Feliz 2014!

terça-feira, 31 de dezembro de 2013
Passando para deixar uma mensagem de ano novo para vocês.
Gostei muito de passar este ano no blog postando estes meus textos que surgem do nada em mim e que preciso de um lugar para eles e é aqui.
Agradeço por acompanharem o blog. Espero que possamos nos ver ano que vem por muitas vezes! =)
E que minha inspiração nunca se acabe, para poder render bons textos.
Um feliz 2014 e que ele seja ótimo para todos!
Beijos! Até!




Sessão desabafo

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013
Saindo um pouco dos meus textos hoje.
Tem uma coisa que tem me chateada muito nos últimos dias. Vou contar a história todinha...
Eu entrei em um grupo de divulgação de fics, para conseguir mais leitores para O diário da escrava amada. Este grupo incentiva a fic de um modo meio obrigado. Cada 1 ou 2 dias trocando a história, a escolha é feita via sorteio, e o pessoal tem que ir lá ler, senão fica fora deste sorteio.
Então, é como um desespero para ler porque se não fizer "a minha vez" nunca chega.
Por sorte, as histórias são boas, então não fica chato de ler. =)
Até que no dia 23 de dezembro, eu finalmente fui sorteada. Uma enorme alegria! Pulando e pulando.
Algumas hora depois, a minha alegria virou chateação, ao ver que apenas 3 pessoas haviam vindo comentar, sendo que o grupo tem quase 70 membros.
Achei que tivesse me dado bem, mas me dei mal!
Nessa época de natal praticamente ninguém fica em casa e tem tempo para sentar no computador e ler.
Eu estou me sentindo injustiçada. Porque eu sei que a próxima história sorteada, sem dúvida já no ano que vem, todo mundo vai ler.
Poxa, entrei no grupo para ajudar a minha história, mas continua praticamente a mesma coisa. As minhas expectativas não foram atendidas.
Quando entrei no grupo até fiquei com um pé atrás. Acho que era por isso!
Vou deixar uma mensagem no grupo mostrando a minha chateação.
Sei que foi por culpa da data e também não perceberam isso, porque o grupo é novo.
Eu só espero, sinceramente, que eu seja recompensada.

Desculpe incomodá-los com isso.

Afinal, o que é o natal?

terça-feira, 24 de dezembro de 2013


Afinal, o que é o natal?
Alguns dizem que é o nascimento de Jesus, o que não deixa de ser verdade.
Outros dizem que é o dia que o Papai Noel presenteia as crianças, o que também não deixa de ser verdade. Até que você completa uns 12 ou 13 anos.
Mas uma vez, eu perguntei para um ateu (e adolescente): Para você, o que o natal? E ele me respondeu assim: "É a época em que eu me junto com a minha família e nós trocamos presentes e nos divertimos juntos."
Achei uma resposta muito bonita e verdadeira!  E tenho certeza que devem existir muitas outras respostas para esta mesma pergunta, vinda de pessoas de outras culturas, idades e crenças.
Todas estas respostas se unem e constroem a ideia do que o natal seja. Não é só isso ou aquilo!
Primeiramente, o próprio Jesus não nasceu em 25 de Dezembro, esta data é representativa em relação ao aniversário dele. Serve apenas para mostrar que alguém veio com um propósito, que era esclarecer e ajudar a todos nós.
O papai noel é inspirado em São Nicolau, que era um homem que presenteava as crianças pobres, só não me recordo se ele realmente fazia os brinquedos.
E todos os anos, famílias e mais famílias se reúnem para a ceia de natal.
Contudo, o natal não se resume em comida, comida e presente, presente. (E família, família.)
Vocês já perceberam que a atmosfera, o mundo muda nessa época?
As pessoas são tomadas por sentimentos mais nobres, como a solidariedade, por exemplo.
Já aconteceu de se parrarem guerras por causa do natal.
É um tempo em que todos esquecem os problemas, as inimizades e o resto que existe de ruim. Se reúnem para comemorar seja lá no que elas acreditam e aproveitam este tempo.
Este deve ser o tal "Espírito natalino" do qual tanto falam. Uma pena que ele não consiga persistir e existir durante o ano inteiro. Como as coisas mudariam...
Alias, acho que não respondi a pergunta que fiz lá no início: O que é o natal?
Depende, depende de que faz esse natal. Ele pode ter múltiplas formas e significados para as mais diferentes pessoas.
O natal não pode ter um conceito fechado e que foi criado há muitos séculos.
Quem faz o natal somos nós, que vivemos ele, todos os anos. Seja ele sozinho ou com a família, com ou sem presentes, com ou sem uma religião.
O natal é apenas o natal!  Como você quer que ele seja, é apenas com você!

Protelar animes/qualquer coisa...

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Pois é, eu tenho essa mania de protelar praticamente tudo. Tudo eu acho que posso fazer depois e vou deixando para lá...
Essa mania é feia e de gente muito preguiçosa. (por isso me incluí)
E ela demanda da preguiça de fazer qualquer coisa e também uma má administração do próprio tempo. Duas coisas que eu tenho!
E assim se vai levando... "Ah, deixa para outro dia." "Ah, posso fazer isso amanhã."
E por enrolar tudo acaba não fazendo nada ou tendo que fazer tudo de uma vez.
Algumas coisas não tem problema de se protelar, seja um anime ou uma leitura, são coisas que só ficarão incompletas, mas não há problema se não fizer. As vezes você não está com vontade de fazer e tudo bem!
E quando é algo importante? Salve-se quem puder!
Nessas horas é uma correria sem fim e um desespero tamanho.
Por essas e outras, que neste tipo de protelação, eu prefiro não arriscar e ajo logo. Ai tudo fica pronto em seu tempo!
Se bem que... Sem enrolar ou não, eu continuo desesperada para terminar logo!

Quando faltam ideias...

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013
Sabe aquele momento em que você tem um lapso criativo? Um bloqueio? E nada, mas nada de bom surge como uma boa ideia para desenvolver algo legal.
Primeiro vem a frustração e aquele sentimento de incapacidade, o que é absolutamente normal.
Os escritores também são como pessoas normais e também temos dias ruins e dias em que nada de bom pode sair de nós.
O que se pode fazer? Apenas esperar!
Quando as ideias faltam por um tempo, é porque elas estão se arrumando e vão voltar uma outra hora.
Não é nada que cause o final do mundo ou vai acabar com a vida alguém, é apenas um tempo.  Todos precisam, até as ideias de vez em quando.