O tempo é relativo?

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Algumas pessoas dizem que o tempo é relativo. Eu acho que é verdade!
O quê isso significa?
Significa que o tempo passa de maneiras diferentes para cada pessoa e cada situação.
Vou explicar com os "5 minutos". Reflitam.
5 minutinhos a mais na cama? 5 minutos ouvindo música? 5 minutos na internet? 5 minutos com o seu amor? 5 minutos lendo um livro que você gosta ou mangá?
Esses tempos com toda a certeza passam voando e você sequer sente.  Esse tempo passa muito rápido!
5 minutos esperando alguém? 5 minutos forever alone? 5 minutos com dor? 5 minutos na aula ou estudando? 5 minutos ouvindo uma música que você não gosta? 5 minutos conversando com alguém chato?
Esses são completamente opostos aos exemplos anteriores, eles duram uma eternidade.
Digamos que essa é a teoria do tempo relativo: De acordo como você é e a situação na qual está.
Com coisas boas, o tempo voa. Com coisas ruins, o tempo não passa.
Isso ainda comprova outra coisa: Tudo o que é bom, dura pouco. (Ou parece que dura pouco?)
E não fiquem achando que o tempo é mágico(e vidente) e fica de brincadeira com a gente.
Os minutos são sempre os mesmos, têm sempre 60 segundos.
Quem são os mágicos nessa situação somos nós. Fazemos o tempo passar a nosso modo.
Então, só cabe a gente decidir que truque faremos com o tempo.

Afinal, o que é o Blog do Kyon?

quarta-feira, 23 de maio de 2012


Como alguns sabem, eu tenho mais dois blogs que são o Garota Zodíaco (pessoal) e o Blog do Kyon (pessoal também).
Devem estar se perguntando: Dois blogs para a mesma coisa?
Basicamente é a mesma coisa sim, mas os blogs se diferem entre si.
No GZ sou quem está falando e no Kyon quem fala é o Kyon Hiryu.
Kyon Hiryu-sama é um personagem criado por mim e ele é meu anjo da guarda, mentor espiritual, como preferirem.
Ele falo sobre mim e sobre pequenos assuntos da minha vida, só que na visão dele.
Vai me dizer que isso não é legal?
Tudo bem que sou eu quem escreve lá. Mas eu não posso feliz um pouco? (E completamente maluca também?)
É divertido poder falar de você como se fosse outra pessoa. É ótimo referir-se a você na 3º pessoa.
Mas como devem saber, eu literalmente entro no personagem e falo como se fosse ele mesmo.
É um blog divertido e com posts bem pequenos, para quem não gosta de ler.
A única exceção é quando tem entrevista. Kyon diz que eu me empolgo muito nas respostas. haha
O Kyon e eu gostaríamos muito de sua visita lá no Blog do Kyon.

Katanagatari

domingo, 20 de maio de 2012

Uma review de anime hoje! Não direi que é dos desconhecidos, não acho que seja.
Eu tenho recomendado muito esse anime há uns tempos.
Conta a história de Shichika, descendente e um estilo que chamam de "A espada perfeita". Ele e a irmã vivem em uma ilha, exilados, mas quem foi exilado foi o pai deles. Shichika matou seu pai!
Um dia, Togame, que faz parte de alguma coisa do exército, chega na ilha e vai falar com Shichika e a irmã.
E explica que está procurando 12 "espadas" especiais forçadas por um pessoas importante.
Shichika aceita a proposta de Togame e sai com ela em uma jornada em busca das espadas com duas condições: proteger Togame e não quebrar nenhuma espada.
Em cada episódio eles pegam uma espada. Elas sempre estão com alguém muito forte(clichê!).
E não são apenas eles que estão atrás das espadas(clichê!). Os ninjas Maniwa também.
Esse anime tem um diferencial: episódio de 50 minutos. Mas são minutos que valem a pena. A história fica mais desenvolvida e as falas também.
E a sua animação um pouco diferente. De começo, ela é bem estranha, mas até que você acostuma e acha bonito. Não é animação mal feita, sabe!
Assisti esse anime porque meu namorado me passou.
Uma coisa aconteceu que me deixou com muita raiva, mas não vou contar. Senão darei spoiler!
Super recomendo esse anime. E o final é épico! (Deixando na curiosidade.)
E esse anime me ensinou uma palavra ótima que eu uso no Otaku. Culpa total da Togame.
Mas só assista o episódio se tiver um tempão livre. Já sabem por que, né?

Acredito que fazer o que todos fazem é chato!

sábado, 19 de maio de 2012


A frase que está no título é literalmente a frase que me define. (Ou quase isso!)
Agora irei explicar porque.
Essa frase é da música Bouken Desho Desho? da Aya Hirano. Abertura da 1º temporada de Suzumiya Haruhi.
Por que essa frase, Anelise?
A começar pelo fato de que eu não sou normal, sem dúvida alguma.
Eu sou otome, escritora, tenho minhas manias e que são só minhas.
E tem certas coisas que as "pessoas normais" fazem que eu fico só pensando "puta que pariu" para elas. (E o facepalm.)
Exemplo: Dançar em público numa festa.
Antes, até ia numa boa. Mas, não tem mais música para eu dançar.
Meu gosto musical é completamente asiático! É impossível!
E por fazer, não levem a frase em um sentido tão forte como: Respirar!
Uma amiga desmentiu essa frase com esse argumento: Então você odeia respirar!
O sentido não é literal desse jeito. 
Não é uma questão física e sim psicológica, de personalidade, de ser.

Como é terminar um livro?

quinta-feira, 10 de maio de 2012

Escrever é uma coisa maravilhosa e prazerosa. Também te leva a outro mundo, só que você viaja três vezes mais, apenas pelo simples fato de estar escrevendo e criando.
E quando você vai criando e vendo do que sua cabeça, suas ideias, suas mãos e suas palavras são capazes. Vou se torna o primeiro leitor do livro ao fazer as revisões e fica louco para saber o que vai acontecer (ou não).
As coisas vão acontecendo e tomando forma e seguindo a história, mas uma hora, ela tem que chegar ao fim. É aí que vem outra coisa ótima: Terminar o livro.
Já passei por esse sensação três vezes. É algo como: Um filho que cresceu e saiu de casa, foi seguir sua vida.
Sente uma tristeza e uma alegria ao mesmo tempo. Sensação de dever cumprido.
É como terminar uma etapa! É o fim de uma etapa.
Dá saudade de escrever aquela história e contar a vida daqueles personagens. 
Mas só pegar o caderno e matar a saudade.


O lado Diva!

segunda-feira, 7 de maio de 2012
Toda DIVA que se preze, usa luva numa mão só (na outra, pulseiras) e tem sua fiel escova de microfone.


Sabe quando você fica sozinha em casa? Não tem ninguém pra te perturbar ou pra conversar?
Nessa hora você pega o seu CD (ou liga a caixa de som do computador) coloca no som, desarruma a sala, liga o som no máximo, pega seu pente/escova e começa a fazer um show em casa.
Pode estar sozinha, mas se sente cantando no maior palco do mundo, com a melhor plateia do mundo, que não liga nada pra suas desafinadas ou seus erros na letra ou sua roupa.
É melhor do que a sensação de cantar no chuveiro, ou melhor, bem diferente. Você tem mais espaço, mais som e menos água.
Mas nada que mude a qualidade do show.
E você pula, dança, desfila pela arena e chama o público(que supostamente existe) com você. E sente a maior artista e diva do mundo.
Ser diva é isso! 
Fazer o seu showzinho em casa e agir como se estivesse em um estádio!