Top 5 #8: Melhores colaborações do Animelo Summer Live

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Mais um Top 5 no blog! AEHOOO
E nesse final de semana é Animelo Summer Live 2015 -The Gate- , que é o maior show dedicado a anisong (música de anime) do Japão. Este ano é a 11º edição.
E para não deixar passa em branco, resolvi separar as melhores colaborações entre os cantores de anisong.
Vou ser sincera: foi difícil de escolher. Sério! Animelo é perfeição na Terra. Se pudesse faria um top 10, mas melhor não, senão ficarão dezenas de vídeos aqui no post.
Ikuze!
OBS: Alguns vão ser por link, porque deu erro na incorporação! Desculpem-me! =/
Menção Honrosa: Don't say lazy - Shoko Nakagawa x Scandal
Mas por que essa menção? Sim, é uma coloboração FODA. É a única palavra capaz de defini-la. Porém, ela aconteceu no Animax Musix e não no Animelo. Só acho que merece ser citado. Só isso!

5- Happy Material - Yui Horie x Minori Chihara (Anisama 2009) e Eternal Blaze - Arika Takarano (Ali Project) x Nana Mizuki (Anisama 2008)
O que dizer dessas duas? Na primeira, aprendi a gostar da música. E a Yui Horie e a Minorin conseguem ser muito fofas! (Kawaii!)
E ETERNAL BLAZE? Essa é uma das músicas que mora no meu coração. Se eu escutar em volume alto o suficiente, eu me emociono. O PV, a letra, é tudo lindo nessa música. Só na apresentação que a Arika Takarano erra a música umas duas vezes.

 
 
4- Pegasus Fantasy - Shoko Nakagawa x NoB (Anisama 2013)
Abertura favorita do Saint Seiya de metade do mundo, menos eu e meu namorado. haha
Enfim, essa música marcou a vida de muita gente. E com a criação do Saint Seiya Omega, eles resolveram fazer uma nova versão dessa música, com a Shoko Nakagawa e o MAKE-UP. 
Eu fui a única pessoa que depositou confiança na Shokotan, porque ela sabe fazer sim cover de anime e sabia que faria um bom trabalho na música. E não deu outra!
Detestei Saint Seiya Omega, mas a versão de Pegasus Fantasy da Shokotan conquistou-me. E ainda teve essa apresentação épica com o Nobuo Yamada, o cantor da música original.

3- Rinbu -revolution - Masami Okui x Minori Chihara (Anisama 2008)
Eu já disse que essa é a música que tem mais apresentações em eventos de anisong e mais covers ever! Cheguei a citá-la no Top 5: Músicas GIRL POWER.
A Okui-san já cantou-a com a Nana também, mas escolhi a dela com a Minorin, porque a Minorin é minha diva. (E a Okui tá no primeiro lugar com a Nana. haha)
Não chega a aparecer no vídeo, mas no final eles interagem de uma forma muito legal. Correm para se abraçar e falam: "Okui-san"; "Minori". Não guento!


2- Discotheque/MonStAR - Nana Mizuki x Aya Hirano (Anisama 2009) e Orpheus/Scarlet Knight - Mamoru Miyano x Nana Mizuki (Animelo 2013)
Imaginem apresentações que fizeram o mundo ruir. Pois é, são essas duas!
Em 2009, Aya e Nana eram as seiyuus mais populares do Japão, era de se esperar algo com elas no Anisama. Sem contar que foi o ano em que elas trabalharam juntas em White Album e Saint Seiya: Lost Canvas. (Lost Canvas >>>>>>>>>>> SS Omega)
E o Mamoru Miyano é um seiyuus masculinos mais famosos. Achei que até demorou muito para ele cantar junto da Nana. E sério, foi épico. Foi foda! A plateia surtou!
Sem contar que o Miyano no backstage, que eu vi um pouco depois, se curvou diante da Nana quando ela chegou e ela teve que rir. (Miyano-kun sabe das coisas!)



 
1- Transmigration - Masami Okui x Nana Mizuki (Anisama 2014)
Essa foi a primeira música cantada lá no primeiro animelo e sim foi pelas duas: Nana e Okui.
E sinceramente, essa é uma das minhas músicas favoritas da Masami Okui. Não era para menos que eu iria gostar dela ao vivo.
Inclusive foi a música que fechou a 10º edição do Animelo do ano passado. Cara, foi lindo. Foi foda. Foi épico! Essa música é apenas muito maior envolvido!

 
Bem, Minna-san! Esse foi mais um top 5 aqui no blog.
Admito que tive a ideia de repente. Ou melhor, ao me lembrar que o Animelo Summer Live é nesse fim de semana. Alias, tá rolando agora. Como eu queria morar no Japão nessas horas.
Até o próximo top 5! :3

Termos de anime para leigos

terça-feira, 25 de agosto de 2015

Hey, Minna-san!
Estou fazendo essa postagem atendendo um pedido da Gih-chan, ou só Gih, lá do blog Profissão Escritor. Ela fica boiando nos zilhares de termos que eu uso quando falo de animes, mangás, seiyuus e outras coisas "chinesas" aqui no blog.
E como eu sou uma pessoa legal, vou atender o pedido dela sim. E usarei como guia o que eu costumo falar mais no blog. E peguei alguns termos que nem eu mesma conhecia.
Coloquei no título  "Anime", mas tem uns termos japoneses também, a maioria é de anime mesmo.
Ikuze! =D

Anime- No resto do mundo significa "animação japonesa", mas no Japão é qualquer tipo de animação. Conclusão: Ben 10 é chamado de anime no Japão. haha

Mangá- Quadrinhos japoneses, gibis japoneses. Não estou usando um termo pejorativo, é isso mesmo! A única diferença é que eles são lidos da direita para a esquerda. Só isso!

Mangaká- Criador de um mangá, ou melhor, desenhista de um mangá. Porque mangakás tem que saber desenhar.

Light Novel- São os livros destinados a pessoas mais jovens, seriam os livros juvenis ou jovens adultos. Eles apresentam história com um grau de leitura bem fácil, levando em conta que apresentam poucos kanjis. (Kanjis são aqueles símbolos mais difíceis, digamos assim.)

OVA- Original Video Animation. São espécies de episódios extras de animes. Ou alguns animes curtos, de apenas um ou dois episódios e que não são exibidos na TV.

Kodomo- Anime/mangá destinado ao público infantil. Exemplos: Hamtaro, Mirmo Zibang!

Shoujo- Anime/mangá destinado ao público feminino adolescente. Exemplo: Toradora, Kaichou wa Maid-sama!

Shounen- Anime/mangá destinado ao público masculino adolescente. Exemplo: Saint Seiya, Yuyu Hakusho.

Josei- Anime/mangá destinado ao público feminino adulto. Ex: Nana.

Seinen- Anime/mangá destino ao público masculino adulto. Ex: Berserk.

Yaoi- Anime/mangá com relação homo entre homens. Ex: Love Stage, No.6.

Lemon- Yaoi com cena de sexo.

Yuri- Anime/mangá com relação homo entre mulheres. Ex: Queen's Blade, Mahou Shoujo Lyrical Nanoha.

Orange- Yuri com cena de sexo.

Echii- Seria a censura 16+. Cenas de semi-nudez em um anime.

Hentai- Cena de sexo entre um casal hétero. (É a censura 18+!)

Otaku/Otome- Aquele que gosta de animes/mangás, no resto do mundo. Já no Japão significa aquele que se dedica muito a algo, mas é visto algumas vezes como vício. Porque ser otaku no Japão é hardcore. Otome quer dizer "menina pura", mas há alguns anos também virou o feminino de Otaku.

Fujoshi/Fudanshi- "Menina podre", aquela que gosta de yaoi. Fudanshi é o masculino.

Seiyuu- Dublador. Seja de animes, filmes, etc.

Shotacon- História com meninos abaixo dos 12 anos. Pode ter hentai e yaoi.

Lolicon- História com meninas abaixo dos 12 anos. Pode ter hentai e yuri.

Tsundere- Estereótipo de personagem que se apresenta como agressiva e esquentada, mas por dentro ela é toda fofinha.

Yandere- Estereótipo de personagem que se apresenta como fofinha e inocente, mas por dentro ela é agressiva e em alguns casos psicopata. (Inverso da tsundere.)

Kuudere- Estereótipo de personagem que se apresenta fria sempre. Ela não demonstra seus sentimentos e nem muita variação na fala.

Seme- Personagem que é o ativo na relação yaoi/yuri.

Uke- Personagem que é o passivo na relação yaoi/yuri.

Chibi- Pequenino. É uma representação de algum personagem em uma versão infantil. Ou até um personagem criança mesmo.

Minna- Pessoal. (Eu vivo falando isso aqui.) O san que vem depois é a partícula de tratamento. :3

Ikuze- Vamos! Pode ser abreviado para "Ike!".

Então, Minna-san, gostaram desse "Anime for dummies"?
Espero que a um nível básico passem a entender agora. Eu resumi bem mesmo, para ficar claro.

Tag: Situações literárias

sábado, 22 de agosto de 2015
Hey, Minna-san! Trazendo mais uma tag aqui no blog, depois de um intervalo de uma leva de tags que vieram.
Essa tag é básica mesmo: Só responder as perguntas mesmo. E quem gostar sinta-se a vontade para fazer. (Eu vi a tag aqui.)
Agora a tag...

1 - Você precisa se desfazer de quase todos os seus livros e só pode ficar com um exemplar de cada um desses gêneros: contemporâneo, fantasia, não-ficção e um gênero de sua escolha. Faça sua lista.
Contemporâneo: Linhas - Sophia Bennet;
Fantasia: A espada de Kuromori - Johan Rohan;
Não-ficção: Mental Floss
Outro: Poderosa - Sergio Klein. (É "OBVEO"!)

2 - Você está em uma livraria e escuta uma adolescente dizer a sua mãe que não gosta de ler, mas a mãe insiste para que ela escolha algo. Você aparece e recomenda algo para quem não lê muito. Que livro você recomendaria?
Qualquer um da Thalita Rebouças. Os livros dela são tão bons de ler e o bom é que são crônicas, então o livro fica mais fluido.

3 - Você não está bem e está tendo um mal dia e precisa de algo que te anime. O que você lê nesses casos?
Nesses momentos, eu geralmente pego um dos meus cadernos ou abro um dos arquivos no meu computador e vou reler algo que escrevi. Sempre me animo! =D (Ou caso contrário, eu ia ouvir algo da Minorin. haha Eu sei que a tag é de leitura.)

4 - Volte a sua adolescência por um dia. Que livro você está lendo?
Poderosa strikes again. hahahahah Joana Dalva foi parte da minha adolescência, não adianta.

5 - Um amigo te surpreende com quatro dias de férias e você tem uma hora pra preparar as malas. Que livro você levaria para a viagem?
Eu levaria o livro que estou lendo atualmente e levaria um mangá ou dois, para dar uma aliviada na leitura. (Eu cheguei a levar quatro mangás junto para um mero final de semana.)

6 - Roubaram sua casa! Mas, não se preocupe porque tudo está bem. Exceto a sua estante, que eles deixaram praticamente vazia. Que livro você espera encontrar intacto na estante enquanto corre para conferir o que está faltando?
Fadas da Areia, Na escola com Veríssimo, e os livros onde publiquei. Porque eu sei que não vendem mais ele. (Até Poderosa eu sei que dá para comprar de novo.) O segundo livro que citei foi um trabalho de escola, onde escrevemos contos, e só existem três exemplares dele, se eu perder terei que xerocar das amigas. =D (Eu citei ele no Sua Vida em Livros.)
Se bem que eu sofreria bem mais se roubassem meus cadernos ou o meu computador!

7 - Um amigo te pede emprestado um livro e devolve em péssimas condições. Explique.
A - Não se importa muito com o ocorrido. 
B - Pede que ele te compre outro exemplar. 
C - Destrói um dos livros do seu amigo secretamente. 

Letra B. Eu primeiro ficaria muito chateada e ia cobrar outro livro, porque eu tenho zelo pelas coisas que os outros me emprestam, então gosto que façam o mesmo com as minhas.
(Uma amiga já deixou os mangás dela comigo um tempão. E ela disse: Com você não tem problema, eu sei que você devolve direitinho.)

Bem, pessoal. Essa foi a tag! Espero que tenham gostado!

Toradora

terça-feira, 18 de agosto de 2015

Vamos falar de anime de novo. Eba! Tem um tempão que eu não falo de um anime especificamente.
O de hoje será Toradora!
Sim, mais um shoujo. Porque eu amo shoujos. Eles são vida, são amor, são tudo! :3
Esse anime conta a história e Taiga e Ryuuji, dois estudantes do 2º ano colegial, colegas de classe e também vizinhos.
Taiga é a tsundere clichê, ela é toda esquentadinha, mas por dentro é toda molinha. Ela a menina que as pessoas tem mais medo na escola, porque com esse tipo de personagem.
Ryuuji é um garoto pobre e que vive com a mãe, que trabalha durante a noite para sustentar a casa. O pobre é a cara do pai, que era um bandido. Então as pessoas tem medo da cara de mal encarado que ele tem, mas o Ryuuji é um menino bonzinho.
Eles fazem um acordo de se ajudarem para conquistarem os seus crushs. Taiga gosta do Kitamura e Ryuuji gosta da Minori. E assim a amizade deles começa!
É assim que eles arrumam alguns problemas bem engraçados. Como quando Ryuuji tem que tirar fotos do Kitamura para a Taiga, porque ela borra todas porque fica tremendo.
O Ryuuji faz um bojo falso para ela, para ela usar na aula de natação (Taiga tem complexo de seios pequenos) e um deles escapa quando ela cai na piscina. É uma das cenas mais engraçadas.
Ambos são muitos tímidos e nunca conseguem se declarar.
No final das contas, eles que acabam se apaixonando um pelo outro. O que seria o mais óbvio e mais clichê a acontecer.
Mas o anime vale a pena ser assistido sim. Ele é divertido, tem as pegadas de romance e tudo mais o que um shoujo merece, além de ter a maravilhosa Queen of Tsundere, Rie Kugimiya, fazendo a voz da Taiga. (Esse apelido dela faz tanto sentido.)
Os personagens são muito carismáticos, destaque para a Minori, que além de ter o nome da minha diva, é a simplesmente a personagem mais engraçada. Ela é doidinha! Eu perdi as contas que quantas vezes eu ri das partes dela no anime.
Então, se você procura um anime para relaxar, dar uma boas risadas e morrer de amores... Toradora é um boa pedida!

Dicas para escrever: Nomear capítulos, Classificação indicativa

sábado, 15 de agosto de 2015

O dicas de número 5 do blog! AEHOOOO
Podem conferir os outros: Dicas 1, Dicas 2, Dicas 3 e Dicas 4.
Para hoje, escolhi dois tópicos e que vão com certeza ajudar muito vocês: Nomear Capítulo e Classificação Indicativa.

Nomear Capítulos

Junto com a sinopse é uma das coisas que muita gente não sabe como proceder.
Mas o que significa esse tópico, Anelise?
Trata-se da melhor forma que você listar os capítulos da sua história.
Convenhamos que fica meio feio você só colocar números no capítulos. Tipo, apenas 1, 2, 3.
Se você se acha péssimo para "batizar" capítulos, uma boa saída é um simples Capítulo 1, Capítulo 2. Tanto em algarismos arábicos quanto em romanos. É uma boa saída!
Agora, se forem como eu, que gostam de dar nomes ao capítulos, eu te ensino uma saída para isso ser simples e não mais um bicho para você se preocupar ao invés de escrever a história.
Foque no que você vai querer que aconteça naquele capítulo. O que é? Você pode usar isso no título.
Ex: Um personagem vai fazer aniversário? "Aniversário de fulano"
Dois personagens vão ter uma briga feia? "Quase deu porrada" (Se a história for de humor, fica ó!)
Algo muito importante será revelado? "Revelação"
Não precisa ser algo genial, pode ser o óbvio mesmo, mas cuidado para não acabar dando spoiler. Isso também vai muito do seu instinto como escritor. Eu aprendi a fazer isso sozinha e já batizo o capítulo naturalmente e sem dificuldade. Claro que você fazer umas jogadas com o título do capítulo, afinal, não há regra.
É só treinar que você logo logo vai fazer com pé nas costas. haha (Amo essa expressão!)

Classificação Indicativa

Aqui é onde mora um dos pontos cruciais da sua história. Porque se você classificá-la errado, é provável que o site que você a publica a exclua ou te dê alguma advertência.
Então você tem que saber o que tem sua história que não é recomendação para idade tal.
Gente, eu sei que tem crianças que leem histórias 18+, mas o aviso está lá, se a pessoa leu ela assumiu o risco. Você devidamente avisou!
Essas são as categorias, me baseando pelo Nyah Fanfiction:
Livre: Nenhuma restrição. A história deve ter uma temática livre, sem linguagem imprópria, sexo ou violência por exemplo.
13+: Violência e insinuações leves. Pode conter linguagem imprópria, violência leve e insinuações de sexo.
16+: Violência, sexo implícito. Além da linguagem imprópria, violência e sexo implícito, ou seja, onde você diz que os personagens fizeram, mas não diretamente.
18+: Violência, sexo explícito. Linguagem imprópria, violência (tipo com tortura) e sexo explícito, onde se descrevem as cenas de sexo.
Cabe apenas a você perceber se a sua história tem alguma dessas características, assim ela entrará nestas restrições.
Pense bem nela e o que acontece. Os personagens xingam palavrão? Alguém é ferido? Toma tiro? Troca porrada? Alguém transa? Coisas assim!

Bem, pessoal. Mais uma edição das dicas.
Já sabem né? Isso não pode ser levado como algo absoluto, é só para dar uma direção a vocês.
Qualquer dúvida é só perguntar nos comentários.
Beijos!

Pessoas que me inspiram: Clarice Lispector

terça-feira, 11 de agosto de 2015

Vamos voltar um pouco aos escritores que são minhas inspirações. E sim, mais clichê impossível: Clarice Lispector.
Eu sei que a dona moça é muito overrated por ai, mas o que eu posso fazer? Eu gosto!
Serei sincera, o único livro dela que eu li dela foi A Hora da estrela. E que acabei me apaixonando.
Na real, eu conheci o livro quando fui fazer a fotonovela dele ainda no colégio, e sim, eu fui a Macabéa porque era única menina do grupo. (Eu provando a mim mesmo, de novo, que eu sou a autora do JV. haha)
Decidi conhecer mais sobre ela ao fazer meu TCC, porque eu cismei em falar dela desde o primeiro período da faculdade. E o amor só aumentou depois disso!
E no que a Clarice me inspira?
Oras, a ser a escritora que eu sou e que eu sempre fui. A de viver cada um dos livros, cada uma das palavras, cada um dos personagens.
As vezes, acho que sou parecida com ela como escritora. E foi isso o que eu busquei no meu TCC lá em 2012. Se ela fez a Macabéa a imagem e semelhança dela. Porque escritor faz isso, ele projeta um pouco nos personagens.
E aquela última entrevista dela? Gente, aquilo é... Tipo, sem palavras.
Uma das melhores escritoras de já tivemos por aqui e que me inspira muito.
Clarice, sua linda!

Resenha #15: A espada de Kuromori

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

Mais uma resenha no blog. E hoje será sobre um livro que eu gostei muito e sim, entrou para a lista dos favoritos. Como eu chamo, brincando: Kuromori no Swordo (A espada de Kuromori).
Deixando a sinopse e depois, eu falo sobre.

Sinopse: Aos 15 anos, Kenny Blackwood é um típico garoto da sua idade. Nascido na Inglaterra e morando desde os oito nos Estados Unidos, Kenny Blackwood vai a Tóquio para passar o verão com seu pai, um professor universitário. Ao chegar no Japão, o garoto fica surpreso ao descobrir um destino com o qual nunca sonhara. Ele é o único que pode deter uma guerra secreta prestes a explodir. Correndo contra um prazo impossível, Kenny precisa encontrar a lendária Espada do Céu e usá-la para evitar o pior. Mas um bando de monstros terríveis quer impedi-lo e o sucesso terá seu preço. Com a inteligente e destemida Kiyomi ao seu lado, Kenny precisará transitar entre o Japão moderno e o mítico para encontrar a espada perdida, antes que seja tarde demais.

A história começa com Kenny Blackwood dentro do avião quase chegando no Japão, quando ele finalmente abre a carta que o avó lhe deu. E ele fez justamente o contrário do que lhe foi mandado.
Assim que desce do avião, Kenny já é caçado e ele não faz ideia do que fez. E realmente, ele não fez nada, o problema é que ele é a pessoa da profecia, ou melhor, o descendente de um grande salvador, que foi o seu avó.
Com a ajuda do Poyo, que é um guaxinim, ele consegue escapar e acaba se encontrando com Kiyomi e Harashima, que serão as pessoas que mais o ajudarão a entender a sua missão.
E essa história tem todo o folclore japonês que se pode imaginar. Tem onis, nure-onnas, yurei e mais um monte de criaturas. E os deuses, é claro.
O legal é ver o Kenny tendo que adaptar tão rápido aos costumes do país e também a aceitar sua missão. Muitas das coisas que ele consegue fazer com os seus poderes são muito de seu talento natural. Ele treinou pouco para os dias que se passaram. Muito do que ele sabia e fez foi por conta de seu próprio instinto.
O livro é cheio de personagens legais e carismáticos, entre eles estão Genkuro-sensei e o Poyo.
Enfim, a missão de Kenny é deter o grande dragão Namazu que despertará mais uma vez e para tal tem que encontrar a espada sagrada. (Isso me lembrou muito a história do Orochi no KOF e também a parte dos tesouros do mundo espiritual no Yuyu Hakusho.)
É um passeio pelo japão e pela cultura. E sim, o livro é carregado de japonês, mas tem um glossário que salva os mais leigos. Admito que até eu dava uma olhada por lá enquanto lia. E não demotei muito tempo para perceber o que Kuromori significa. =D
Kenny e Kiyomi tem muito em comum, perderam suas mães muito novos e são capazes de enxergar as várias criaturas que vagam Japão afora. É muito legal ver a relação deles se construindo. (Sim, é OTP.) E o final desse livro... Eu fiquei assim, até um pouco triste pelo o que aconteceu. Mas se contar será um spoiler dos grandes. Nem todos os onis são maus.
Ouso dizer que o Kuromori-san entrou para a minha lista de favoritos. (Sim, ele tá juntinho da Joana Dalva agora.) O autor conseguiu reunir o que tinha de melhor e fez uma fantasia maravilhosa. Eu fiquei triste quando o livro acabou. Ainda bem que tem continuação.
Queria que tivesse um anime disso. Preciso!

Top 5 #7: Melhores Mangás curtos

terça-feira, 4 de agosto de 2015

Mais um Top 5 aqui no blog. E sim, vamos falar de mangá hoje. E um tipo de mangá que eu gosto muito são os curtinhos, que tem um ou dois mangás no máximo. Até leio alguns que excedem este número, mas eles não entraram no top.
Tecnicamente, esta também é uma subcategoria. :3
Vamos ao top!

5- Yakuza Girl e Porno Superstar
São dois mangás que eu gostei muito, mas eles tem uma história bem seletiva, quem não curte muito uns ecchis, uns hentais e uns lemons vai passar longe.
Yakuga Girl tem uma pitada de ação com fantasia e echii. É um mangá bem divertido e coloca você para pensar no final.
Já o Porno Superstar... Ah, os yaois na minha vida são muito amor! Eu posso até fazer uma lista de mangás yaoi que leio, mas deixa isso quieto. A história é sobre um jovem gay (e virgem) que acha que encontrou o seu ator de pornô favorito, mas é só um cara parecido com ele. (Obviamente que rolam uns lemons. *aquela carinha* )

4- Akkan Baby e 17 Sai no Mama
Eu cheguei a citar esses dois mangás na postagem sobre Akemi no Musuko, eles falam do mesmo tema, então o mínimo colocá-los juntos.
Ambos falam sobre gravidez na adolescência, sendo um mais focado na comédia e o contexto social da situação. O outro é mais focado no drama e no pessoal dos personagens.
(Eu, pessoalmente, gostei mais de Akkan Baby.)

3- Princess Ai
Também já citei ele por aqui no blog, só não recordo onde.
Princess Ai conta a história da Ai, uma princesa de um outro lugar que vai parar no nosso mundo. Ela é descoberta como uma excelente cantora e acaba ficando famosa. Isso pelo o que eu lembro!
Claro que esse mangá é totalmente shoujo, mas eu gosto de shoujo, mesmo que seja uma enrolação sem fim!

2- Só você pode ouvir e All You Need Is Kill
Ambos já foram resenhados no blog. E são mangás excelentes, que dá vontade de ler de novo e de novo. (Resenha Só você pode ouvir; Resenha All You Need Is Kill)
Um é muito dramático, o outro tem ação até dizer chega. (E adaptação para filme, que é muito bom também.)  E sim, eu fiquei meio triste com o final dos dois. É de arrancar um pedaço do coração fora!

1- Jam!! As Justiceiras.
Agora que vocês se perguntam: Que diabo de mangá é esse?
Tem uns bons anos que eu comprei essa mangá na bienal aqui do Rio. (Sim, eu sei garimpar mangá em bienal. É só saber onde ir. E Comix não é a resposta!)
E ele tem como protagonistas duas mulheres, uma mais kawaii e a outra é mais porra louca. Se não me engano elas são policiais. Tem muito tempo que eu eu li, mas eu lembro que ri bastante.
Mais um que relerei para resenhar para cá!

Bem, essa foi mais um top 5. Espero que tenham gostado! :3