Série Poderosa

terça-feira, 28 de maio de 2013

Hoje vou falar desse série de livros que é marcante, até demais, para mim.

Na manhã do natal de 2006, eu ganhei de presente Poderosa (o 1 né? haha). Eu era apenas uma menina de 13 anos na época e aquilo história me encantou e me prendeu tanto que me fez fazer uma coisa que eu nunca fizera até então: Devorar um livro em menos de uma semana. Com Poderosa foram exatos cinco dias. E com todos os livros da série foram assim, era menos de uma semana lendo.
Eu me apaixonei por Joana Dalva e todo o seu mundo.
Querem saber mais sobre a história?
Poderosa conta a história de Joana Dalva, uma menina de 13 anos, canhota, e que um dia descobre que tem um poder: Tudo o que ela escreve se torna realidade. Agora ela tem o poder de ajudar as pessoas a sua volta e poder mudar o mundo uma frase de cada vez.
Isso foi só uma introdução breve, mas já deu para entender o nível da coisa.
Joana Dalva descobre o poder dela bem sem querer e tenta resolver os seus problemas um de cada vez. Só que ela usa seu poder com muita cautela e quando muito necessário. Então, ela usa seu poder com sabedoria. Ela é quem conta tudo pelo seu ponto de vista!
Só lendo para ter noção de tão forte que o poder dela é e todas as coisas que ela faz, até porque nem lembro tudo. Vou listar as mais marcantes:
  1. Mudança na história de Joana D'Arc;
  2. Rejuvenescimento e ressurreição da Avó;
  3. Transformar todos em um lugar em pedra;
  4. Passar o seu poder para outra pessoa;
  5. Dividir-se em duas.
Esses são só alguns, os mais marcantes para mim. (Gente, isso é melhor que um Death Note.)
Eu me identifico muito com a protagonista, por ela querer e já até ser escritora. Também por ser uma adolescente normal e com todos os seus problemas. 
E o jeito que o autor, Sérgio Klein, a faz contar a história e nos aproxima e envolver-se nela.
Uma pena que o autor morreu em 2010. (Descobri isso tem poucos dias.) E nem eu e nem muitos outros fãs, jamais teremos o nosso Poderosa 6.
Só digo: Obrigada, Sérgio Klein, por essa história maravilhosa!
Terminando com um trecho do Poderosa 5 que eu abri sem querer ontem ao mexer em meus livros.


Sempre sonhei em ser escritora e misturar no mesmo caldeirão, até borbulhar, ação, suspense, romance e aventura, temperar tudo isso com diálogos apimentados e deixar os meus futuros e vorazes leitores com fome de novas histórias. Talvez seja um pouco cedo pra procurar uma editora ou sonhar com o Prêmio Nobel. Por ora, eu já me daria por satisfeita se pudesse escrever no jornal da escola e virar best-seller entre os colegas.

(Poderosa 5, página 31)

Depender da sociedade

quarta-feira, 22 de maio de 2013
Sempre julgam ou comentam o que você faz. Seja na vida real ou virtual. Principalmente na segunda opção.
Dizem que tal coisa não condiz com o que faz, no caso, quando se é exemplo para "alguéns". Sendo que, sua situação de exemplo é fora do virtual.
O que você posta ou comenta na web é uma coisa completamente diferente.
Dentro dela, eu sou uma pessoa diferente da que sou fora dela.
Não sabem separar as coisas? E o que eu digo ou escrevo tem a ver com qualquer coisa?
Se for para ficar me preocupando e sempre tendo um passo atrás por causa "do que vão pensar", eu não viverei e não farei nada que eu gosto.
É melhor ser errada e ser eu mesma do que certinha e ser outra pessoa!

Homenagem? Maybe!

A técnica do papel

quinta-feira, 16 de maio de 2013
E mais um dos meus posts sobre escrever? Maybe!

Sabe quando você tem uma ideia e se não gravá-la em algum lugar com toda a certeza vai esquecer?
Tem uma coisa que eu uso que é muito fácil para quando se tiver uma ideia, independente de qual e para o que seja.
Sabe papel e caneta? É só isso o que vai precisar. Uma coisa simples, mas que vai te salvar dessa situação de esquecimento que a vida corrida nos causa.
Pode ser um bloquinho com um lápis, só para quando a ideia surgir poder colocá-la no papel e não esquecer.
Faça uma frase simples ou escreva um texto sobre a sua ideia. Depende da forma que você quer fazer para se lembrar.
Eu uso muito isso para arrumar os rumos ou possíveis capítulos das minhas histórias. Afinal, eu tenho tantas, pode ser que uma hora eu confunda tudo isso.
Pode-se usar esse "papel e caneta" até do lado da sua cama. Tendemos a ter coisas boas nessas horas.
É uma coisa tão simples, mas que pode muito te salvar.

E ficou uma merdaaaa!

A lenda do fio vermelho

domingo, 12 de maio de 2013

"Um fio invisível conecta os que estão destinados a conhecer-se independentemente do tempo, lugar ou circunstância. O fio pode esticar ou emaranhar-se mas nunca irá partir." 
(Uma antiga crença chinesa)


A lenda do "Fio vermelho do destino", acho que poucos no ocidente a conhecem. Mas eu a acho tão bonita! Mais bonita que a lenda "da metade da laranja".
Ela diz que a pessoa que está destinada a você fica ligada por um fio invisível e vermelho. Cada ponta é amarrada no dedo mindinho de cada um.
Não importa tudo o que aconteça na vida de cada um, um dia as duas pontas do fio vão se encontrar.
O fio estica, encurta e se embola, mas ele jamais se rompe.
Acredita-se que isso seja uma obra dos deuses (da cultura chinesa).
E sabe por que eu acho esta lenda linda?
Ela não determina quando e onde vai encontrar sua metade, diz que apenas vai encontrar. O destino vai unir os dois, mas as duas partes vão fazer o possível para se encontrar. Não importando o tempo que leve.
E a distância jamais vai separá-los, pois eles estão unidos por algo mais forte, que nunca se parte.
Todos um dia vamos encontrar onde o nosso fio vermelho termina, sem dúvida.

O diário da escrava amada

quarta-feira, 8 de maio de 2013

Sabe quando você acaba de acordar e ainda tem o seu sonho nítido na cabeça?
E quando esse sonho te faz criar uma história nova, quando você acha que suas ideias acabaram?
Com O diário da escrava amada foi assim!
Acordei sabendo que havia sonhado com o yaoi Ai no Kusabi e fiquei com isso na cabeça até que a ideia da história surgiu.
É sobre uma garota, de um mundo futurista, que foi comprada e virou escrava de um homem rico. Então, ela decidiu escrever um diário para contar todas as experiências dela com tudo isso.
Mas, esse diário é lido por seu marido, que era o dono dela antes.
E quer saber o que houve para ambos acabarem se tornando marido e mulher? É só acompanhar a história!
Além da sua pitada de romance, também tem sua pitada de sexo. Afinal, nossa protagonista se tornou uma escrava sexual.
É mais um dos meus romances bem enrolados, já que eu também sou enrolada.
Eu estou muito feliz por ter uma história nova, é sempre bom poder ter algo diferente para dar vida.
E é quase um rebirth do surgimento do Mutsu Ike também. haha
Quem quiser ler, basta entrar aqui.

Pequenas coisas

segunda-feira, 6 de maio de 2013


Quando somos crianças aproveitamos até a menor coisa da vida. 
Seja brincar com algo ou ficar cheirando alguém ou rir, por exemplo.
Porém, conforme crescemos perdemos essa essência de aproveitar as pequenas coisas.
Por causa das preocupações e responsabilidades que surgem, falta-nos tempo para isso.
Nunca devemos esquecer dessas coisas, fazê-las de vem em quando.
Apenas ficar em baixo das cobertas vendo um filme em um dia frio, jogar papo fora com os amigos, rir de alguma coisa bem boba.
Isso nos faz sentir melhor, esquecer um pouco as coisas grandes e se preocupar só com o agora, com o curtir o momento. Tenha certeza que sairá se sentindo mais leve e mais feliz!