégio para poucos! haha
Mas, se eu fosse ter um outro nome, seria Amélia, que eu acho lindo. (E que também virou personagem.)

2. Algum desejo?
Publicar os meus livros e poder viver disso. Trabalhar com o que eu gosto de fazer!
E ter minha família também.

3. Qual o seu maior medo? 
De justamente não conseguir o que eu quero. Medo de fracassar, sem mal sucedida, coisas assim.

4. Como se sente quando alguém diz que você não devia ser assim?
Depende do que ela diz para eu não ser. Se a pessoa tenta me animar, querendo que eu fique melhor, eu sorriu para ela e tento seguir o conselho. Os sentimentos ruins ainda ficam por um tempo e depois se vão.
Agora, se a pessoa fala para eu deixar de ser algo que eu gosto muito de ser, como escritora, ai eu só consigo sentir pena da pessoa. Porque ela não enxerga as coisas como eu. Pode até ser o meu mundinho, mas eu não fico enchendo o saco de ninguém com ele.

5. Já se perguntou quem você é? Qual o motivo de estar onde está?
Eu me pergunto muito isso quase que diariamente. Mas a minha crença me mostra que tudo tem o seu tempo e existem coisas que são muito complexas para a minha mera capacidade de compreensão.
Mas sei que estou aqui para dar o melhor de mim e para ser a melhor pessoa possível.

6. Tem algo em você que te incomoda? 
Acho que só o meu sistema digestivo mesmo, ainda mais depois da viagem no meio do ano. Essa viagem me deixou com o estômago pior do que já era.
E tem a minha miopia também, mas aprendia a conviver com.

7. Tem alguém que te inspira? 
Eu tenho uma série de postagens no blog sobre esse assunto. Eu costumo dizer que a própria vida me é maior fonte de inspiração.

8. Qual a sua cor? 
Vermelho, Red, Aka. Sempre foi a minha cor. A que eu mais gosto, a que mais combina comigo.

9. Algo a dizer sobre as pessoas que venham a te conhecer?
Eu sou meio doidinha, gente, por causa daquela queda de cabeça que eu tive da rede com cinco anos. (Adoro zoar com isso. hahah) Mas eu sou legal viu!
Só não sou de falar muito, sou mais de escrever mesmo. Só não queiram me ver cantando. É desastre com certeza! Ainda bem que nunca quebrei nenhum vidro. Ufa!
De fofinha é só a cara mesmo viu?

Bem, pessoal, essa foi mais uma tag no blog. Espero que tenham gostado! =D
Beijos!

Depressão pós-postagem

terça-feira, 13 de outubro de 2015
 
 O que eu penso quando posto e ninguém comenta.

Post desabafo + humor. Porque sou dessas!
Eu praticamente dou o meu sangue para cada coisa que eu escrevo sair do jeito que eu quero e que eu gosto. Eu o faço com muito esforço e muito amor!
Eis que chega o fatídico dia de postar. Tudo já foi revisado, mas sempre passa uma coisa ou outra. A capa tá pronta. Então, preenche tudo para pode "vazar".
Etapa de divulgação. Tenta parecer divertida e simpática e convida as pessoas para ler o capítulo novo ou o conto novo... Enfim... O que tem de novo!
Ai que vem a minha frustração: Ninguém lê. Ou pelo menos, ninguém dá um sinal de que leu e nada mais. Os contadores me dizem o contrário!
Eu passo a pensar que eu sigo literalmente o que eu costumo dizer: Escrevo para mim. Parece que é bem isso mesmo! Eu me encanto, me apaixono e tudo mais, sinto a história com tanta intensidade. Praticamente vivo aquilo que eu escrevo. (A primeira fangirl sou eu! Já disse isso aqui.)
Passo a pensar se tem algo de errado comigo. O tema que não chama atenção? Não sei divulgar direito? Zilhões de perguntas se formam na minha cabeça e não recebo respostas para nenhuma delas.
Se eu tenho leitores, eles são as pessoas mais tímidas do universo. Porque realmente existem momentos em que eu me sinto escrevendo pro nada e para ninguém.
Horas, papéis, grafites e tempo sentada gasto de uma forma que não me dá tanto retorno assim.
E qual a consequência disso? O desânimo para continuar. Eis que está explicado o motivo de eu demorar tanto para atualizar O Diário da Escrava Amada.
Tô bem adiantada na história. Mas o saco para parar, digitar os capítulos e postar? Já que eu sei que o máximo que receberei serão míseros dois comentários de duas linhas ou até um simples: amei continua.
Desculpa, mas eu não estou disposta só para receber isso. Não estou sendo mal agradecida!
Poxa, eu sou lega, gente! Respondo o comentário assim que eu o vejo. Eu só demoro a atualizar por desânimo mesmo.
É um bocado triste essa situação se repetir em todas as vezes em que eu posto algo novo, seja conto ou capítulo. Bate a deprê em modo hard e o bloqueio da deprê vem com força.
Mas, claro, eu sou brasileira e não desisto nunca. Sei que isso faz parte e continuo me esforçando para um dia receber o reconhecimento que eu espero. :3
Desculpa a "sessão desabafo" (de novo.) Fiquem com mais um mene do HiroC. (Esse lindo!) :3

 
Eu vendo meus leitores lendo e simplesmente indo embora.

Love Stage

sábado, 10 de outubro de 2015

Anelise fujoshi aqui de novo. Aehoooo
Falar de anime é bom, mas falar sobre um yaoi é melhor ainda. Eu gosto dessa temática, gente. Não adianta. É um gênero que mais faz ser mais feliz.
Enfim, hoje falarei de, até que recente, Love Stage.
Esse é daqueles que são mais amorzinho. Tem mais características de shoujo, porque ele enrola um pouco. Um anime de 13 episódios e um OVA, era de se esperar algo do gênero.
Love Stage conta a história de Izumi e Ryouma. Eles se conheceram ainda crianças durante a gravação de um comercial. Izumi foi a "menina" da propaganda, pois sua mãe, que também é atriz e estava participando da gravação, falou com o diretor que podia usar o filho. Colocaram um vestido nele. Porém, o pobre Izumi fica muito nervoso por ser muito tímido, então Ryouma o acalma dando uma bola de gude, que tem as mesmas cores dos olhos de Izumi, para ele segurar e poder relaxar.
Eles gravam e o comercial é um sucesso!
Dez anos (se não me engano) se passam, Ryouma é agora um dos maiores atores do Japão, enquanto Izumi está cursando a faculdade. Diferente da família, com mãe, pai e irmão, ele não seguiu carreira artística, ele quer ser mangaká. E é simplesmente apaixonado pela Lala-lulu. (Uma espécie de Sailor Moon)
A empresa que fez o comercial anos antes, resolve fazer uma continuação daquele, mostrando o casal de crianças. O empresário da família de Izumi, Rei, o veste de mulher para o comercial. Izumi fica nervoso de novo e Ryouma lhe empresta a bola de gude outra vez.
No final de tudo, Ryouma tem a surpresa de descobrir que, aquela pessoa que ele era apaixonado desde criança, o Izumi, era um menino. Mas, de qualquer forma, ele decide que vai se aproximar do outro.
A história do anime é muito bonita e muito engraçada. Eu dei altas gargalhadas com ele. Ryouma e Izumi são um casal muito fofo. Sem contar o alternativo Shougo x Rei, mas isso é Back Stage já.
O que eu acho mais engraçado é que o nosso casal é praticamente todo uke. (Um Ai no Kusabi às avessas, como costumo dizer.)
Nem Ryouma, nem Izumi sabem como reagir. A relação deles vai se construindo aos poucos e aos passos deles. Só me dá uma pena do Izumi porque ele sabe que é o Uke da relação. E sim, foi uma das partes em que mais ri.
Fora o Smurf e o algodão doce (só assistindo o anime para entender. Lê-se: censura), o anime é um ótimo yaoi para descontrair e poder ser uma fujoshi feliz.
E ainda quero um anime do Back Stage. Porque Shougo x Rei são muito amor! (Ainda mais depois daquela última cena do OVA, que me botou no chão.)

Review ULTIMATE DIAMOND

terça-feira, 6 de outubro de 2015

Depois de meses, eu finalmente voltei com alguma review de álbum. Eu tava com saudade de fazer. haha
E hoje será do primeiro álbum da Nana Mizuki que eu ouvi na vida: ULTIMATE DIAMOND lá do longínquo ano de 2009. (Ai meu ensino médio.)
Vocês já sabem "os esquema". Listarei as músicas a falarei sobre cada uma.
E por favor, relevem o fato que eu não a maior entendedora de música. É opinião de semi-leiga e fã. =D

1. "MARIA&JOKER"
Tem gente melhor de abrir com um: Ready for action? e com um som de botão de toca fita dando play. Nem preciso dizer que eu simplesmente amo essa música. haha
É daquelas músicas da Nana que dá uma puxada um pouco para o Jazz. Ótima para ouvir!

2. "悦楽カメリア (Etsuraku Camelia)"
Essa foi a música que serviu para divulgar o álbum. E gente, não podia ter sido melhor escolha.
Pegada de rock total! Sem contar que mistura um pouco dos elementos modernos com os clássicos, incluindo isso no clipe. Nana de kimono cantando com a banda atrás. Mesmo que não faça lá tanto sentido. haha

3. "PERFECT SMILE"
Essa música é bem mais melódica. Mais um pop divertido, que lembra muito músicas de anime shoujo. (Elas fazem isso comigo, não sei como.)
Dá vontade de dançar inventando uns passos legais ou quem sabe até fazer uma caminhada alegre enquanto canta. (Eu sempre imagino clipes para as músicas.)

4. "Trickster"
Sou muito suspeita para falar dessa! Ouso dizer que é uma das minhas favoritas. E sim, é rock também. Também é single-track.
Aquela música que só de começar a tocar já te empolga e te faz puxar um microfone e cantar.
Sério, eu amo essa música demais, mas tanto que eu coloquei ela em um trecho dos meus livros. (As Aventuras de Jimmy Wayn) E eu sempre lembro da bendita cena quando escuto a música.
É uma injustiça essa música ter meros 3 e quase 40 segundos? Por que tão maravilhosa?

5. "Mr.Bunny!"
Eis mais um pop da Nana. Bem daquele estilo que ela faz.
Uma música que ao vivo fica muito boa. Tem essa pegada divertida, mas ser muito. Diria alegre, na verdade!

6. "沈黙の果実 (Chinmoku no Kajitsu)"
Música estilo da Nana mesmo. Com aquele instrumental épico que só a Elements Garden sabe dar.
Os violinos misturados com os outros instrumentos.
Eu não sei, mas acaba ficando uma melodia maravilhosa. É simplesmente lindo ouvir o violino junto com a guitarra.
Minorin, Nana e o Elements Garden me ensinaram a apreciar isso!

7. "Brand New Tops"
Começa com um batida lenta, fica achando que tá vindo balada ai. Eis que Nana começa a cantar e a música acelera. Acaba virando um pop-rock. E mais uma música que facilmente entraria facilmente em um anime. haha
Música de Seiyuu é sempre nessa vibe mesmo.

8. "少年 (Shounen)"
Sou suspeita para falar dessa! [2] Jimmy Wayn strikes again!
Um pop com alguns toques de sax com guitarra e fazem a música ter uma batida maravilhosa. Meu amor por essa música se mostra no momento em que a coloquei como o tema de Jimmy Wayn.
Mesmo que não seja um rock do estilo da banda do livro, mas eu sinto que combina com a história.
A letra combina! Não adianta!

9. "Gimmick Game"
Cara. Mais um música suspeita. Acho que os feels que eu tenho com o Parade da Minorin, se repetem com ULTIMATE DIAMOND. É um álbum que me leva de volta no tempo.
Essa é aquele pop-rock que tem super perfomances ao vivo e faz você querer dançar loucamente.
A apresentação mais marcante é do Live Castle, em 2011. Onde a Nana cantar vestida de coelhinha.

10."Dancing in the velvet moon"
Seguindo o que Gimmick Game deixa... Vem essa música sexy.
Ela é só um pouco mais pop e com uma letra, diria, até pesada para os padrões da Nana.
Obviamente a letra fala sobre um casal e onde a mulher está desesperada para ser pega. If you now what i mean... haha
Mas a letra é linda! E os vibratos da Nana, MEU DEUS DO CÉU. Notas altas no final do refrão, cara!
Só para vocês terem uma ideia do que eu tô falando: Tradução Dancing in the velvet moon.

11."ray of change"
Entrando em mais uma parte tranquila do álbum.  Uma balada com um batida bem suave.
O refrão dela é ótimo! =D
Talvez uma música para ouvir durante uma viagem. Ela tem esse de falar de mudanças e tal.

12."深愛 (Shin'ai)"
Mais um single. Essa aqui é abertura do anime White Album, que eu assisti inclusive.
É uma balada e claro tem o quê de anime porque pertence a um.
Eu já perdi as contas de quantas vezes ouvi essa música e não deixei de "ligar" a abertura do anime na cabeça.
É uma música muito amorzinho. Mais clichê impossível!
Inclusive, este nome, Shin Ai, é o nome da autobiografia da Nana. :3

13."蒼き光の果て-ULTIMATE MODE- (Aoki Hikari no Hate -Ultimate Mode-)"
E os violinos vem com vontade.
Obviamente, se trata de uma versão remix de um single anterior. Eu não conheço a versão original, mas eu gosto muito dessa.
Bem a dose certa de pop e rock ao mesmo tempo. É música estilo Nana.
Edição: Essa música é uma regravação de uma Chara Song que a Nana fez para a sua personagem no anime Ayakashi. (Obrigada a Sah-chan do NanaBR pela informação!)

14."Astrogation"
Sou suspeita para falar dessa! [3] Mais um single anterior essa.
Um super pop, estilo Elements Garden e no Nana mode em 100%.
É aquela música que te empolga quando você escuta. O refrão gruda na cabeça de uma forma e quando você vai ver já tá: Kanjou ga haji keru ADAM to EVE no kiseki o ou, Ready, Go to star heaven koi dato chizu ga shimesu.
Essa música é totalmente J-pop. Só falando assim!
Outra curiosidade: O Terepoto do Mago Belo veio dessa música. haha


15."夢の続き (Yume no Tsuzuki)"
Melhor música para encerrar o álbum. Gosto muito quando fazem isso com música mais tranquilas, em alguns casos, até em acústico. O que não é a dessa.
A única coisa que você pensa sobre ela é: Que coisa linda! Quero ouvir de novo.
Ouvir essa música traz uma paz e um amor no coração. É linda!
E sempre lembro a versão acústica que a Nana fez tocando harpa no Live Orchestra, o 1, se não me engano.

Bem, pessoal. Mais um review de álbum feita com sucesso.
Eu tenho dificuldade com os que eu já ouvi diversas vezes, porque eu passo a amar todas as músicas. Ai acho que fica meio ridículo de falar, porque sai tanto amo que deve perturbar o juízo de vocês.
O ULTIMATE DIAMOND foi o primeiro álbum da Nana que ficou em 1º na Oricon, o que foi um marco na carreira dela e para os seiyuus também. Ninguém nunca tinha feito isso antes!
Também é um álbum que me marca muito, foi por ele que eu me tornei fã da Nana. Conheci essa voz perfeita justo por causa dele.
Então, junto com o Parade da Minorin, essa álbum mora no meu coração. :3

Podia escrever um textão...

sábado, 3 de outubro de 2015

Mas prefiro ficar quieta.
Não é questão de ser mimimi, mas sim de ser algo que não é lá tão confortável de se falar com alguém.
Aqueles sentimentos que de vez em quando resolvem me engasgar. São aqueles que te colocam lá pra baixo. Não adianta conversa, nem texto, só tem que esperar passar.
E o silêncio é o melhor que se pode fazer. Pelo menos do lado de fora. Porque o lado de dentro está uma bela de uma bagunça.
Algo tão profundo que ninguém jamais entenderia, porque nem eu mesma consigo isso plenamente.
Então que fique na confusão dos pensamentos. Sem fala, sem texto, sem nada.