Caderninho do pensamentos aleatórios

quarta-feira, 30 de abril de 2014

É tão bom sempre manter um caderno na sua bolsa e sempre levá-lo com você a qualquer lugar.
Eu não estranho que na rua, que é tão agitada, meus pesamentos se agitem também. São nessas horas que eu tenho boas ideias. E de nenhuma forma eu quero deixar que o se surge na minha cabeça se vá na mesma velocidade que veio. Então pego o caderninho e anota de forma bem simples, para que eu possa com uma simples frase religar aquele pensamento e poder usá-lo mais tarde.
Pode ser que eu queria escrever algo apenas para desabafar. O caderno se torna a "pessoa" mais próxima para poder contar e explicar o que sinto.
E não precisa ser escrito de uma forma tão certinha e tão bonitinha. É um caderno para escrever, escrever o que der na telha, o que der vontade.
É um caderno para jogar as coisas e ao mesmo tempo arrumar a cabeça!

Helter Skelter

sexta-feira, 25 de abril de 2014

Lá vou eu falar de filmes japoneses! haha O que falar de Helter Skelter?
Este filme é baseado no mangá de mesmo nome de Kyoko Okazaki.
Ele conta a história de Lilico (ou Ririko, se formos falar em japonês), que é uma modelo muito famosa. Ela aparece em milhares de capas de revistas, programas de televisão e outras meios de entretenimento. Ela é muito conhecida por sua beleza, que é considerada perfeita, um ideal para ser alcançado. Contudo, toda essa beleza da Lilico é comprada, totalmente artificial. Ela fez diversas cirurgias plásticas para ficar dessa forma.
O filme começa as mil maravilhas, fotos e mais fotos, programas e mais programas. Então, aparece Kozue, uma menina bem mais jovem e que tem uma coisa que Lilico não tem: Beleza natural. Lilico se sente ameaça! E um outro problema também surge, são manchas em sua pele, consequência pelas inúmeras cirurgias plásticas.
A sua tutora a leva para a clínica onde fizeram cirurgias outras vezes para consertar. Mas essa clínica está sendo investigado, pois muitas de suas pacientes estão morrendo e estão com manchas semelhantes as de Lilico. As manchas podem ser revertidas, mas com pouco tempo reaparecem. Todas as pacientes da clínica tem que se submeter a uma medicação forte para manter o corpo visualmente saudável. Muitas morreram por não tomarem o remédio.
A modelo começa a tomar uma porção de remédio para manter sua beleza, enquanto sua carreira e vida pessoal começam a desmoronar. O trabalho vai diminui, pois ela não quer que ninguém a veja daquele jeito e o seu namorado a deixa. (Sem contar o detalhe que ela dá uns pegas no namorado de um membro da sua equipe.) A situação vai piorando e um dos outros efeitos colaterais são as alucinações. Lilico acaba cometendo uma gafe na TV, no dia de seu aniversário.
No fim das contas, ela acaba sendo substituída pela Kozue como "O rosto mais bonito".
Numa última entrevista, Lilico acaba furando o seu olho. (Essa parte eu boiei legal). No final, a Kozue encontra com Lilico em um porão de bar, em uma festa pós-sessão de fotos.

Não vou ficar contando muita coisa, até porque não lembro com essa riqueza de detalhes. É um filme que eu recomendo muito! A Lilico é uma ótima personagem, e a atriz interpreto muito bem, uma eterna escrava da beleza e que a usa para conseguir o que quer.
Eu ainda tenho que ler o mangá, que deve ser tão bom quanto este filme.


Minha tsundere é uma agente

segunda-feira, 14 de abril de 2014

Um post sobre uma das minhas histórias hoje.
Bem, hoje vou contar sobre Minha Tsundere é uma agente.
Foi uma história que eu comecei a escrever por conta de um concurso em um grupo em que participo no facebook. A ideia era escrever uma história clichê não-clichê.
O termo é um pouco explicativo, mas eu explico mesmo assim... É utilizar uma ideia clichê como base e desenvolver a fim de que se torne algo fora do clichê.
Além de ter o limite de 15000 palavras, podendo ser um apenas um capítulo ou em cinco capítulos de 2500, totalizando os 15000.
Enfim, o resultado do concurso nem saiu (e nem sei se vai). Vou contar um pouco sobre o que eu pensei e como foi para escrever essa história.
Como sabem eu sou otaku e animes fazem parte da minha vida. Por que não usar um tema clichê de anime? 
Podia fazer do protagonista fortão e o vilão, ou um harém. Mas como eu sou uma fã declarada de shoujo, resolvi usar o clichê da tsundere e do garoto popular. Quantos shoujos não são assim, não é mesmo?
E para fazer o não-clichê? Bem, acabei me apoiando em um conceito das minha primeira história, aquela que eu comecei quanto tinha onze anos: As Super Agentes. Pois é, adoro essa coisa de agentes secretos. haha
Então, coloquei a nossa querida tsundere como uma agente. E o nosso protagonista masculino tem uma paixão secreta pela garota, o que também é clichê. Dai que vem o título! (Só eu para ficar explicando título.)

E como foi escrever a história?
Ah, foi bem divertido. Trabalhar o estereótipo da tsundere é a melhor coisa que tem, você pode fazer a personagem soltar as piores asneiras do mundo, xingar palavrão e manda o mocinho ir a belos lugares. (risos)
Não vou ficar aqui contando a história toda. Só posso dizer que foi muito divertido escrever. Levei quase um mês para isso.
Uma coisa que me pegou mesmo foi o limite de palavras. Tive dificuldades no meio da história, tanto que tive que dividir o terceiro capítulo e colocar boa parte dele no quarto.
Apesar disso tudo, eu fiquei muito satisfeita com a história. (As Super Agentes ainda me dão muitas boas inspirações.) É uma história digna de mangá/shoujo e ele realmente atingiu a sua proposta. É clichê, mas não é clichê ao mesmo tempo.
Quem sabe não possa levar essa história mais para frente? Escrever um dois ou sei lá?
Segue a sinopse!

Chikayo Asai sempre foi uma pessoa com personalidade explosiva, sempre determinada e dando foras em qualquer garoto que se aproximasse dela. Por conta disso, ela é a garota mais desejada de sua escola.
Hiryu Shinto é o típico garoto rico e popular da escolar. Com sua personalidade excêntrica, nenhuma das garotas fúteis que andam ao seus pés jamais lhe chamou atenção. Exceto uma, que ele tem um interesse secreto, justamente por ser o contrário de todas as outras: Chikayo.
Um belo dia, o garoto escuta uma ligação que não devia e resolve espionar essa pessoa, que para sua surpresa é Chikayo. Ele descobre que a garota é uma agente, era o que ele precisava para se aproximar dela.

Se gostaram, podem ler a história aqui e aqui. Espero que se divirtam com a Chikayo e o Hiryu. (E comentem por favor!)


O lindo mundinho isolado

domingo, 6 de abril de 2014

É noite agora e estou aqui, sentada a escrever.
Tudo a minha volta se mexe, têm pessoas andando, carros passando, as luzes noturnas acesas.
Mas tem um mundinho, em meio a todas essas vozes e sons. É também um lugar barulhento, porém ninguém ao redor pode escutar. É o som dos pensamentos que se sobrepõem um sob o outro.
Existe uma outra conversa, entre a mão e o papel. A conversa deles é o desenho das palavras. Tudo está em sintonia nesse lugar, é um ciclo infinito que produz textos, histórias e contos.
E há uma pessoa que é dona de tudo isso. Donda da maior propriedade imaginária que só ela conhece. Ela apenas se senta e começa a rabiscar e todo o mundo isolado começa a dançar por conta da enorme alegria de ter vida. Esta que foi feita por uma pessoa maravilhosa!

Aqueles textos que surgem em momentos de tédio!