Top 5 #9: Melhores filmes asiáticos que assisti

terça-feira, 29 de setembro de 2015

Mais um top 5 no Blog gente! :3
E vamos falar mais um pouco sobre coisas asiáticas e de filmes dessa vez.
Como sabem já falei de alguns deles aqui no blog, mas fazer um top com os melhores é sempre bom!
Quais foram os filmes que eu mais gostei?
Bora então!

5- Sex is Zero / Speed Scandal
Comédia sempre! Esses dois filmes são desse tipo. Mas depois entram com os temas mais sérios.
Sex is Zero é, como disse antes, "American Pie Coreano". Eu ria muito na primeira hora do filme, mas a segunda chega a ser bem pesada. Já que pega alguns assuntos sérios, como aborto.
Speed Scandal é um filme muito amorzinho. É família! O menininho dele é um amorzinho.
A história é sobre um radialista famoso que um belo dia recebe a visita de sua filha, que ele não sabia que existia, e tanto a garota quanto o filho dela passam a morar com ele.

4- Jenny Juno / 6 years in love
Esses são um draminha bem leve, bem light mesmo.
Jenny Juno é um Juno (sim, aquele com a Ellen Page). É uma casal de adolescentes que acabam tendo um filho, mas é bem complicado conseguir o apoio da família. Rola treta!
6 years in love conta a história de um casal que namora tem 6 anos, o filme aborda um pouco sobre câncer e sobre essa coisa de relacionamentos longos. (Spoiler: o casal se separa no final.)

3- Wedding Dress / Herb
Comecem a pegar os lenços... (E vocês finalmente vão entender porque eu acho A Culpa das Estrelas uma bosta!)
Os dois filmes falam sobre o câncer e são aqueles que você sai desidratado no final. E eles tem histórias bem semelhantes, são duas mães que estão com câncer terminal (ou como costumo dizer, morre de teimosia, porque não se trata).
Em Weeding Dress ela é estilista e trabalha com vestidos de noiva. A herança que ela quer deixar para a filha é um vestido de casamento. (Eis o nome do filme. Tcharam!)
No Herb, a filha tem uma doença mental, que não me recordo qual é, mas ela se comporta como uma criança de 7/8 anos. A mãe fica receosa de abandonar a filha e começa a fazer várias caixas para os próximos anos da vida da garota. Mas a filha consegue convencer a mãe de que ela vai saber se virar sozinha, porque ela tem amigos para ajudar. (É lindo, gente!)

2- Dear Friends / Chocolate
Câncer strikes again! (Eu disse que eles usam muito esse tema.)
Em Dear Friends temos a garota popular que acaba ficando com câncer, todos os amigos se afastam dela, menos uma. E essa amiga tem uma doença terminal que faz os seus músculos (tanto voluntários quanto involuntários) pararem de funcionar. A que teve câncer vira enfermeira só para poder cuidar da amiga, que morre no final. (Só morre gente nesses filmes.)
Chocolate é filme de ação. Uma menina com doença mental (que também não sei qual é) começa a buscar dinheiro para o tratamento da mãe com câncer. Ela encontra os valores escritos em um caderno e com ajuda de um amigo começa a fazer isso. Só que a mãe é ex-mafiosa e isso dá uma merda! Mas as cenas de luta do filme são ótimas.

1- Hua Mulan / Dodoro
Filmes épicos! :3 SIM!
Eu falei de Hua Mulan aqui no blog várias vezes. E gente, habemus Netflix. Só procurar! É a Mulan indo pra guerra e é isso ai! =D
Dodoro também já falei sobre. É um homem que teve partes de seu corpo dadas a 48 demônios antes mesmo de nascer, por conta de uma promessa que o seu pai fez a eles. Para recuperar essas partes, ele deve lutar com cada um dos demônios e matá-los. (O filme é meio maluco assim mesmo. Mas é bom!)

Espero que tenham gostado desse top 5!
Adoro quando dano a fala sobre as coisas da Ásia.
Até a próxima!
Beijos!

Definição de Família

sexta-feira, 25 de setembro de 2015


Segundo a nova definição da Câmara dos Deputados para família, a minha família pode é considerada família. Porque somos meu pai, minha mãe, meu irmão e eu. Casal hétero com filhos biológicos!
E isso me deixa feliz? Não! Claro que não!
Sabe por quê? Porque eu tenho personagens que são orfãos, seja de um dos pais ou dos dois. Ou que foram criados por outro membro da família, como avós ou tios. Além dos que foram criados por casais homoafetivos. (Que são alguns poucos apenas.)
E sabe, eu também vejo pessoas com diversos tipos de família diferentes. As pessoas são diferentes, assim como as famílias. Cada família é uma família, independente de como ela seja. Cada pessoa é uma pessoa, independente de quem ela seja.
O que importa é o podemos tirar disso. O que há por trás disso? O que há por dentro?
Com certeza é muito amor. E o amor, ele é capaz de tudo!
Não é uma lei que vai definir o que é essa primeira célula da sociedade. São as próprias famílias que se dizem famílias. Pronto!

(O texto saiu em apenas cinco minutos. Inspiração é isso ai!)

Pessoas que me inspiram: Nana Mizuki

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Voltando a falar de cantoras (e seiyuus) dentro das minhas inspirações. Acho que a música me inspira bem mais do que qualquer outra coisa.  Ok, tudo é fonte de inspiração, mas com certeza a maior que eu tenho são as músicas. =D
Hoje falarei dessa maravilhosa e perfeita da Nana Mizuki. O que dizer dessa moça de 35 anos? Sim, 35.
Eu a conheci entre 2008/2009, na época em que eu entrei no mundo da anisong. Com uma voz maravilhosa e potente, eu fiquei encanta com um timbre tão perfeito depois que vi os compilados de apresentações dela. (As fazem até hoje.) É simplesmente um coro de Nanas cantam. (Eu chego a ter um orgasmo. Sério!)
E no que a Nana me inspira então?
Algumas de suas músicas são temas das minhas histórias. Além de já ter citado muitas em histórias também.
Sua voz, dublando e cantando, me incentiva a dublar meus próprios filhos e me inspira durante os meus momentos de escrita.
Suas composições são um prato cheio para um bom fôlego de escrita.
Além de ser uma pessoa maravilhosa. O palco a transforma. Mesmo sendo a maior seiyuu do Japão atualmente, a Nana ainda é uma pessoa muito tímida.
Posso ficar horas aqui tecendo elogios a ela, mas acho que não precisa. Eu já citei ela no blog vezes suficientes para não precisar disso.
Nana, sua linda! :3

A Filha do Conselho

sexta-feira, 18 de setembro de 2015
 
Há exatos sete anos, eu peguei um bloco de folhas e escrevi dois capítulos muito curtos de um história nova e que foi a terceira que eu comecei: A Filha do conselho.
Eu já falei sobre ela algumas vezes no blog, mas como vocês sabem, falar das minhas histórias nunca é demais para mim. haha
Enfim, o livro conta da história de Caterine Stalkin, que foi adotada pelo conselho que se instaurou no reino onde nasceu. Toda a sua família foi assassinada, exceto ela. Eis o motivo da adoção e por esse ser o nome do livro.
Caterine cresceu e se tornou uma guerreira-viajante, que é uma pessoa que faz viagens em busca de relíquias e tesouros para enriquecer o conselho.
A história começa com a jovem recebendo mais uma missão: procurar da Espada do Poder Eterno. Obviamente, ela não é a única pessoa atrás do objeto. Seu companheiro de viagem, um misterioso mascarado também esta interessado nela, mas com outro propósito.
Claro que tem muito mais coisas depois disso. Tem uns toques de magia, luta, romance. De tudo um pouco, como eu gosto de fazer.
Caterine é mais uma das minhas protagonistas fortes. Ela sabe brigar pelo o que quer.
Essa é das histórias mais antigas mesmo e eu gosto muito dela. Mas tanto que eu já "cosplayei" o casal principal: Will e Caterine. (E vem o spoiler junto, mas ok.)
Difícil é dizer a parte da história que eu mais gosto, costumo dizer que é o capítulo 22, mas não é só ele não.
Enfim, já falei da história em vídeo, já fiz os primeiros capítulos em áudio. E tem até música-tema.
Agradeço ao Maurício de Sousa, porque foi aquela prévia do reino medieval, lá na segunda edição da Turma da Mônica Jovem, que me deu a inspiração para escrever. (Não perguntem como eu faço isso. EU NÃO SEI!)
Fiquem com as fotos do Moda Personagem, o áudio book e a música-tema.
Parabéns, A Filha do Conselho!




Tag: Livros e redes sociais

terça-feira, 15 de setembro de 2015

Mais um tag no blog e relacionada a livros.  Vi a tag aqui e gostei bastante, também resolvendo fazer.
Adorei a ideia de associar as redes sociais aos livros. Se eu fosse me definir como leitora usando uma rede social com referência, eu responderia TUMBLR. (Tumblr é amor!)
Bora para as respostas!
("Só para citar Poderosa de novo?!" Eu sei que você escapou o olho lá em baixo.)

1.Twitter: Um livro que você quer compartilhar com todo mundo.
Obviamente, Poderosa. Eu ainda sou uma solitária pessoa simplesmente apaixonada por essa série.
(Anulei o 6 na minha cabeça. haha)

2. Facebook: Um livro do qual você gostou muito e que foi recomendado por outra pessoa. 
Jogos Vorazes. Ainda nem terminei a leitura, mas já gostei bastante. Eu nem faço ideia de  quem me indicou.

3. Tumblr: Um livro que você leu antes de criar seu canal no Youtube (no caso, Blog), e do qual ainda não falou.
Amor ou Amizade? Aqueles livros mega underground que só eu compro na bienal. Vide que eu comprei livro de BL na última bienal e nem no skoob coloquei porque nem tem. Idem com este livro.

4. Myspace: Um livro que você não tem a intenção de reler.
Meu pai vive de arte e Quando o coração escolhe. Achei ambos muito chatos pra falar a verdade. Um achei chato quando tinha 13 anos, imagina agora. O outro tem resenha no blog.

5. Instagram: Um livro com uma capa bonita (ou, um livro "fotogênico"). 
Meu Alice no País das Maravilhas. Simplesmente amo o desenho da capa. =D

6. Youtube: Um livro do qual você gostaria de ver uma adaptação para o cinema.
Uma Fada veio me visitar. Acho que algum livro da Thalita merecia adaptação, mas sem ser da série fala, sério. Acho que esse foi o primeiro livro dela que eu li. :3

7. Skype: Um livro com personagens com os quais você gostaria de conversar.
Posso roubar? De novo? Eu gostaria muito de conversar muito com todos os meus personagens.
Opa! Acho que eu já fiz isso né? Lá no conto Encontro em Anelândia. haha
Mas eu ainda quero conversar com eles. Se eu pudesse morava lá em Anelândia.

Bem, pessoal, essa foi mais um tag no blog. Eu tento sempre evitar de repetir livros nas tags, mas algumas coisas são simplesmente mais fortes do que eu. haha =D

Bienal do Livro 2015

sábado, 12 de setembro de 2015

(Postagem que vai fazer todo mundo querer me matar por conta da inveja.)
Eu, como sendo autora e também leitora, tinha a obrigação de ir a Bienal do livro, mesmo com o dinheiro um pouco curto. E dei a sorte de ir em dois dias diferentes. Um eu fui com o meu irmão e o meu namorado e no outro com meus pais.
O primeiro dia que eu fui foi na sexta-feira, dia 4, onde eu fui conhecer a autora Juliana Leite. Ela está lançando o seu primeiro livro: Entre Vidas I -Kiara-. É uma original que estava no Nyah! Fanfiction e eu sempre tive vontade de ler. Mas sempre acabava deixando pra depois. (Eu enrolo para ler, gente. Não adianta.)
Enfim, fui lá conhecê-la, comprar o livro, pegar o autógrafo e também atrapalhar o lanche dela. A hora que eu cheguei, ela tinha acabado de sair para comer algo. A menina do stand chamou ela depressa. Eu pedi um zilhão de desculpas por ter atrapalhado o lanche dela. =D
Depois disso, nós passeamos um pouco e eu comprei algumas coisas. Postarei-as no Garota Zodíaco na próxima semana. Tudo isso foi para fazer hora para eu poder ver o Affonso Solano, que lançou a continuação do Espadachim de Carvão. Assisti a palestra dele do lado de fora, porque estava cheio e e eu não peguei senha. Ele se prestou em atender o pessoal depois no estande da Leya depois, bem, eu iria para lá. Mas, com ajuda do meu namorado, esperamos ele sair de onde estava e fomos caminhando. Bem, eu estava com meu livro na mão e ao ele ver perguntou se podia ir adiantando e autografando no caminho. Vocês não tem ideia de como eu fiquei feliz, cara!
E eu esperaria para tirar foto com ele, com todo o prazer, mas a minha carona estava de saída. (Carona é assim!) Ele estava no outro dia que fui, mas a fila tava grandinha. Mas ele é daqui do Rio, pegar outro autógrafo e tirar uma foto com ele é o menor dos meus problemas. Outras oportunidades eu terei. =D
Já no Domingo, fui com meus pais e meu irmão. Aproveitei para dar mais um voltinha e prometi a mim mesma que não compraria nada. Ledo engano!
Passei na Valentina e conheci a Tammy Luciano e comprei o novo livro dela: Escândalo!!. E a pessoa inteligente que vos fala esqueceu de levar o Garota Replay para autografar também. Tirei foto com ela e a gente conversou um bocado. Disse pro meu irmão continuar me apoiando, porque a família dela a apoiou muito!
E passeando pelo pavilhão verde, fui querer ver um livro que eu tinha me interessado na sexta. Porque tinha uma menina de cosplay. Fui no stand e dei de cara com um outro livro que eu tava querendo havia tempos: Tenshi, um anjo sem asas. (Até citei em uma tag do blog.)
Eu fiquei babando o livro lá na frente. Até que a autora veio falar comigo e acabei conversando um pouco com ela, que eu tinha encontrado o livro no wattpad, lido o primeiro capítulo e amado. Eu tive que levar o livro, pegar autógrafo e tirar foto com ela.
Ainda a fiz vender mais um livro. Uma menina parou e perguntou sobre o que era, eu só soltei: Menina, eu li um capítulo desse livro e gostei. Compra logo!
E não é que ela comprou? haha
Depois, eu me encontrei com a minha mãe, andamos mais um pouco com ela e viemos para casa.
Foi a primeira bienal que eu peguei autógrafos e tirei fotos. Eu nunca me diverti tanto e me senti tão feliz! :3

Uma pessoa que organiza mal seu tempo

terça-feira, 8 de setembro de 2015

Um dia tem exatas 24 horas. Às vezes, com alguns quebrados. 
Uns dizem que isso é mais do que suficiente para se fazer o que se quer.
No meu caso, pare que o tempo escorre pelas minhas mãos como grãos de areia e quando vou ver, minha mão está vazia.
Pode ser que eu realmente tenha coisa demais a fazer. Eu me dei muitas responsabilidades. Ou será que é por que eu quero fazer tudo logo e fico indecisa, sem saber por onde começar?
Acho que é a segunda opção, em "plus" com a primeira. Muita coisa para pouco tempo. (Sem contar que tem aquela de me interromperem diariamente.)
E quando estou fazendo algo, outra coisa ocupa a minha mente e começo a fazê-la ou esquecendo o anterior ou em paralelo. Imaginem a bagunça que fica!
Escreve um conto aqui, revisa algo ali, responde uma mensagem por lá, baixa uma música acolá.
Pessoa pipoca e multitarefa que eu sou. E por consequência disso, meu tempo é mal aproveitado de certa forma, porque eu me organizo mal.
Eu realmente preciso fazer construir uma rotina para mim (foi inclusive recomendação da psicóloga), mas sei que não vai funcionar muito bem. Como disse em um outro texto: Meus planos são sempre atropelados.
Mas eu sei que preciso me esforçar para tal. Só dando um primeiro passo é que eu posso começar a aproveitar melhor os dias, as semanas, os meses e os anos. E fazendo tudo o que quero fazer, sem precisar ficar intercalando tudo para poder dar tempo.

Seiyuus x Seiyus

sábado, 5 de setembro de 2015

Lá vou eu falar de seiyuus de novo e de uma das minhas histórias de novo.
Acho que vocês já sabem que os Seiyuus são os dubladores japoneses que eu tanto amo. (Eu amo dublagem, não adianta).
Já é o Seiyus é um dos meus personagens, especificamente do Mago Belo e o mundo da magia. Eu já falei dele aqui no blog, mas tem um tempão já.
Seiyus é praticamente o mascote de Mago Belo, ele é um mago que foi condenado a ficar alguns anos na forma de um ser pequeno, um mascote mesmo. haha
Ele também é um erro de digitação. Ia escrever Seiya e saiu Seiyus. Como? Até hoje eu não sei!
Mas o que o Seiyus tem em comum com o Seiyuus, além, é claro, da pronúncia praticamente igual?
É justamente o fato de Seiyus já ter uma voz. Acho que é o único personagem meu com uma voz definida.
E o seiyuu do Seiyus? Quem é? Ora, sou eu! =D
Quem melhor do que a própria criadora para tal, não é?
Outra coisa comum é o amor que eu sinto e como provo que gosto tanto.
Fiquem com o vídeo que eu fiz dublando o Seiyus. :3 (Postagem pós-bienal, sorry!)

Eu participo: Book Tour Sangue dos Deuses

terça-feira, 1 de setembro de 2015
É com muito prazer que eu anuncio que estou participando de mais uma Book Tour. Dessa vez é do livro Sangue dos Deuses, do autor Michel Duarte.
Em breve, a resenha do livro aqui no blog.
Vamos conhecer mais sobre a obra e o seu autor! :3

Sobre o Livro:
 "Ordem e Caos: desde o início do universo esses opostos sempre estiveram em permanente conflito. Agora a batalha final entre essas duas forças parece estar cada vez mais próxima, pois Loki, o deus trapaceiro, escapou de seu cativeiro e utilizará de toda a sua astúcia para vingar-se dos deuses que o aprisionaram, iniciando a batalha final entre os opostos definitivos.
Do outro lado do mundo, Katherine, uma jovem adolescente, descobre que quase toda a sua família foi massacrada. Temerosa e seguindo o último conselho de sua querida avó, a garota foge para a casa dos tios, onde lhe é revelada uma verdade surpreendente: todos os antigos mitos nórdicos são reais, sendo ela mesma uma descendente da Valquíria Brunhild e do herói Siegfried, e mais importante essa herança meio divina e meio mortal a torna a única que pode contrariar o destino, impedindo Loki de iniciar o Ragnarök. Jurando vingança, Katherine precisa aprender a controlar seus poderes antes que Loki reúna as três runas necessárias para dar início ao Ragnarök, ou ela não apenas falhará em sua busca por vingança, mas também verá o próprio universo sucumbir em fogo e gelo."

Skoob | Página no Facebook
Compre: Amazon | Físico

Sobre o autor: 
Jean Michel Duarte Santana, soteropolitano, amante de História e leitor compulsivo, é estudante de Direito da Universidade Federal da Bahia (UFBA)e escritor comprometido; apesar da pouca idade já tem dois livros publicados e mais um a caminho. Desde a infância é fascinado por culturas e sociedades, tanto antigas quanto atuais, isso fez com que se voluntariasse para pesquisar documentos históricos no Memorial da Faculdade de Direito. No entanto, é na fantasia que se sente à vontade; de início estudou afundo mitologia grega, mas encontrou na nórdica a sua verdadeira paixão. Curioso e insaciável, fez dela seu tema preferido para criar histórias.

Facebook

Blogs Participantes: Traveling Between PagesManhÊÊ, me dá um livro?!?!?!!